Romantismo prosa

download Romantismo prosa

of 37

  • date post

    23-Jun-2015
  • Category

    Education

  • view

    1.465
  • download

    4

Embed Size (px)

Transcript of Romantismo prosa

  • 1. P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A

2. P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 3. P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 4. P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 5. P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 6. Tipos: urbana, regional, indianista e histrica; ndio como heri; Idealizao da nao; Passado histrico glorioso; Interesses da elite; Adequao ao novo pblico leitor; Linguagem "brasileira". P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 7. P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 8. P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 9. PROSA O primeiro romance brasileiro O filho do pescador, de Teixeira e Souza foi publicado em 1843, entretanto no conquistou muita popularidade, pois apresentava uma trama bastante confusa. Foi com A Moreninha (1844), de Joaquim Manuel de Macedo, que surgiu o verdadeiro romance romntico brasileiro. P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 10. A PROSA EST COMPREENDIDA EM QUATRO CATEGORIAS: Prosa social-urbana ambientada nas cidades; Prosa histrica - incorpora figuras histricas ou at lendrias, situando-as em seu tempo e espao reais. Prosa Indianista (que tambm histrica) tem como protagonista o ndio focalizado tambm, como na poesia, em uma perspectiva heroica; Prosa Regionalista necessidade de valorizar culturalmente todo os espaos do Brasil. P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 11. JOS DE ALENCAR Mais que um escritor romntico, Jos de Alencar tentou construir as bases de uma literatura tipicamente brasileira. Com longas metforas e seu modo de escrever peculiar, Alencar critica o Rio de Janeiro imperial e os costumes da sociedade brasileira. Suas crticas sociedade da segunda metade do sculo XIX renderam ao autor diversas crticas negativas na poca. P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 12. MANUEL ANTNIO DE ALMEIDA De junho de 1852 a julho de 1853 publicou, anonimamente, os folhetins que compem as "Memrias de um Sargento de Milcias", reunidas em livro entre 1854-55, em dois volumes, com o pseudnimo de "Um Brasileiro". Na 3 edio, em 1863 - j pstuma - apareceu seu nome verdadeiro. Seu romance fez sucesso pelo humor imparcial e amoral, o estilo coloquial e, principalmente, por seu grande talento como narrador. P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 13. BERNARDO GUIMARES 15/8/1825, OURO PRETO (MG) 10/3/1884, OURO PRETO (MG). Em 1875, publicou o romance que melhor o situaria na campanha abolicionista e viria a ser a mais popular das suas obras: "A escrava Isaura". Vale ressaltar que apesar de todas as crticas literrias com relao obra- a vitalidade de sua narrativa, o torna um sucesso, j duas vezes adaptado para as novelas de televiso. Uma delas, exibida em vrios pases do mundo, fez tamanho sucesso na China, que tornou a atriz Luclia Santos (que fez o papel de Isaura) uma celebridade naquele pas. Capa da edio francesa P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 14. P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 15. I. Romance Romntico UrbanoP R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 16. Ambientado no Rio de Janeiro, com temtica envolvendo amor e dinheiro. Destaque dado s personagens femininas. P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 17. O Filho do Pescador (1843) Teixeira de Sousa Antecedente: P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 18. Marco Inicial: A Moreninha (1844) Joaquim M. de Macedo P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 19. Joaquim Manuel de Macedo O moo loiro, A luneta mgica, As mulheres de mantilha. Tambm escreveu vrias comdias e dramas. Escreveu aproximadamente 20 romances: P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 20. Famoso por seu nico romance: Memrias de um sargento de milcias (1854-1855). Manuel Antnio de Almeida P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 21. Jos de Alencar Principais romances: Senhora e Lucola. Os outros: A viuvinha, Diva, A pata da gazela, Sonhos douro, Encarnao Principal romancista romntico. Enquadra-se tanto dentro do romance urbano como no romance regionalista. P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 22. II . Romance Romntico IndianistaP R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 23. O ndio como protagonista, idealizado; a paisagem selvtica; a linguagem e os costumes indgenas; o confronto entre as civilizaes indgena e europeia P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 24. O guarani: o ndio goitac Peri protegendo e salvando sua amada Ceci, uma branca... Iracema: a ndia tabajara e seu devotado amor por Martim, um guerreiro branco... Ubirajara: os feitos e os afetos de Jaguar, ndio araguaia, no perodo pr- cabalino... P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 25. III. Romance Romntico HistricoP R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 26. painel de poca, remontando aos primrdios de nossa formao scio-cultural. P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 27. a explorao, em tom de comdia, da histrica rivalidade entre os brasileiros de Olinda e os portugueses do Recife, por volta de 1710. Guerra dos mascates: P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 28. A reconstituio do perodo colonial da Bahia seiscentista. As minas de prata: P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 29. II. Romance Romntico Regionalista P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 30. Romance regionalista: tentativa de caracterizao do que, na poca, eram as grandes regies do pas: P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 31. Bernardo Guimares Iniciador do romance romntico sertanista (regionalista) com O ermito de Muqum (1866). Autor de uns dez romances, sendo mais famosos: O seminarista, O garimpeiro e A escrava Isaura. P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 32. Franklin Tvora O Cabeleira, Cangaceiro clebre, precursor de Lampio. Polmico , critica o regionalismo de Alencar e sustenta que o Norte/Nordeste tm melhores condies de produzir uma autntica literatura brasileira. P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 33. Seu romance mais conhecido O Cabeleira (1876). Misto de reconstituio histrica e regionalismo, conta a vida de Jos Gomes P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 34. Norte (O sertanejo); Sul (O gacho); Centro (O tronco do ip; Til). A paisagem local; os habitantes: tipos, costumes, atividades, estruturas sociais e linguagem. P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 35. Visconde de Taunay Embora romntico pela trama amorosa, o romance apresenta carter realista pela preciso, detalhismo e verossimilhana nas descries. P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 36. Inocncia (1872). a histria comovente e dramtica de Cirino e Inocncia, passada nos sertes do Mato Grosso. P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A 37. Aspectos temticos Sofrimento A caminhada do sertanejo em busca de seus objetivos atravs de longas distncias, sendo que no percurso, existe a dificuldade do abrigo. Simplicidade claramente observada atravs do comportamento e dilogos entre as personagens tpicas. Contradies Comprava-se entre o jeito de ser do serto e a forma avanada da Europa (Pereira e Meyer). Amor impossvel Um amor to puro e verdadeiro que por falta de condies de existncia preferiu a morte, ou pelo menos, foram levados a ela. Honra Pereira para manter a honra familiar, sacrificava sua prpria filha, j que sua palavra estava acima de tudo. Beleza retratada atravs da paisagem do serto e da jovem Inocncia. Escravido representada por Maria Conga e outros.P R O F . J O S A N T O N I O F E R R E I R A D A S I L V A