UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE MARÍLIA ... · PDF filecampeonato; tres...

Click here to load reader

  • date post

    08-Nov-2018
  • Category

    Documents

  • view

    221
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE MARÍLIA ... · PDF filecampeonato; tres...

  • UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE MARLIA

    FACULDADE DE FILOSOFIA E CINCIAS

    urea Esteves Serra

    AS ASSOCIAES DE ALUNOS DAS ESCOLAS NORMAIS DO BRASIL E DE

    PORTUGAL: APROPRIAO E REPRESENTAO (1906-1927)

    MARLIA 2010

  • urea Esteves Serra

    AS ASSOCIAES DE ALUNOS DAS ESCOLAS NORMAIS DO BRASIL E DE

    PORTUGAL: APROPRIAO E REPRESENTAO (1906-1927)

    Tese de doutorado apresentada ao Programa de Ps Graduao em Educao da Faculdade de Filosofia e Cincias, da Universidade Estadual Paulista (UNESP), Campus de Marlia, como requisito parcial para obteno do ttulo de Doutora em Educao. rea de concentrao: Polticas Pblicas e Administrao da Educao Brasileira. Linha de pesquisa: Filosofia e Histria da Educao no Brasil. Orientadora: Professora Dra. Ana Clara Bortoleto Nery.

    MARLIA 2010

  • Ficha Catalogrfica Servio de Biblioteca e Documentao UNESP Campus de Marlia

    Serra, urea Esteves S4877a As associaes de alunos das escolas normais do Brasil e de Portugal: apropriao e representao (1906-1927) / urea Esteves Serra. Marlia, 2010. 290 f. ; 30 cm. Tese (Dourado em Educao) Faculdade de Filosofia e Cincias, Universidade Estadual Paulista, 2010. Orientadora: Profa. Dra. Ana Clara Bortoleto Nery. Bibliografia: f. 192-230. 1. Escola Normal. 2. Associaes. 3. Peridicos. 4. Formao de professores - Brasil. 6. Formao de professores - Portugal. I. Autor. II. Ttulo.

    CDD: 378.81

  • urea Esteves Serra

    AS ASSOCIAES DE ALUNOS DAS ESCOLAS NORMAIS DO BRASIL E DE

    PORTUGAL: APROPRIAO E REPRESENTAO (1906-1927)

    Tese de doutorado apresentada ao Programa de Ps-Graduao em Educao da Faculdade de Filosofia e Cincias da Universidade Estadual Paulista, campus de

    Marlia como requisito para obteno do ttulo de Doutora em Educao.

    BANCA EXAMINADORA

    _______________________________________ Dra. Ana Clara Bortoleto Nery

    _______________________________________ Dr Pedro Pagni

    _______________________________________ Dr. Bruno Bontempi Junior

    _______________________________________ Dra. Mrcia de Paula Gregorio Razzini

    _______________________________________ Dr. Joaquim Pintassilgo

    Marlia, 09 de fevereiro de 2010.

  • A Deus. Por tudo!

    Para

    Alvaro Esteves (In memorian).

  • AGRADECIMENTOS

    Esta tese significa a culminncia de uma trajetria acadmica. Muitas pessoas

    contriburam para a minha formao, me presenteando com sua amizade, me

    ensinando com seu exemplo. Apoiaram-me e estimularam ao longo dos anos. Como

    impossvel citar todas, expresso minha gratido a todos aqueles que porventura

    no tenha citado aqui.

    Agradeo a Deus, por ter me dado tranqilidade de esprito perante todas as

    dificuldades enfrentadas para realizao desta tese.

    minha orientadora, prof. Ana Clara Bortoleto Nery, pela orientao, pelo apoio e

    pela amizade que nasceu fruto da pesquisa e pelas orientaes e contribuies para

    elaborao desta tese. E tambm pelo incentivo quanto ao estgio no exterior,

    oportunidade essa de grande aprendizado acadmico e cultural.

    Ao professor Dr. Joaquim Pintassilgo, que com todo cuidado permitiu que minha

    estada em Portugal fosse a mais proveitosa possvel quanto orientao oferecida.

    Aos professores: Luiz Carlos Barreira e Pedro Angelo Pagni, pela participao no

    exame de qualificao, momento em que ofereceram sugestes para elaborao

    desta tese.

    Aos colegas do GEPAEFE, companheiros de trabalho, nas disciplinas cursadas e

    nos congressos. Em especial, ao merson, Jaqueline e Leila.

    SME de Birigui, Renata Nogueira, prof. Paulo Batista de Souza e prof Snia

    Regina Guaraldo o apoio concedido quanto s licenas especiais.

    A Capes, pela bolsa de Estgio de Doutoramento no Exterior que me propiciou uma

    oportunidade de me dedicar integralmente aos estudos.

    equipe da Seo de Ps-Graduao da UNESP de Marlia/SP.

    Aos amigos Andr, Giovani, Lica, Lucas, Luzia, Rafael, Zeca e Arnaldo pelo leva e

    trs Birigui Marlia e Lucy pelo Birigui So Carlos, livros, documentos etc e ao

    amigo frei Flvio pela mediao junto escola de Guaratinguet.

  • s responsveis pelos acervos: ESEC Dra. Margarida; ESELx Dra. Stella e prof.

    Moreirinhas; IPP Dra. tilia; Centro de Investigao em Educao da Faculdade

    de Cincias da Universidade de Lisboa Maria Isabel; Archives Institut J.-J.

