REVISTA CIPA 438

Click here to load reader

  • date post

    06-Jul-2018
  • Category

    Documents

  • view

    257
  • download

    2

Embed Size (px)

Transcript of REVISTA CIPA 438

www.revistacipa.com.br
substâncias químicas
JOSÉ LEANDRO DA SILVA NETOO papel do engenheiro do trabalho
AGROTÓXICOS PROTEÇÃOCONTRA
COMO GARANTIR A SEGURANÇA DOS TRABALHADORES QUE APLICAM DEFENSIVOS AGRÍCOLAS
Disponível
Compartilhe
Combate a Incêndio
Com mais de 25 anos de mercado, nós, Hércules, contamos com a mais completa e respeitada linha de soluções em proteção ao trabalhador. Por isso investimos forte no desenvolvimento de novos e inovadores produtos, de modo a entregar sempre o
melhor para aqueles que se dedicam em prol de todos.
Reconhecidos por nosso compromisso de prover o mercado com um portfólio completo de equipamentos de proteção individual, nos comprometemos em
garantir qualidade e alta performance dos produtos, assegurando que vocêtenha a melhor solução quando o quesito é segurança.
Um histórico que ca ainda mais forte diante de nosso compromisso: Estar ao seu lado, sempre e em qualquer lugar.
Trabalho em Altura
Odontologia do Trabalho ..................................66
ENTREVISTA
SST Global .......................................................10
Cipa Notícias ....................................................12
Fique Sabendo .................................................22
http://slidepdf.com/reader/full/revista-cipa-438 5/108
Líder em equipamentos de proteção, a LEAL é especializada também em projetos e instalações de linhas de vida. Nossa equipe mapeia as
necessidades de cada cliente e implementa a melhor solução para que os trabalhadores fiquem protegidos em conformidade com as normas NR35, sem perder a flexibilidade e a produtividade.   Nosso trabalho contempla: · ART (Anotações de Responsabilidade Técnica); · Memorial de cálculo; · Projeto Executivo; · Book técnico; · Instruções de uso do sistema.   Fazemos instalações para as seguintes áreas:
· Linha de Vida para Carga e Descarga · Linha de Vida em Trilho ou Cabo de Aço · Linha de Vida em Telhado · Fabricação e Instalação de Escada Marinheiro · Entre outros   Na hora de projetar uma linha de vida em sua empresa, confie em quem já se mostrou a melhor.
Confiança em alta.
(11) 2189 5333
(11) 2189 5300
Odontologia do Trabalho ..................................66
ENTREVISTA
SST Global .......................................................10
Cipa Notícias ....................................................12
Fique Sabendo .................................................22
http://slidepdf.com/reader/full/revista-cipa-438 7/108
Líder em equipamentos de proteção, a LEAL é especializada também em projetos e instalações de linhas de vida. Nossa equipe mapeia as
necessidades de cada cliente e implementa a melhor solução para que os trabalhadores fiquem protegidos em conformidade com as normas NR35, sem perder a flexibilidade e a produtividade.   Nosso trabalho contempla: · ART (Anotações de Responsabilidade Técnica); · Memorial de cálculo; · Projeto Executivo; · Book técnico; · Instruções de uso do sistema.   Fazemos instalações para as seguintes áreas:
· Linha de Vida para Carga e Descarga · Linha de Vida em Trilho ou Cabo de Aço · Linha de Vida em Telhado · Fabricação e Instalação de Escada Marinheiro · Entre outros   Na hora de projetar uma linha de vida em sua empresa, confie em quem já se mostrou a melhor.
Confiança em alta.
(11) 2189 5333
(11) 2189 5300
  www.revistacipa.com.br
Regulamentação da profissão de mergulhador A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 6.133/13, do
deputado licenciado Sergio Zveiter (PSD-RJ), que reconhece a profissão de mergulhador. O texto aprovado é um substitutivo
do relator, deputado Benjamin Maranhão (SD-PB), que considera mergulhador profissional aquele
que participa de atividades subaquáticas em ambiente hiperbárico, com fins de apoio à extração
de recursos naturais, à pesca profissional, à prestação de socorro, ao resgate de objetos e pessoas,
à construção e manutenção de unidades e estruturas submersas e à instrução de mergulho
profissional. O texto reconhece dois tipos de mergulhadores profissionais: o primeiro, do tipo raso, é
aquele cujo exercício se limita a 50 metros de profundidade. O segundo, do tipo profundo, quando
ultrapassa esse limite. Confira a matéria na íntegra no site da  Cipa, seção “Legislação ”.
Aposentadoria especial A Comissão de Serviços de Infraestrutura aprovou o Projeto
de Lei Complementar 233/2003 que pode consolidar em uma
única norma todas as regras para a concessão de aposentadoria
especial. Atualmente essas regras estão dispersas em diferentes
leis, decretos e portarias. O projeto, do senador Paulo Paim (PT-
RS), foi aprovado na forma do substitutivo apresentado pelo
relator, Acir Gurgacz (PDT-RO), que acatou parte das mudanças
