Introdução - Atualizado

Click here to load reader

  • date post

    23-Feb-2017
  • Category

    Education

  • view

    143
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Introdução - Atualizado

Slide 1

IntroduoO que e como fazer uma introduoCynthia Funchal http://slideshare.net/cynthiafunchal

IntroduoContextualizao do tema/problema a ser analisado e apresentao da tese (ponto de vista);Direciona a leitura, o ponto de partida;Mostra uma linha de raciocnio que ser seguida no texto;Deve ser desenvolvida no primeiro pargrafo do texto e, de preferncia, ocupar uma mdia de 5 a 7 linhas.

O que evitar?Iniciar com uma ideia que fuja do tema central do texto e da proposta;Redundncias (h muitos anos atrs, a cada dia que passa);Desvio frequente do assunto;Perodos longos;Uso da primeira pessoa do singular (eu);Reproduzir o texto (enunciado) do tema.

Evitar clichs como:Atualmente...Nos dias de hoje...Para comear...Primeiramente...Desde os primrdios da humanidade...Etc.Evitar clichs no significa que eles no possam ser utilizados, apenas requerem cautela para que o texto no seja fraco ou mal desenvolvido.

O que no fazer em uma introduoResponder diretamente pergunta da proposta ou se referir a ela sem contextualizar o tema.Tema: Reduzir a maioridade penal a soluo para a violncia no Brasil?.No, reduzir a maioridade penal no Brasil apenas lotar as penitencirias e piorar a situao da violncia no pas, uma vez que o sistema carcerrio precrio [...]

Tema: A insero do jovem no mercado de trabalho.Sobre o jovem e o mercado de trabalho, importante destacar que, quanto mais cedo uma pessoa comear a trabalhar, mais fcil par ela manter um emprego. [...]

um assunto muito complexo e apresenta diferentes vises, pois o Brasil enfrenta uma realidade de violncia [...]

O que no fazer em uma introduoNo se posicionar sobre o assunto (tese) ou ficar em cima do muro.Tema: A insero do jovem no mercado de trabalho.A entrada do jovem no mercado de trabalho apresenta diferentes pontos de vista, positivos e negativos. Por um lado, importante para o crescimento profissional do jovem; por outro, o jovem pode abandonar os estudos para trabalhar. [...]

Muito discutido a respeito do jovem e o mercado de trabalho, assunto que gera diferentes opinies e que pode ser visto no dia-a-dia das pessoas.

O que no fazer em uma introduoUsar questionamentos em excesso, sem apresentar seu ponto de vista.Tema: Reduo da maioridade penal e o sistema carcerrio brasileiro.

A proposta de emenda constituio que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos tem sido amplamente discutida, sendo considerada uma soluo para a violncia. Mas ser que a reduo mesmo a soluo? As nossas prises tm a capacidade necessria?

A reduo da maioridade penal um assunto bastante discutido nos ltimos meses. A mdia apresenta as diferentes vises e reaes proposta. Mas o pas est preparado para isso?

O que no fazer em uma introduoDesenvolver demais o tema, j na introduo, sem contextualiz-lo.Tema: Reduo da maioridade penal e o sistema carcerrio brasileiro.O sistema carcerrio no Brasil est falido e no cumpre com a sua funo bsica, de punir os infratores e tambm reintegr-los sociedade. A populao dos presdios no pas de 550 mil, a quarta maior do mundo. O governo gasta, mensalmente, 1800 reais por preso e o percentual de reincidncia dos crimes de 75%. So muitos os problemas das penitencirias, no h separao por idade, h superlotao dos ambientes, as condies bsicas de sade e higiene so precrias e os profissionais policiais, agentes penitencirios, administradores, auxiliares so mal equipados, mal remunerados e no possuem plano de carreira, o que contribui para a precarizao do sistema.

Alguns tipos de introduoDeclarao inicial;Narrao;Aluso histrica;Enumerao dos argumentos (roteiro);Hiptese;Pergunta.

DeclaraoFaz uma declarao para dar incio ao tema proposto. A declarao expe diretamente o ponto de vista a ser desenvolvido no texto.Enquanto em Paris os nibus andam numa velocidade inferior das carroas do incio do sculo, em Kinshasa, no Zaire, na Avenue Bokassa, no centro da capital, a velocidade dos veculos no supera os dez quilmetros por hora no horrio de pico. A rpida transformao da vida em nossa poca provocou em toda parte um fenmeno de enormes propores: o trfego.(Declarao aps uma comparao especfica)

Trecho narrativoInicia o pargrafo atravs da narrao de uma sequncia de acontecimentos, como forma de ilustrar o tema a ser abordado. importante que a introduo no se limite ao trecho narrativo e deixe de lado o ponto de vista do autor.Escndalos constantes. Desvios de verba. Conduta antitica. Abusos de poder. Dcadas se passaram e a situao poltica do pas s parece piorar. A corrupo tornou-se algo corriqueiro e os cidados se acostumaram com isso. preciso que os direitos e deveres sejam respeitados para que, assim, essa realidade seja alterada.

