PLANEJAMENTO ESTRAT‰GICO 2016-2019 RELAT“RIO DA OFICINA DE ... PLANEJAMENTO...

download PLANEJAMENTO ESTRAT‰GICO 2016-2019 RELAT“RIO DA OFICINA DE ... PLANEJAMENTO ESTRAT‰GICO 2016-2019

of 22

  • date post

    21-Nov-2018
  • Category

    Documents

  • view

    215
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of PLANEJAMENTO ESTRAT‰GICO 2016-2019 RELAT“RIO DA OFICINA DE ... PLANEJAMENTO...

  • PLANEJAMENTO ESTRATGICO 2016-2019

    RELATRIO DA OFICINA DE INTEGRAO

    Data: 25 e 26 de fevereiro de 2016.

    Local: Auditrio do Centro da Juventude Cana, Vinhais, So Lus/MA.

  • 2

    RESGATE DOS COMPONENTES DO PROCESSO DE ELABORAO

    Mtodo Balanced Scorecard (BSC).

    - Sistema de medio.

    - Sistema de gerenciamento estratgico.

    - Ferramenta de comunicao.

    Base: Mapa estratgico com objetivos, indicadores e metas.

    Desdobramento: Formulao das iniciativas organizacionais pelos setores e unidades.

    Passos:

    1 oficina com a direo da Fundao elaborao do Mapa Estratgico.

    Desdobramento nas reas (setores e unidades).

    2 Oficina com a direo e equipes integrao e dilogo sobre as iniciativas.

    REVISO DO MAPA ESTRATGICO

    Durante a oficina de integrao foram efetuadas as seguintes revises no Mapa Estratgico:

    a) ALTERAES NOS OBJETIVOS:

    DE PARA

    Promover atendimento sistemtico aos

    adolescentes e suas famlias com vistas

    superao da prtica delituosa.

    Promover atendimento sistemtico aos adolescentes e suas

    famlias com vistas superao da prtica do ato infracional.

    Promover a qualificao dos servidores. Promover a qualificao dos servidores do sistema

    socioeducativo no estado.

    b) ALTERAES NOS INDICADORES:

    DE PARA

    Situao do adolescente na sada da medida

    socioeducativa.

    Situao do adolescente no trmino da medida

    socioeducativa.

    Regularidade no atendimento. Satisfao do socioeducando e das famlias quanto ao

    atendimento.

    Nvel de satisfao do socioeducando

    quanto ao atendimento. INCORPORADOS ao indicador Regularidade no

    atendimento que passou a ser Satisfao do

    socioeducando e das famlias quanto ao atendimento. Nvel de satisfao das famlias quanto ao

    atendimento.

    Aproveitamento escolar. INCORPORADO ao indicador Insero escolar regular.

    Utilizao do SIPIA Web nas unidades de

    atendimento.

    Utilizao de banco de dados nas unidades de atendimento.

    Qualificao do modelo de gesto (NOVO INDICADOR)

    Nmero de cursos oferecidos. INCORPORADOS ao indicador Percentual de servidores

    atendidos pelo processo de capacitao. Aproveitamento dos servidores.

  • 3

    c)ALTERAES NASMETAS:

    DE PARA

    100% dos adolescentes como novo projeto

    de vida ao final do cumprimento da medida

    socioeducativa.

    80% dos adolescentes como novo projeto de vida ao

    final do cumprimento da medida socioeducativa.

    Atendimento dos adolescentes pela

    Fundao de forma regular e contnua.

    Atendimento dos adolescentes pela Fundao de forma

    regular e contnua com 80% de avaliao entre bom e timo

    pelos socioeducandos e famlias.

    80% com avaliao entre bom e timo. INCORPORADAS meta Atendimento dos adolescentes

    pela Fundao de forma regular e contnua com 80% de

    avaliao entre bom e timo pelos socioeducandos e

    famlias.

    80% com avaliao entre bom e timo.

    80% dos adolescentes que cumprem

    medida socioeducativa na Fundao com

    aproveitamento escolar.

    INCORPORADA meta alterada para 100% dos

    adolescentes com insero escolar regular durante o

    cumprimento damedida e 80% com aproveitamento

    escolar.

    60% dos adolescentes que cumprem

    medida socioeducativa na Fundao com

    insero no mercado formal.

    30% dos adolescentes que cumprem medida socioeducativa

    na Fundao com insero no mercado formal.

    70% de insero escolar na medida cautelar

    provisria e 100% na restrio e privao de

    liberdade.

    100% dos adolescentes com insero escolar regular

    durante o cumprimento da medida e 80% com

    aproveitamento escolar.

    Democratizao e eficincia da gesto da Fundao e das

    Unidades (NOVA META para o indicador Qualificao do

    modelo de gesto).

    100% das unidades equipadas e com

    internet.

    INCORPORADA meta SIPIA funcionando em 100% das

    unidades, com equipamentos e internet de boa qualidade.

    50 cursos de forma regionalizada,

    compatveis com as demandas.

    INCORPORADAS meta 100% dos servidores capacitados

    para exercer suas funes com eficincia e eficcia,

    conforme a legislao. 80% dos servidores capacitados com

    certificao.

    100% de controle da execuo fsica. INCORPORADA meta 100% dos recursos financeiros

    otimizados.