sugeridas pelo autor. Uma delas é a permissão para expedição
do laudo técnico-profissional por pessoa que não seja médico do
trabalho ou engenheiro de segurança do trabalho. O documento
também poderá ser emitido pelo Ministério do Trabalho ou pelas
delegacias regionais do trabalho. Leia a matéria completa na
seção “Legislação” , do site da revista Cipa.
Empresas culpadas por acidentes de trabalho na mira do governo A site da revista Cipa  divulgou que o Governo Federal prepara
uma estratégia para alavancar as ações de empresas culpadas por
acidentes de trabalho de seus funcionários. A projeção é dobrar
até 2017 o ritmo de apresentação de processos de cobrança à
Justiça, além de priorizar os casos coletivos. A cada ano, cerca de
400 ações de cobrança, conhecidas como regressivas, são levadas
à Justiça. O número de benefícios previdenciários decorrentes de
acidente de trabalho, entretanto, é bem maior: em 2013 foram
concedidos 377 mil novos benefícios. Embora nem todos sejam
de responsabilidade do empregador, a Procuradoria-Geral Federal,
que representa o governo na Justiça, considera que o número de
processos é tímido demais. Para elevar o volume, o órgão criará
ainda este ano um grupo especializado nessas ações. A ideia é
chegar a cerca de 800 processos por ano em 2017.
Pesquisa sobre formação profissional em segurança do trabalho O Sintesp (Sindicato dos Técnicos de Segurança do Trabalho do Estado de São Paulo) elaborou e publicou no seu portal na internet  
uma pesquisa de formação profissional dirigida aos profissionais técnicos de segurança do trabalho do Estado de São Paulo, base
territorial abrangida pela entidade. O objetivo foi criar subsídios para discussões sobre a qualidade do ensino da
formação profissional e a criação de um currículo escolar que atenda aos anseios da categoria e das necessidades
relacionadas à formação profissional, frente aos desafios atuais. Dentre vários apontamentos, o estudo
destaca que a formação em técnicos de segurança do trabalho requer uma complementação. Por meio
da pergunta “após a conclusão do curso, consideraram que faltou algum tema no aprendizado?”,
54,24% dos profissionais informaram que sim, 30% responderam que não, 12% não souberam
informar e 3,24% não responderam. Saiba mais em www.revistacipa.com.br
8/17/2019 REVISTA CIPA 438
Taxa de acidentes de trabalho em Portugal
S omente entre janeiro e julho de 2015 cerca de 76 pessoas morreram em acidenteslaborais em Portugal. Segundo a agência de notícias RTP, o país possui a maior ta-
xa de acidentes de trabalho da Europa. Os dados da ACT (Autoridade para as Condi-
ções de Trabalho) registram 135 mortes em acidentes de trabalho. Em 2015, como nos
anos anteriores, o setor de construção civil aparece como o mais perigoso.
O Ministério da Promoção do Trabalho e Emprego do Peru e o EsSalud (Seguro de
Saúde Social) assinaram um acordo interinstitucional para promover a integração
efetiva e sustentável de pessoas com deficiência ao mercado de trabalho, por meio da
aliança estratégica de serviços de emprego do Ministério com habilitação e reabilita-
ção do EsSalud. O ministro Maurate Daniel Romero disse que equipes técnicas das duas
instituições vão trabalhar juntas para concretizar a integração. “Com este trabalho em
conjunto voltado ao emprego e reabilitação, esperamos atingir em 2016 mais de 2000
pessoas com deficiência seguradas”. A CEO da EsSalud, Virginia Baffigo, salientou que
esta ação facilitará também o atendimento de demandas específicas de empregadores
que estão à procura de trabalhadores com deficiência.
A França reconheceu co-
mo uma doença ocupa-
sistema imunológico, o linfo-
ma não-Hodgkin, que afeta
exercício de sua profissão.
lização dos pesticidas, inala-
tados ou manutenção de
máquinas para aplicação de
pesticidas”, informa o decre-
to expedido pelo Ministério
timas consigam obter assis-
denização”, afirmou em co-
municado a associação Phy-
to-Victimes, que milita pelo
do, foram qualificados como
possíveis ou prováveis cance-
Mundial de Saúde). O glifo-
sato, presente entre outros no
Roundup, e os inseticidas ma-
lathion e diazinon foram clas-
sificados como prováveis can-
IARC (Agêcia Internacional de
Investigação sobre o Câncer),
com sede em Lyon, na França.
O Ministério do Trabalho da Colômbia, em parceria com a Acoset (Associação Co-
lombiana de Empresas e Serviços Temporários), desenvolveu um guia que forne-
ce técnicas básicas para promover e proteger a saúde dos trabalhadores temporários. O
material, que estabelece diretrizes para implementação do SG-SST (Sistema de Gestão
de Segurança e Saúde no Trabalho), foi formulado principalmente para que as empre-
sas que utilizam esse tipo de mão de obra saibam exatamente como prevenir possíveis acidentes e doenças ocupacionais. A medida foi tomada para tentar barrar o crescimen-
