Biorremediação de solo contaminado com óleo cru...

Click here to load reader

  • date post

    10-Nov-2018
  • Category

    Documents

  • view

    213
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Biorremediação de solo contaminado com óleo cru...

  • Biorremediao de solo contaminado com leo cru proveniente de Angola

    Felisberto Lucas Luis Muteca

    Orientadores

    Profa. Francisca Pessoa de Frana, D. Sc.

    Fernando Jorge Santos de Oliveira, D. Sc.

    Rio de Janeiro 2012

  • Felisberto Lucas Luis Muteca

    Dissertao de Mestrado

    Orientadores

    Profa. Francisca Pessoa de Frana, D. Sc.

    Fernando Jorge Santos de Oliveira, D. Sc.

    Maro 2012

  • i

    Ficha Catalogrfica

    M992b Muteca, Felisberto Lucas Lus. Biorremediao de solo contaminado com leo cru proveniente de Angola /

    Felisberto Lucas Lus Muteca. 2012. xxxi, 76 f.: il.

    Dissertao (Mestrado em Tecnologia de Processos Qumicos e Bioqumicos) Universidade Federal do Rio de Janeiro, Escola de Qumica, Rio de Janeiro, 2012.

    Orientadores: Prof. Dra. Francisca Pessa de Frana. Prof. Dr. Fernando Jorge Santos de Oliveira

    1. Biorremediao. 2. Solo. 3. leo cru. 4. Angola. I. Frana, Francisca Pessa de. II. Oliveira, Fernando Jorge Santos de. III. Universidade Federal do Rio de Janeiro. Programa em Tecnologia de Processos Qumicos e Bioqumicos. Escola de Qumica. .

    CDD: 660.63673

  • ii

    Voc nunca ir alm de onde seus sonhos o levarem.

    John C. Maxwell

  • iii

    Dedicatria

    Este trabalho carinhosamente dedicado aos meus

    pais Paulo Muteca Andr e Rebeca Luis, meus exemplos de vida, f,

    coragem e perseverana.

  • iv

    Agradecimentos

    imensa a alegria e a satisfao de terminar este processo rduo e intenso de

    formao. O esforo e a abnegao empreendidos resultaram naquilo que se pode

    verdadeiramente entender como formao em Mestrado em Tecnologias de Processos

    Qumicos e Bioqumicos. Embora meu nome aparea na capa deste trabalho como

    autor, aqueles que me conhecem sabem que ele no teria sido escrito sem o apoio direto

    ou indireto de pessoas cuja colaborao foi fundamental para que este processo de

    formao fosse um xito. Assim quero agradecer profundamente:

    aquele que foi, e sempre ser Deus. Pelo dom da vida, pelo dom de sonhar e

    animo pra lutar, por seu amor incondicional e incansvel sustento.

    Professora, Francisca Pessa de Frana, pelo apoio, orientao e conforto.

    Pela pacincia e amparo demonstrados diante das inquietaes e dificuldades ao longo

    de todo o processo de formao, sem os quais este processo de formao no teria

    certamente sido possvel.

    Ao Dr. Fernando Jorge Santos de Oliveira, pela orientao, pelo apoio sempre

    presente, colaborao e encorajamento, indispensveis para o desenvolvimento deste

    trabalho.

    Aos meus pais Paulo Muteca Andr e Rebeca Lus por me terem aberto as portas

    da escola, e me terem ensinado que por maiores que sejam os obstculos apenas com f,

    trabalho e persistncia podem ser ultrapassados.

    Aos meus irmos Avelina Benguela Andr (Lina) (in memorial), Andr Tom

    Muteca, Diniz Muteca, Ester Wandy (Mezinha), Ana Shilepo (Sila) e Paulo Muteca

    (J) pelo estimulo e apoios prestados durante toda a minha formao.

    A minha querida noiva Celeste Salom Ezequiel Correia, pelo amor, carinho e

    apoio sempre presentes independentemente das circunstancias.

  • v

    Aos meus tios Moises Ezequiel Chissonde e Ana Paula Chissonde por serem

    meu porto seguro, pelo amparo, conforto e encorajamento emocionais ao longo de todo

    o processo de formao.

    Aos manos Bernardo Chinoia Mussango e Ana Feca Mussango por seu

    encorajamento, oraes e suporte.

    Ao meu av Diniz Ezequiel pelo suporte, encorajamento e sabedoria sempre

    presentes.

    Um agradecimento especial dirigido a Marina Marinho da Fonseca (In

    Memorian), Heloisa Helena Marinho da Fonseca, Denise Marinho da Fonseca, Maria

    Helena Marinho da Fonseca e Sophia Kaczmarek, cujo estimulo, apoio e

    encorajamentos foram ao longo de todo o processo de formao como um osis no

    deserto e, sobretudo fundamentais pra suportar e vencer a saudade.