    Rousseau Franois Bos; Archives Jean Piaget Silvia Parrat Dayan; Acervo

    Caetano de Campos CENP/SEE Fabiana Valeck Oliveira e equipe; Acervo da

    Escola Estadual Alvaro Guio prof Alessandra Arce e Instituto de Estudos

    Educacionais Sud Mennucci Ivanilde. Aos diretores dessas instituies quero

    expressar o meu reconhecimento pela forma simptica e acolhedora que fui

    recebida.

    Aos colegas: Luiz Carlos Barreira e Soalnge Franzi pela leitura e observaes,

    Andra Ramos pela reviso ortogrfica e Maria Luzinete Euclides, pela normalizao

    bibliogrfica.

    Aos meus familiares, esposo Antonio, av Manoel Esteves (in memorian), pai Alvaro

    (in memorian), me Antonia (in memorian), irmos Amauri, Amaurilio, Amarildo e

    Alvaro, irms Aureli, Alcilene e Amanda e aos sobrinhos (as) Alexandre, Bruna,

    Caroline, Felipe, Guilherme, Pietro e Roberto, pela pacincia quanto a minhas

    ausncias e o meu carinho de t-los em minha vida.

    Aos muitos amigos e amigas brasileiros conhecidos em Lisboa, pesquisadores como

    eu, que aventuraram-se na pesquisa no exterior, em especial a Bernadete, Ceclia,

    Christianni, Dimas, Dulcyene, Edeniro, Gladys, Lourdes, Reginaldo e Rosimeire e

    muitos outros que cruzaram o meu caminho, como a Ktia de Moambique. Meu

    abrao carinhoso.

    Aos amigos e amigas que cultivei: Lisboa Lucy, Moreirinhas e Stella, Genebra

    Fiorenzo, Lucineide e Carmlia, Bruxelas Chantal e Mrio. Meu agradecimento

    pela ajuda quanto pesquisa, e passeios culturais. E ainda aos amigos (as) de

    Lisboa um agradecimento especial aos casais Meire e Jackson, Cnthia e Ricardo,

    aos amigos do grupo de Taiz, do grupo Metania, as monjas do convento do

    Lumiar pela recepo e acolhimento, em especial a Stella, a Lucy, a Clia, Ir. Maria

    Jos e tantos outros.

  • Estudantada Um normalista, um artigo num jornal; dois normalistas, um

    jornal; tres normalistas, um Gremio. Um atheneuenses, um sportman; dois atheneuenses, um campeonato; tres atheneuenses, uma excurso ao interior.

    Um gymnasiano, um gymnasiano; dois gymnasianos, um choro; trs gymnasianos, uma Rainha.

    Um cezariano, um shoot; dois cezarianos, um time; trs cezarianos, um jogo com o Atheneu.

    Um alumno na Faculdade, um academico; dois academicos, um trote; tres academicos, uma photographia numa estatua da cidade.

    Um liceuense, um soldado; dois liceuenses, um peloto; tres liceuenses, uma passeata pela cidade.

    Um academico de Commercio, um estudante s direitas; dois academicos de commercio, um falho para ir ao cinema;

    tres academicos de commercio, um Tiro de Guerra. Um diocesano, um passeio ao Bosque dos Jequitibs; dois diocesanos, uma

    Academia de Letras; tres diocesanos, um Club Recreativo. (Revista de Ensino, 1914).

  • Resumo A partir da seleo de cinco peridicos (jornais e revistas) organizados por normalistas de duas Escolas Normais do Brasil e de trs de Portugal, no perodo de 1906 a 1927, esta tese tem como objetivo compreender e analisar as associaes de alunos existentes nessas escolas nesse perodo. So analisados os peridicos brasileiros: Excelsior, revista do Grmio Normalista 22 de Maro, da Escola Normal de So Carlos-SP; O Estimulo, revista do Grmio Normalista 2 de agosto, da Escola Normal da Capital-SP; e os peridicos portugueses: O Alvorecer, quinzenrio pedaggico da Escola Normal do Porto; Educao Feminina, jornal do rgo das Normalistas de Lisboa, da Escola Normal Primria de Lisboa e Os Novos, revista da Associao dos Alunos da Escola Normal Primria de Coimbra. Trabalhando numa perspectiva comparada, o procedimento dessa anlise, se centra nos dispositivos tipogrficos e nos contedos dos artigos dos peridicos, tendo como eixo metodolgico as idias de Roger Chartier, Michel de Certeau e Carlo Ginzburg. Os resultados obtidos confirmam que esses peridicos funcionaram como dispositivo e normatizao da formao de professores nas respectivas Escolas Normais atravs das associaes de alunos. No Brasil trata-se de um projeto de formao controlado pela administrao pblica e em Portugal um projeto pautado no desenvolvimento do self-government. Palavras-chave: Escola Normal. Associaes. Peridicos. Formao de professores no Brasil e em Portugal.

  • Abstract

    From the selection of five periodics (newspapers and magazines) organized by two normale students from Brazil and three from Portugal, in the period of 1906 until 1927, this thesis has as objective understand and analyze the students associations in this period of time. Are analyzed Brazilians periodic: Excelsior, magazines of Gremio Normalista 22 de maro Normal School from So Carlos SP; O Estimulo, Magazine of Grmio Normalista 2 de agosto from Normal School of capital SP; and portugueses periodics: O Alvorecer, a fortnight pedagogical of Normale School from Porto; Educao feminina, periodical from rgo das Normalistas de Lisboa, of the Primary Normal School from Lisboa and Os