Mitologia dos orixás

Click here to load reader

  • date post

    15-Jan-2017
  • Category

    Education

  • view

    267
  • download

    12

Embed Size (px)

Transcript of Mitologia dos orixás

  • A mitologia dos Orixs

  • A MITOLOGIA DOS ORIXS

    Assim como outros povos da antiguidade, os africanos tambm possuam

    os mitos que explicavam a origem do mundo. Vamos aqui nos relacionar com um

    pouco sobre o mito da criao e em seguida com as lendas de alguns dos orixs.

    O mito da criao do mundo tambm conhecido como Mito de Olorum

    e foi disseminado pela tradio oral africana passando de pai para filhos da nao

    Nag.

  • MITO DE OLURUM

    No princpio de tudo existia apenas o Orum, ou seja o Cu dos Africanos, onde reinava a Paz , a calma, contudoo Deus Supremo Olorum ou Olodum, pensou em Criar um mundo humano, com seres a sua imagem e semelhana,mandando desta forma seu filho Primognito Obatal (tambm chamado de Oxal) para dirigir esta empreitada que seria acriao do Ay (terra).

    Os orixs viviam no Orum ao redor do criador Olorum. Obatal desceu at Ay para espelhar o p preto queformaria a terra firme. Ento, Olorum entregou a Obatl o saco com o p preto e uma galinha para espalhar o p. Obatalpartiu ento para cumprir sua misso. No meio do caminho, Obatal sentiu sede. Exu, orix mensageiro, vendo que oxalsentia sede, ofereceu a ele o vinho de palma. Obatal bebeu o vinho e acabou dormindo embriagado.

    Exu pegou de Obatal o saco com o p preto da criao e o levou para Olorum. Contando que Obatal havia seembriagado. Olorum entregou, ento o saco da criao para sua filha Ododu (posteriormente chamada Il Ay Senhora daTerra).

    Ododu desceu terra portando o saco com o p preto da criao e o espalhou sobre o vazio. Nesse momentoOdodu transformou-se em uma galinha que ciscou o p preto dando origem aos continentes como os conhecemos.

    Aps a criao do mundo, os orixs deveriam descer at Ay para escolher as partes que lhe caberiam:Iemanj escolheu as guas dos mares, Obatal escolheu ser o senhor do ar, Oxun escolheu as guas doces, Exu escolheu ofogo, Ogum tornou-se senhor dos metais e da guerra, Ob escolheu as guas fortes, Ians escolheu os raios e o ventos, Xangquis as montanhas e os troves, Ossanha escolheu a terra e as plantas, Oxossi escolheu ser o senhor das matas e da caa,Nan escolheu a lama dos fundos dos rios, Oxumar escolheu o arco-ris e Ewa escolheu os horizontes.

  • O PRIVILGIO DE EXU

    Quando Obatal veio para a Terra trazendo os deuses Yorubs, Exu era tido como o guardio da

    adivinhao, fazia revelaes atravs da mente e inteligncia de Orumil, sendo ento o porta-voz do deus

    da profecia. Exu - sempre muito esperto - fez um pacto com If e pediu a Orumil que transmitisse a ele o

    dom e o poder de profetizar sobre a vida dos homens e dos deuses. Como Exu no trabalha de graa -

    cobrou-lhe favores e certos privilgios. Exu exigiu que em qualquer instncia as oferendas teriam que ser

    servidas primeiro para ele, tudo seria feito antes dos outros deuses. Oxum, que acompanhava o pacto de

    If com Exu e tambm ser companheira de If, questionava-se. Tantas pessoas a consultavam e ela no

    podia prever, pois no detinha o conhecimento do jogo da adivinhao. Oxum com toda sua diplomacia,

    queixou-se a Exu, alegando que queria ajudar as pessoas mas no podia, pois no tinha o poder de jogar.

    Exu ento, falou com Orumil e este permitiu o jogo de dezesseis bzios a Oxum, s que com a condio

    de Exu responder as perguntas dela dentro do jogo. Exu teve que exercer sua antiga funo, cargo este

    que Exu no mais queria exercer. por isso que os filhos de Oxum no podem descuidar das obrigaes de

    Exu.

  • AS FOLHAS SAGRADAS

    Ossanha recebeu os segredos das folhas. Sendo o dono exclusivo da liturgia das folhas, ele

    mantinha o segredo sobre elas e no ensinava nada a ningum. Xang, no conformado com

    o conhecimento de Ossanha, queixou-se a Ians, de que era injusto somente Ossanha ser o

    detentor desse poder, e que os outros deuses no possuam esse ax to poderoso.

    Enfurecida ela levantou sua saia e anguas e agitou-as fortemente. O vento, elemento que

    Ians domina, formou-se violentamente em direo onde Ossanha guardava seus segredos.

    Ele mantinha pendurado em uma rvore uma cabaa repleta de folhas, que caiu e espatifou-

    se ao cho. Ossanha no teve tempo para recolh-las, s conseguiu exclamar tristemente

    "Ew O! Ew O!" (Oh! as folhas! Oh! as folhas!), mas no conseguiu impedir que Xang, Ians

    e outros deuses do panteo repartissem entre si as folhas de Ossanha. Mas fica aqui

    registrado que eles ficaram com as folhas, mas os segredos ainda pertencem a Ossanha, que

    ao ser chamado nos rituais litrgicos ensina como lidar com as folhas sagradas.

