TGI I _ YARA BOSCOLO BRAGATTO

Click here to load reader

  • date post

    24-Mar-2016
  • Category

    Documents

  • view

    219
  • download

    1

Embed Size (px)

description

Caderno de processos e produtos do TGI I 2012.

Transcript of TGI I _ YARA BOSCOLO BRAGATTO

  • PR _TGI _ 2011

  • PR _TGI O processo de pr tgi foi de extrema importncia para comear a definir os interesses arquitetnicos. Com o objeto houve a tentativa de criar relaes com o tecido urbano da cidade. Toda cidade composta de retalhos, e sempre h elementos que amarram esse tecido.

  • PR _TGI

    Como arquiteto, acredito que o lugar influencie cada percepo, cada emoo, cada ATIVIDADE HUMANA. (Piano, R. Giornale di bordo, Florena, 1997)

    Para Renzo Piano os lugares influenciam as pessoas. Concordo com ele, mas penso tambm no contrrio, na maneira como as pessoas podem influenciar o lugar. Pessoas do movimento a um lugar, pessoas povoam uma cidade. Sem elas, a arquitetura no funciona, o edifcio fica vazio, ningum olha para ele. Sem pessoas, os nibus no andam, as lojas no abrem, o cinema no funciona, o restaurante fica fechado. Para mim, as pessoas so as maiores articuladoras de qualquer sistema urbano. Creio que extremamente necessrio analisar socialmente, economicamente e histricamente cada regio, cada cidade ou rea de interveno projetual, pois tudo que no mbito e na escala das pessoas tem mais vida, mais sentido. Pode parecer vago, mas creio que para dar incio a qualquer espao sistmico essencial analisar quem ir utiliz-lo. Sei que no h uma unidade na cidade, e que tambm no possvel agradar a todos os moradores, pois como seres humanos, cada um possui uma idia de cidade diferente, muitas vezes, diferente at do que a do prprio planejador... Mas acho interessante pensar urbanismo como um plano. Um plano nem sempre exeqvel, nem sempre termina, muitas vezes muda no meio da execuo... Vrios fatores colaboram para que essas transformaes ocorram, e em sua maioria, so de cunho social; no social no sentido poltico, mas de sociedade, de conjunto de seres humanos. E na minha viso, so os diversos sistemas j existentes na cidade que proporcionam uma unidade capaz de cham-la de cidade.

    Se as pessoas so o combustvel de qualquer cidade, creio ser necessrio pensar sistemas que aumentem a qualidade de vida dessas pessoas. Acho importante analisar sistemas de transporte pblico, por exemplo, e como eles acontecem nas diferentes escalas urbanas, nas grandes metrpoles e nas pequenas cidades do interior, que muitas vezes nem possuem semforos! Espaos que proporcionem uma melhoria na qualidade de vida das pessoas, como parques, jardins, bosques, pois atualmente, o contato com a natureza cada vez menor, e nesse sentido ambiental creio que tambm seja importante analisar, por exemplo, as bacias hidrogrficas de uma regio e a maneira como as pessoas se relacionam com ela. Enxergar de onde vem esses elementos estruturais dentro de todas as cidades, e assim lidar com eles, seria minha maior inteno projetual (at o momento).

  • TGI I _ 2012

  • TGI I _ 2012 _ PROCESSO

  • REFERNCIAS

  • ENTREGAS

  • Universo Projetual

  • Aes projetuais

  • Projetos

  • Projetos Nessa fase do processo, a idia de SISTEMA era muito forte e presente nos estudos. A vegetao estava sendo pensada como elemento fornecedor de benefcios e capaz de ser levado para a populao para melhor servi-la. At este momento estava sendo pensado um sistema que abrigasse ao mesmo tempo uma reserva, uma distribuio e espaos para a contemplao.

  • Projetos Nesse ponto do processo foi realizada a escolha da rea de projeto, e trata-se da cidade de BAURU-SP. Os pontos de atuao no municpio foram sendo definidos e recortados com o tempo. Os conceitos tambm foram trabalhados e se modificaram para uma melhor articulao do binmio teoria/projeto.

  • Principais reas verdes qualificadas

  • Principais vias na cidade

  • reas interessantes

  • Vias interessantes

  • reas de interesse

  • Vias de interesse

  • reas e vias de interesse de atuao

  • reas de interesse administrativo

  • reas de interesse para feiras e eventos culturais

  • reas de drenagem

  • reas de prtica de esportes

  • reas com grande variedade de espcies

  • Fundao na dcada de 1930

  • Fundao na dcada de 1950

  • Fundao posterior a 1950

  • Praa Rui Barbosa

  • Praa Rui Barbosa

  • Praa das Cerejeiras

  • Praa das Cerejeiras

  • Praa Portugal

  • Praa Portugal

  • Parque Vitria Rgia

  • Parque Vitria Rgia

  • ATENDIMENTOS

  • TGI I _ 2012 _ PRODUTOS

  • CROQUIS E DESENVOLVIMENTO

  • Croquis e desenvolvimento Aps a interlocuo houve uma reflexo acerca da abrangncia da rea. Foi realizado um recorte e apenas duas praas selecionadas, sendo elas a Praa Portugal e o Parque Vitria Rgia. Houve o questionamento tambm acerca da aproximao da teoria e das diretrizes com os projetos em si. Nessa nova fase, houve a tentativa de aproximao maior entre esse dois elementos.

