Tgi grupo jamar

download Tgi grupo jamar

of 12

  • date post

    11-Aug-2015
  • Category

    Documents

  • view

    44
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Tgi grupo jamar

  1. 1. Instituio: Faculdade Carlos Drummond de Andrade Curso: Pedagogia Perodo Manh Tatuap - Mdulo I Disciplina: Leitura e Produo de Texto Professor Ms: Jamar Monteiro Alunos: Cleusa da Graa Nassif - RA: 555375 Daniela Silva Gomes Picolo - RA: 554493 Giseli da Silva Miguel - RA: 546268 A leitura alimenta a imaginao, acalenta o corao e enobrece a alma. Trabalho de Blog apresentado como requisito de avaliao do TGI do 1. Semestre do ano de 2015.
  2. 2. Introduo A comunicao permitiu ao homem se desenvolver ela , portanto, crucial para o desenvolvimento da evoluo humana e imprescindvel para a cultura. Nesse blog busca-se elucidar algumas questes relativas ao momento histrico e atual em nosso pas trazendo algumas estatsticas, solues exemplos e entrevistas que se aplicam no atual momento. A base metodolgica foi pesquisa em website e entrevista com professores de ensino infantil e fundamental que nos permitiu o acesso a diversas formas de ver e pensar sobre o incentivo a leitura e alimenta a esperana na construo de um futuro pas rico em cultura e vido pela leitura. Poderemos tornar o Brasil um pas de leitores? Falar sobre a importncia de estimular a leitura e o interesse pelos livros j nos primeiros anos escolares no um tema novo. No entanto na ltima dcada houve um maior empenho por parte dos educadores e das grandes instituies na busca por tornar a leitura mais presente e significativa desde os primeiros anos de vida. Em 2011 O Instituto Pr-Livro realizou com o apoio da Abrelivros, CBL e SNEL e aplicada pelo Ibope Inteligncia a 3. edio da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil com o objetivo de conhecer e avaliar o perfil do leitor e suas motivaes para a leitura, bem como livros e preferncias. Concluiu-se que temos 88,2 milhes de leitores, ou seja, 50% da populao somente. Metade dos 178 milhes de leitores em potencial do pas leu pelo menos uma obra completa no ano anterior, sendo que 64% reconheceram a leitura como fonte de conhecimento para a vida. O nmero diverge grandemente dos pases mais desenvolvidos e inclusive dos pases emergentes como o nosso. Mas porque as pessoas no leem? fcil reduzir o problema ao fator financeiro, a primeira ideia que nos vem exatamente a de que as pessoas no leem por conta do preo dos
  3. 3. livros. No entanto a pesquisa revelou que essa questo fica em 13. lugar, sendo a falta de interesse e de tempo os fatores principais. Rafael Soeiro editor da revista Super Interessante escreveu em 2010 a matria: Por que o brasileiro l pouco? Em que ele aponta para uma questo a se pensar quando diz: O problema antigo: muitos brasileiros foram do analfabetismo TV sem passar na biblioteca. O hbito da leitura no uma tradio em nosso pas e o estmulo que deveria acontecer em casa desde muito cedo muitas vezes s ocorre com a entrada na escola com o incentivo do professor o que acaba fazendo com que se perca na medida em que os alunos deixam a escola. A pesquisa revelou que a TV a Msica e o Rdio ocupam os primeiros lugares sendo que a leitura ficou em 7. Lugar. Algumas perguntas ento se tornam insistentes para aqueles que persistem em tornar o Brasil um pas de leitores, tais como: Como despertar no jovem o gosto pela leitura? Quais prticas so efetivas na mediao da leitura? Como formar municpios e professores leitores? Qual o percurso para a construo de um pas de leitores? O que j alcanamos e o que ainda falta construir? Esse texto para o blog no tem a pretenso de responder essas perguntas sabendo quo complexo resolver essas questes e torn-las prticas, tendo por objetivo somente mostrar uma faceta dessa realidade e a importncia da leitura na evoluo no sentido humano, com foco no despertar do interesse na educao infantil.
  4. 4. Sabe-se da importncia em projetos e investimentos governamentais que motivem a iniciativa leitura como o exemplo do Vale Cultura que traz bons resultados em nmeros relativos s estatsticas oficiais do Ministrio da Cultura, mas que ainda est aqum de refletir uma melhora significativa. Investir em polticas de acesso somente, no basta, preciso descobrir um meio de cativar e de encantar para o universo da leitura. Sabemos historicamente que o Brasil foi construdo pela cultura do trabalho onde nossos ancestrais preocupavam-se mais com o sustento e o trabalho do que com a cultura erudita como outros pases de razes Europeias. O momento para o cio criativo restrito e o entretenimento domina no quesito lazer, por isso a TV, o cinema os passeios vem em primeiro lugar e a leitura muitas vezes imposta como uma funo exigida pela escola para a execuo de trabalhos, ligando-se a um sentido obrigatrio, alm do que muitas vezes o acervo escolhido pelos professores no fazer parte da vivncia cotidiana do aluno o que torna o encantamento pelo livro ainda menor, por no haver uma identificao. Por outro lado a tecnologia com o intuito de melhorar e facilitar