    Maria Filomena de Souza minha mame brasileira, pelo constante carinho,

    aconchego e amor, sem os quais as estaes que caracterizaram este longo e rduo

    perodo de formao teriam sido muito mais difceis de suportar;

    A Igreja Metodista em Copacabana, em especial aos pastores Weber Barbosa

    Chaves e Jonas Falleiro Junior pelo suporte e encorajamento espirituais indispensveis

    pra perseverar.

    A Sociedade de Mulheres da Igreja Metodista em Copacabana pelo apoio

    prestado desde o inicio ao final desta formao e principalmente pelo carinho e abrao

    fraterno, sem os quais minha caminhada teria sido muito mais fria.

    Aos meus irmos em Cristo em Angola, pelas oraes.

    Aos meus grandes companheiros de amizade e camaradas do laboratrio E-109:

    Diogo Simas, Flvia Padilha, Gustavo SantAnna, Renata Calixto, Carlos Eduardo

    Felippe, Milton Antrio, Teresa Cristina, Jamille Lima e Ulrich Vasconcellos, cuja

  • vi

    simpatia, disponibilidade e apoio foram importantssimos no apenas para a

    concretizao deste trabalho, mas, tambm para me sentir em casa embora estivesse

    longe de minha terra natal.

    Ao Governo da provncia da Hula-Angola, por permitir que me ausentasse do

    pas pra dar continuidade aos meus estudos.

    Ao Ministrio da Agricultura, Pecuria e Abastecimento da Republica

    Federativa do Brasil por ter permitido a importao de amostras de solo contaminado

    com leo cru, importantssimas para projeto de pesquisa.

    Ao Ministrio do Ambiente da Republica de Angola por me terem concedido

    autorizao para exportao de amostras de solo contaminado para o desenvolvimento

    do projeto de pesquisa.

    Somoil - sociedade de petrleos de Angola no municpio do Soyo, provncia

    do Zaire, por permitir que fizesse a coleta das amostras de solo contaminado com leo

    cru, em uma zona de explorao petrolfera sob sua jurisdio.

    Ao CNPq finalmente. Sou profundamente grato por todo apoio financeiro sem o

    qual esta formao no teria sido certamente possvel.

  • vii

    Biorremediao de solo contaminado com leo cru proveniente de Angola

    Felisberto Lucas Lus Muteca

    Dissertao submetida ao Corpo Docente do Curso de Ps-Graduao em Tecnologia de

    Processos Qumicos e Bioqumicos da Escola de Qumica da Universidade Federal do

    Rio de Janeiro, como parte dos requisitos necessrios para a obteno do grau de mestre

    em cincias

    Aprovado por: ______________________________________________________ Francisca Pessa de Frana, D.Sc. EQ-UFRJ (Orientadora Presidente da banca)

    _______________________________________________________ Fernando Jorge Santos de Oliveira, D.Sc. PETROBRAS

    (Orientador)

    _______________________________________________________ Marta Antunes P. Langone, D.Sc.UERJ

    _______________________________________________________ Walter B. Cravo Junior, D.Sc. PUC/RJ

    _______________________________________________________ Eliana F. C. Servulo, DSc. UFRJ

    Rio de Janeiro, RJ Brasil

  • viii

    Maro 2012

    Resumo de Dissertao de Mestrado apresentada ao Curso de Ps-Graduao em Tecnologia de Processos Qumicos e Bioqumicos da Escola de Qumica/UFRJ como parte dos requisitos necessrios para obteno do grau de Mestre em Cincias, com nfase na rea de Petrleo e Gs Natural.

    BIORREMEDIAO DE SOLO CONTAMINADO COM LEO CRU PROVENIENTES DE ANGOLA

    Felisberto Lucas Luis Muteca Maro 2012

    Orientadores: Profa. Francisca Pessoa de Frana, D.Sc. Fernando Jorge Santos de Oliveira, D.Sc.

    Os fortes impactos positivos macroeconomia incentivam o desenvolvimento do Setor de petrleo e gs natural em muitos pases. Na economia Angolana no diferente e com base em tal incentivo que Angola tornou-se um dos maiores produtores de petrleo bruto em 2009 dentre os pases de frica. Embora as atividades do setor de petrleo e gs sejam macroeconomicamente positivas, so por outro lado grandes geradoras de poluio e contribuintes da degradao ambiental, consumindo grandes quantidades de gua e de energia, produzindo grandes quantidades de despejos lquidos, liberando diversos gases nocivos atmosfera e produzindo resduos slidos de difcil tratamento ou disposio final. Assim, crescente a preocupao com os impactos ambientais decorrentes de atividades que geram volumes considerveis de resduos slidos, dentre os quais se destacam os solos contaminados por hidrocarbonetos. As tcnicas utilizadas para a recuperao de tais solos baseiam-se em processos fsicos, qumicos, trmicos e biolgicos. Entre as opes biotecnolgicas, o processo de Biorremediao em biorreator de lama destaca-se por ser extremamente til em degradar compostos altamente recalcitrantes embora, exija gastos adicionais com o transporte do material contaminado, com a construo de equipamentos para uma particular descontaminao e com mo-de-obra adi