    DEFINIO DAS INICIATIVAS PARA CUMPRIMENTO DAS METAS

    A partir da elaborao dos setores e unidades, a oficina definiu as seguintes iniciativas, diferenciadas em

    PRINCIPAIS (que foram propostas pelas reas indicadas como responsveis por cada meta) e

    COMPLEMENTARES (que foram propostas pelas reas associadas a cada meta). Algumas iniciativas foram

    elaboradas na prpria oficina.A estrutura utilizada inclui a sequncia:

    META REAS ASSOCIADAS INICIATIVAS PRINCIPAIS INICIATIVAS COMPLEMENTARES.

    METAS DA PERSPECTIVA DOS CIDADOS

  • 4

    META 1 70% dos adolescentes envolvidos com ato infracional inseridos em outros programas sociais.

    REAS CPSE, Presidncia, DIRTEC e Unidades de atendimento inicial e provisrio.

    INICIATIVAS PRINCIPAIS

    COORDENAO: Coordenao de Programas Socioeducativos CPSE.

    Articular, com as secretarias de Assistncia Social (CRAS/CREAS) dos municpios de origem dos adolescentes, a insero dos adolescentes nos programas sociais.

    Acompanhar o encaminhamento mensal, para os CREAS ou CRAS, da listagem de adolescentes atendidos nos atendimentos inicial e provisrio conforme seus municpios de origem.

    Monitorar semestralmente a situao do adolescente junto ao CREAS/CRAS no seu municpio de origem.

    Apoiar as equipes quanto sistematizao da proposta metodolgica do programa de atendimento inicial, provisria e egressos desses atendimentos.

    INICIATIVAS COMPLEMENTARES RESPONSVEL

    Implantar a Comisso Intersetorial de implementao do SINASE.

    Presidncia Articular com a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social (SEDES) para mobilizar as Secretarias Municipais de Assistncia Social (SMAS) visando insero dos adolescentes nos Servios de Convivncia e Fortalecimento de Vnculos CRAS.

    Manter o funcionamento das unidades de atendimento com o quadro de profissionais previsto na legislao do SINASE.

    DIRTEC Estabelecer o perfil dos profissionais que integram o sistema socioeducativo.

    Estabelecer cooperao tcnica com rgos responsveis pela execuo das polticas pblicas que favoream ao adolescente e sua famlia o direito cidadania.

    Articular e encaminhar com a rede externa (assistncia social, sade, educao e trabalho).

    Unidades de atendimento inicial e provisrio.

    Encaminhar para a CPSE a listagem dos adolescentes com reiterao.

    Encaminhar para a CPSE a listagem dos adolescentes entregues para as famlias.

    Articular com a rede de assistncia social para insero de adolescentes e famlias nos programas sociais.

    Garantir o atendimento social, pedaggico, psicolgico e jurdico aos adolescentes custodiados e suas respectivas famlias ou responsveis.

    Orientar adolescentes e suas famlias/responsveis quanto aos objetivos dos programas sociais e encaminh-los aos respectivos servios.

    Garantir atendimentos individuais e grupais aos adolescentes e familiares/responsveis orientando-os acerca das implicaes decorrentes da prtica do ato infracional em prol da construo de um novo projeto de vida.

    Garantir o atendimento de sade aos adolescentes pelo setor de enfermagem da Unidade e quando necessrio, atravs da rede pblica.

    Proceder encaminhamento de adolescentes vtimas de violncia no ato da apreenso e durante sua custdia Delegacia de Proteo Criana e Adolescente DPCA para fins de apurao e responsabilizao, assim como dar conhecimento s autoridades competentes (Defensoria, Juizado Especializado, Juizado e Promotoria Competentes).

    Articular de forma permanente com Planto Criminal, Juizado, Ministrio Pblico e Defensoria para fins de garantir a agilidade dos procedimentos judiciais.

    Realizar atendimento individual ao adolescente e familiares/responsveis para fins de prestar toda assistncia jurdica acerca do conhecimento dos encaminhamentos processuais.

    Inserir a metodologia das prticas restaurativas no atendimento individual e grupal.

  • 5

    META 2 20% de reincidncia dos adolescentes que cumpriram medida socioeducativa na Fundao.

    REAS Unidades de internao e semiliberdade e CPSE.

    INICIATIVAS PRINCIPAIS

    COORDENAO: Unidades de internao e semiliberdade.

    Desenvolver a metodologia da prtica restaurativa nas unidades.

    Garantir a insero dos adolescentes em cursos profissionalizantes.

    Promover conjunto de aes e atividades que estabeleam processos de integrao e incluso dos adolescentes e suas famlias.

    Promover articulao com a rede de assistncia social para insero de adolescentes e famlias nos programas sociais.

    Acompanhar as adolescentes e famlias nos municpios de origem: articulao com o CREAS e rede socioassistencial; visitas tcnicas.

    Fortalecer a articulao com a rede socioassistencial de origem do adolescente.

    Realizar atendimento articulado com secretarias de assistncia social (CRAS e CREAS) e demais polticas setoriais.

    Garantir o atendimento integral ao socioeducando, fazendo-o ressignificar seus valores e criar novas perspectivas desvinculadas s prticas de atos infracionais.

    INICIATIVAS COMPLEMENTARES RESPONSVEL

    Assessorar a gesto das unidades quanto ao atendimento sociopedaggico aos adolescentes e famlias.

    CPSE

    Acompanhar as aes sociopedaggicas das unidades.

    Articular com as secretarias de Assistncia S