a vida do homem acabou afastando-o do livro e nos perguntamos se estamos ento diante de um paradigma a ser superado sendo que o computador e a internet vieram para substituir os livros tornando a informao mais rpida e utilitria? A resposta No. Sabemos que o grande problema das facilidades tecnolgicas est nas informaes incorretas. A falta de uma viso crtica e reflexiva que busca um sentido mais verdadeiro para o que recebido acaba por massificar e alienar o pensamento. E aqui ento que se comprova a enorme importncia da leitura na construo de um ser dignamente autnomo e crtico diante do que v, atravs da capacidade de reflexo que se desenvolve com o tempo e com a mediao do professor. O sentido da vida deve ser realizar-se como ser humano que pensa e evolui por si mesmo. Assim como no possvel haver equilbrio psquico sem o sonho durante o sono, talvez no haja equilbrio social sem a literatura. Deste modo, ela fator indispensvel de humanizao e, sendo assim, confirma o homem na sua humanidade. (...) Antonio Candido O direito literatura.
  5. 5. Mas a tecnologia no pode ser totalmente responsabilizada pela falta de interesse sendo que ela pode tambm auxiliar como ferramenta moderna que instiga a vontade leitura, o aprendizado de outras culturas vendo que sua principal caracterstica a globalizao e a abertura para conhecer novas culturas ampliando os horizontes pela sua abrangncia e amplitude, sabendo disso algumas empresas de software como a Universia Brasil criaram aplicativos diferenciados como: Aesops Quest- Para crianas que iniciam no ingls aprenderem atravs de jogos e contos clssicos, respondem a perguntas com mais interao. Gatsby`s Light Literature Analysis Guide- um software criado para que as crianas compreendam a literatura clssica com uma viso mais profunda sobre movimentos literrios, anlise de obras, prosa e poesia com questes. Marvin- Leitor de e-books que facilita a assimilao dos contedos e a capacidade de interpretao dos textos em ingls. Shakespeare Pro- Que une as obras de Shakespeare, que permite procurar palavras e termos que aparece em vrias obras (hipertexto) que facilita as pesquisas e o acesso s obras desse importante escritor. Reading Trainer- Que permite o aluno treinar a velocidade por meio de jogos que necessitam de rpida compreenso para adquirir maior fluncia na leitura. Outros aplicativos auxiliadores que encontramos foram: Smartsters (Windows) aplicativo gratuito que serve como proposta que auxilia a criana a soletrar, reconhecer padres e usar a lgica.
  6. 6. iStory Books (Android, iOS iPad e iPhone) apresenta livros com udio e texto, os pais e professores podem utilizar lendo para eles ou deixando que eles explorem as variadas histrias que abordam temas multidisciplinares. Porm apesar da gerao Y ser quase dependente das novas tecnologias h como resgatar a boa leitura pelo livro tradicional sem que esse seja visto como ultrapassado. Seja pela modernidade ou pela forma clssica a leitura nos permite tambm construir referncias internas, desenvolve a imaginao e instiga a fantasia, nos permite criar, o que diferente de buscar uma leitura utilitria e vaga, pronta e instantnea. Ela desenvolve a subjetividade das novas ideias possibilitando recriar a realidade partir de um processo ativo de construo interior, e nessa viagem desperta o gosto pela leitura. Aps ser dominado pelo prazer da leitura a tendncia torn-la fonte de lazer e prazer indispensvel o que a mesma pesquisa constatou ao avaliar que aqueles que passaram a ter a leitura como hbito se tornaram leitores assduos. Existem muitas pessoas engajadas e que acreditam que ainda h esperana para gerar futuros leitores so pessoas que pensam em ideias diferentes para estimular o interesse, como o caso de Daniele Carneiro e Juliano Rocha que por meio da mdia divulgam iniciativas de incentivo pelo blog Bibliotecas do Brasil que permitiu criar uma rede de contatos com trocas de experincias entre bibliotecas do Brasil. http://pt.globalvoicesonline.org/2015/01/26/livros-leitores-bibliotecas- brasil/
  7. 7. Para isso foi necessrio olhar para o livro e a biblioteca no mais como aquele lugar silencioso e fechado cheio de obrigaes quanto devoluo e cadastro, houve a necessidade de tornar a adoo e o emprstimo uma forma mais livre, descontrada e criativa como deixar os livros mais acessveis com algumas propostas de expor os livros em geladeiras, carrinhos de feiras, caixas etc... Unir a literatura e a arte urbana numa mistura original. http://www.bibliotecasdobrasil.com/p/downloads.html
  8. 8. Em casa os livros devem ser acessveis s crianas, podem fazer parte da decorao e at servir como utenslios, o contato constante acaba por tornar o livro de manuseio fcil e natural. O hbito deve ser fomentado desde muito cedo e os livros devem estar sempre disposio na altura dos pequenos para que mesmo antes do letramento tenham o contato com os livros. Se isso no for possvel na realidade familiar deve ser uma funo prioritria na fase escolar em que est nas mos do professor tornar isso natural no s para os alunos como para ele prp