HipteseApresenta o ponto de vista e uma hiptese sobre as causas do problema a ser abordado. importante que a hiptese seja comprovada no desenvolvimento, atravs da argumentao. Isso vale, tambm, para outros tipos de introduo que possam ser usados no texto. A questo da violncia contra o menor tem origem na misria - a principal responsvel pela desagregao familiar. As famlias, por no terem condies de sustento, acabam levadas a intrigas e discusses constantes, abuso da fora e, muitas vezes, explorao do trabalho infantil para garantir parte do sustento.

RoteiroAlm do ponto de vista, apresenta ao leitor ou leitora o roteiro da discusso que se seguir no desenvolvimento. Nesse tipo de introduo, importante que o desenvolvimento siga o roteiro proposto. Evite seguir outra linha de argumentao que se desvie do roteiro proposto.Para se analisar a questo da violncia contra o menor no Brasil essencial que se discutam suas causas e suas consequncias, alm de compreender o comportamento da sociedade que joga, sobre crianas e adolescentes, responsabilidades que muitas vezes no lhes cabem. Enquanto deveriam estar na escola e aproveitando momentos de lazer, muitos jovens acabam na marginalidade e no abandono.

Aluso histricaInicia o texto a partir de um evento ou marco na histria que esteja relacionado ao tema proposto.Em setembro de 1992, estudantes, vestidos e pintados com as cores da bandeira, foram s ruas protestar e pedir o impeachment de Collor. O movimento dos "caras-pintadas" foi um marco na luta contra a corrupo na poltica brasileira. No entanto, o que se v, hoje, uma acomodao da sociedade diante dos problemas. fundamental o engajamento poltico para que se possa combater esse entrave para o progresso.

Alm da aluso histrica, o exemplo de introduo tambm apresenta um roteiro dos argumentos que sero desenvolvidos ao longo do texto.

Pergunta feita uma pergunta ou uma sequncia de perguntas para questionar o tema proposto. importante que a introduo no se esquea de apresentar o ponto de visto do autor ou autora do texto, limitando a introduo apenas a uma srie de perguntas. Alm disso, qualquer pergunta que seja feita dentro do texto deve, necessariamente, ser respondida no texto.Os homens do sculo 19 propuseram nos termos da poca as questes que, apesar de toda a posterior concentrao dos esforos na realidade prpria dos textos, continuavam a intrigar os crticos: como funciona a mente de um escritor? Quais os fatores imponderveis que o levam a escrever isto e no aquilo, deste ou daquele modo?.

possvel imaginar o Brasil como um pas desenvolvido e com justia social enquanto existir tanta violncia contra o menor? Muitos dos problemas enfrentados pela sociedade tm origem na falta de oportunidades para jovens que, quando no sofrem violncia em casa ou nas ruas, recorrem a ela para sobreviver.

Exemplos de introduoIntroduo de redaes que receberam nota mxima nas avaliaes.

Vestibular: UFSCTema: A conflitante formao de valores nas novas geraes.

As famlias tm sido conceituada como a clula-base da sociedade, que concebem e desenvolvem novos indivduos, reproduzindo e alterando valores sociais, das mais variadas formas. A elas confiada a responsabilidade de formar os valores das geraes subsequentes. Questiona-se, entretanto, se estariam desempenhando esse papel e formando geraes moral e eticamente saudveis ou delegando-o a terceiros, arriscando produzir conflitos da mesma ordem consigo mesmas.

Vestibular: UFSCTema: A importncia do sonhar.

Somos sonhadores por natureza. Por possuirmos a capacidade exclusiva de raciocinar, projetamos, planejamos e viabilizamos, atravs dos meios necessrios e possveis, nossos ideais. Com isso, vamos vivendo, sonhando, concretizando e buscando objetivos.

Vestibular: UFSCTema: A importncia do sonhar.

Houve uma poca em que as pessoas acreditavam em um mundo melhor, numa vida mais tranquila, pois eram movidas por suas esperanas e seus sonhos. Nos dias de hoje, com o crescente aumento da concorrncia e com as infindveis dificuldades que foram surgindo, esses sonhos esto sendo esquecidos, ou armazenados numa caixinha secretamente protegida.

Vestibular: PUC-RIOTema: A efemeridade da vida.

A sociedade que se apresenta atualmente em grande parte do mundo para os cidados contemporneos aquela marcada por caractersticas tais como: capitalismo, racionalismo, materialismo, individualismo, avano tecnolgico, mercado competitivo dentre outros. Em conjunto, levam o ser humano a desenvolver um comportamento imediatista, tambm marca de tal sociedade. Esse comportamento torna tudo transitrio e faz a vida parecer mais curta e, quando menos se espera, ela se esvai completamente sem que a tenhamos aproveitado.

Vestibular: PUC-RIOTema: Infncia.

Como que se descreveria a infncia? Ver stio do Pica-Pau Amarelo comendo brigadeiro? Brincar de amarelinha e futebol de boto? Ir Disney, entre outros parque de entretenimento? Na verdade, cada gerao viveu uma infncia diferente e a infncia est em constante processo de mudana.

Vestibular: PUC-RIOTema: Infncia.

muito comum ouvir dos avs que a infncia a melhor poca de noss