  • O FEITICEIRO DE DAOM

    Oxumar era o feiticeiro de Daom. Ele tinha como consulente o rei Olofin (rei de If) que o explorava

    muito, consultando-o quase todos os dias, mas no lhe pagava nada pelos seus servios. Oxumar vivia em

    plena misria, at que um dia Olokun, rainha de um reino vizinho mandou busca-lo, pois precisava de seus

    prstimos para tratar de seu filho, o prncipe, que tinha sido acometido por um mal estranho, passava por

    crises fortes e mal parava de p. As vezes rolava por cima das brasas ardentes das fogueiras e fogareiros. O

    grande feiticeiro Oxumar fez suas magias e curou o menino, a rainha o encheu de presentes. O Deus-

    serpente voltou para If diferente de como tinha ido vestido em trapos, voltou com riqussima fazenda

    azul. Olofin, ao ver seu babala preferido to ricamente vestido, arrependeu-se por ter sido to

    mesquinho com ele no passado, e o cumulou de presentes e o vestiu com uma linda fazenda vermelha.

    Assim, Oxumar - que vivia na misria -, tornou-se rico. Olodumar, o Deus supremo, sofria de um mal nas

    vistas, e tambm mandou chama-lo. Oxumar foi at ele e o curou. Oludumar ficou to agradecido que

    no quis mais se separar dele. Desde ento Oxumar reside no cu e s de tempos em tempos tem

    permisso para pisar na terra. Quando este Deus vem ao encontro de seus filhos, os homens tm

    condies de ficar ricos, materialmente e espiritualmente.

  • O ISOLAMENTO

    Conta a lenda que um certo dia de festa, todos os deuses estavam danando, menos Obalua, que ficara

    timidamente na porta. Ogum, ento, perguntou a Nan: Meu irmo est l fora, no vem danar? Nan

    respondeu que ele tinha medo de aparecer um pblico, devido ao estado da pele de seu corpo. Ogum,

    ento resolveu ajud-lo, pois no pode ver uma situao sua frente em que algum sofra por

    desrespeito ou preconceito dos outros. Ogum resolveu o problema convencendo Obalua a acompanha-lo

    at a floresta, onde teceu para ele uma roupa feita com folhas que esconderia sua aparncia. Assim

    Obalua teria coragem para entrar na sala onde ocorria a festa, sem medo de ser rejeitado. Porm, a

    estratgia de Ogum no foi muito bem sucedida. Muita gente tinha visto Ogum sair para ir at Obalua

    antes de se reaproximar trazendo uma figura misteriosa, pois ela estaria carregada de pestes e poderia

    contaminar a todos. Somente Ians, a deusa dos ventos, altiva e corajosa, concordou em acompanha-lo.

    Danou com Obalua e, junto com eles, o turbilho de ventos. Os ventos de Ians levantaram as vestes

    dele. Ento todos os presentes, com espanto, puderam verificar que, abaixo das vestes, se escondiam o

    rosto e o corpo de um homem belssimo, sem defeito algum. Em recompensa pelo gesto de Ians, Obalua

    deu o poder a ela de reinar sobre os mortos. Mas Obalua sempre continua sua dana sozinho.

  • AQUELE QUE FOI ENGANADO TRS VEZES

    Um dia Oxal resolveu visitar seu filho Xang o Rei de Oy. Antes de partir consultou If, no jogo de

    bzios. Ele foi avisado para no fazer a viagem, pois haveria muitas desgraas. Oxal insistiu em ir, ento o

    Babala o aconselhou a tomar alguns cuidados: no falar com ningum que encontrasse no caminho, no

    atender a nenhum pedido, no pronunciar palavras de queixa, e foi recomendado que deveria levar trs

    roupas brancas e sabo. Teimoso, Oxal comea sua viagem. No caminho ele encontra Exu, que disfarado,

    estava sentado sobre um barril . Oxal, esquecendo o conselho do Babala, d ouvidos a Exu, que o

    convence a carregar o barril, que continha azeite de dend. Exu fez o azeite derramar sobre Oxal e depois

    riu, dizendo que Oxal virou comida de Exu. Oxal banhou-se, trocou de roupa e seguiu viagem.

    Novamente Exu apareceu, disfarado de velho e pediu ao Orix que carregasse seu pesado fardo de

    carvo. Oxal com pena do velho, pegou o saco e ps nas costas. Exu derramou o carvo, sujou-o e depois

    riu, dizendo que Oxal trocou o pano branco por preto. O Orix mais uma vez, banhou-se, ps outra roupa

    limpa e seguiu viagem. Dessa vez Exu apareceu como um menino e de novo enganou Oxal, que acabou se

    sujando com um barril de vinho de palma. Exu riu muito, dizendo que enganou o Orix trs vezes. Mas

    uma vez Oxal manteve a calma, limpou-se no rio e vestiu sua terceira roupa e continuou sua caminhada

    rumo ao reino de Xang.

  • O REI NO SE ENFORCOU

    Conta-se que quando Xang teve dificuldade para se manter no trono de Oy, ele voltou-se para a

    terra dos Tapa e, vendo-se abandonado por todos, ele enforcou-se numa rvore de ob. Seus

    inimigos proclamaram "Obaso" - "O rei enforcou-se". Seus partidrios negaram este fato e gritaram

    "Oba K S", ateavam fogo nas casas dos detratores de Xang, nas noites de tempestades, para

    confirmar a reputao do Deus do trovo. Aluso feita a Xang que, quando irado, ateava fogo

    pelas narinas, para punir os infratores ( texto extrado do livro de Pierre Verger - Os Orixs) -

    segundo a lenda por isso que Xang tem averso morte e aos eguns (mortos).

    AS ESPOSAS DE XANG

    No reino de Oy, ficavam as trs esposas do Orix, a sua espera, cada vez que ele saia para

    gue