  • TGI I . 2012 . PASSEIO PBLICO URBANO

    Toda cidade pode ser percorrida, pode ser visitada. Alguns espaos so previamente qualificados para esse tipo de situao, outros no. Tornar espaos mais agradveis para esse tipo de atividade um dos objetivos desse trabalho. As caminhadas podem acontecer sob a sombra de uma rvore, reunies de pessoas em um espao mais adequado, esportes em grupo ou individuais tem a possibilidade de acontecer em ambientes mais estveis e apropriados. Reconhecer as necessidades do ambiente urbano o outro objetivo dessa investigao. E como nenhuma cidade capaz de existir sem seus habitantes, essencial ouvir suas necessidades e agir para eles. Agir na escala do pedestre priorizar quem faz todo o ambiente urbano funcionar. Mas o urbano carregado de cinza, de monotonia, e a sensibilidade est cada vez mais polida. Criar ambientes capazes de gerar sensaes e impresses seria uma maneira de retomar um lado muitas vezes esquecido pelo habitante do ambiente urbano. A aproximao com a natureza pode auxiliar nessa busca por paz e tranquilidade. Fazer o que for possvel para criar um ambiente agradvel, cheio de possibilidades, capaz de ser percorrido e passeado, no importando a origem do usurio, apenas sua necessidade de fugere urbem.

  • Croquis e desenvolvimento A principal referncia terica utilizada nesse trabalho, Kevin Lynch e a Imagem da Cidade, fez surgir a vontade de olhar para a rea escolhida focando em cinco elementos, sendo que trs foram mais trabalhados:

    1-VIAS . As pessoas dependem da continuidade das vias. E importante saber encontrar a direo da rua, saber se localizar nela, onde o seu comeo e fim, o que h nesses pontos, e sua importncia dentro do contexto virio. Mesmo que empricamente, essa relao se d a todo momento e est intrinseca na mente do usurio. 2- CRUZAMENTOS . Cruzamentos podem ser junes ou concentraes, mas tambm marcam de modo geral, algo importante acontecendo. Ele no necessariamente precisa ser um n, mas se possuir uma forma peculiar, o processo de memorizao e imaginabilidade fica mais fcil. 3- ELEMENTOS MARCANTES . So essenciais na orientao da cidade, porm muitas vezes eles se deslocam do sue ambiente. So originais e memorveis, e at nicos no contexto, e se destacam do contexto por diferentes motivos.

  • Croquis e desenvolvimento Foi observada a existncia de duas quadrculas diferentes na rea trabalhada. Esse fator deixa evidente as diferentes temporalidades existentes na cidade. Essas quadrculas foram essenciais, mesmo que de uma forma abstrata, na elaborao do projeto.

  • Croquis e desenvolvimento As diferentes temporalidades e as estruturas virias do origem a diferentes situaes. Na rea de projeto foramr econhecidas 5 situaes:

    1 . Cruzamento 90 graus 2 . Cruzamento diferente de 90 graus 3 . Cruzamento em T 4. Cruzamento em Y 5. Rotatrias

    Cada um deles elementos deve ser trabalhado tendo em vista sua peculiaridade, e com o intuito de formar uma linguagem reconhecvel e legvel no contexto urbano.

  • Croquis e desenvolvimento Cada um desses elementos deve ser trabalhado tendo em vista sua peculiaridade, e com o intuito de formar uma linguagem reconhecvel e legvel no contexto urbano.

  • Croquis e desenvolvimento Intenes de relaes entre a vegetao

  • Croquis e desenvolvimento Intenes de relaes no lugar

  • Croquis e desenvolvimento Intenes de relaes no lugar

  • Croquis e desenvolvimento Estudos de mobilirio de uso variado

  • Croquis e desenvolvimento Estudo da relao do espao pavimentado plano (quadra/feiras/eventos)

  • Croquis e desenvolvimento O Percurso . O ato de passear caracterizado por um percurso. Foram selecionados ento, dois pontos de origem/destino para tal, sendo I . Parque Vitria Rgia, um dos ponto mais baixos da cidade e II . Praa Portugal, um dos pontos mais altos. Entre esses espaos foram selecionadas vias principais para serem trabalhadas, mas o pedestre que determina o seu passeio.

  • Croquis e desenvolvimento Praa Portugal

  • Croquis e desenvolvimento Parque Vitria Rgia

  • PRODUTOS

  • Produtos O Percurso .

  • Produtos Parque Vitria Rgia Este parque um dos cartes postais da cidade. Atualmente utilizado para eventos, festivais, shows e feiras. No novo projeto, o parque contar com trilhas para caminhada e corrida, trs anfiteatros a cu aberto, rea de apoio, parque infantil, aparelhos de ginstica a cu aberto, alm de outros espaos multiuso. Os espaos forma pensados para serem usados em diversas ocasies.

  • Produtos Parque Vitria Rgia Alteraes virias e sentido das vias

  • Produtos Parque Vitria Rgia Planta de implantao

    B