to da taxa de acidentes com trabalhadores temporários, que saltou de 10,7% em 2014
para 12,3% no ano passado, de acordo com dados do governo colombiano.
Reinserção laboral
Sesc MS oferece cursos para prevenir acidentes de trabalho
E m Mato Grosso do Sul, no intuito de alcançar a qualidade de vida para os trabalhadores do comércio, o Sesc MS oferece cursos voltados à saúde do trabalhador para auxiliar o empresário no cumprimento de suas responsabilida-
des em face a legislação atual. Dentre as obrigações legais, estão: elaboração de PPRA (Programa de Prevenção de Ris- cos Ambientais) em conformidade à NR-9; curso de capacitação para membros de CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) de acordo com a NR-5; e realização de SIPAT (Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho), com temas voltados à saúde do trabalhador como, por exemplo, álcool, tabaco, drogas, DST/AIDS, dentre vários outros. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (67) 3311-4300.
8/17/2019 REVISTA CIPA 438
 ARTEFLEX recebe nova certificação para a tecnologia Gore-Tex
F rancisco de Assis Olivei- ra criou um macacão pa-
ra trabalhadores da indústria e da construção civil que se destaca por ter já embuti- dos na própria peça os cin- tos de segurança ao trabalho. A expectativa do inventor é diminuir os custos da indús- tria com os equipamentos de segurança, ao mesmo tempo
em que o usuário terá umapeça melhor adaptada às su- as necessidades. “Uso esses macacões há mais de trinta anos: há vários mo- delos, a maioria complica- da de vestir e muito pesada. Elaborei em uma modelagem mais bem adaptada ao bióti- po do brasileiro e com os cin- tos já integrados, o que fa- cilitaria o uso e traria mais
conforto ao operário”, expli- ca Oliveira. O projeto prevê que o macacão e o cinto se-  jam produzidos com tecidos tecnológicos, o que garanti- rá a resistência e a segurança necessárias ao usuário. Além disso, o fato de cinto e maca- cão comporem uma peça úni- ca também ajudará a reduzir os custos e a facilitar o uso
correto pelos trabalhadores.De acordo com Oliveira, o “macacão de segurança” já foi registrado junto ao INPI (Instituto Nacional de Pro- priedade Industrial) e, des- de então, o projeto aguarda um investidor para dar início a produção, seja por meio da venda ou licenciamento da patente, ou ainda por meio de sociedade.
O  congresso da ISMA-BR, que acontecerá de 21 a 23 de junho em Porto Alegre (RS), oferecerá uma perspectiva multimodal cognitiva e comportamental. Os congressis-
tas serão capacitados para identificar as situações estressoras que podem levar ao ado- ecimento e criar estratégias de gerenciamento que permitam uma vida mais saudável e produtiva. O evento terá a participação da dra. Pamela Hymel, MD, MPH (EUA), diretora médica da Walt Disney Parks and Resorts (WDPR), onde é responsável pela integração de uma estratégia de saúde e bem-estar, e do dr. T. Warner Hudson, MD (EUA), diretor do Sistema de Saúde Ocupacional dos Funcionários da UCLA, a maior universidade da Califórnia. Ambos visitarão o Brasil pela primeira vez. Informações no site http://www.is-  mabrasil.com.br/congressos/congresso-2016/programa  ou pelo telefone (51) 3222-2441.
Congresso de estresse e QVT
A Arteflex segue sendo a única marca brasileira a produzir calçados de segurança com a tecnologia Gore-Tex. A empresa especializada em produtos do gênero foi
novamente auditada pelos técnicos e representantes da tecnologia, que conferiram à Arteflex um novo certificado. A Gore-Tex é uma membrana microporosa com propriedades de impermeabilidade e trans- pirabilidade, que proporciona melhor desempenho e aumen-
ta a concentração e a segurança do colaborador. “Esse é um diferencial que só o produto Arteflex possui. A certificação vem após uma rigorosa inspeção realizada pelos detentores
da tecnologia. A partir do que eles viram na nossa linha de produção, automaticamente renovaram a licença”, ex-
plica o diretor executivo da Arteflex, Evandro Kunst. As linhas que utilizam a membrana são desenvol-
vidas para aliar a impermeabilidade da tecnologia Gore-Tex com a al- ta resistência, gerando um calça- do confortável e seguro.
HU de Sergipe realiza 1a Sipat
O HU-UFS (Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe) realizou nos dias 27 e 28 de janeiro a primeira Sipat (Semana Interna de Prevenção de Aciden-
tes), que teve como tema “Construindo um Ambiente Seguro no HU”. O evento abran- geu palestras e entretenimento para todos os servidores do hospital. De acordo com o atual presidente da Cipa (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) do HU-UFS, Ja- der Pereira Neto, a Sipat objetivou conscientizar os empregados sobre a saúde e segu- rança no trabalho. “Já foram traçados os mapas de risco do hospital para possibilitar o uso de estratégias relacionadas à prevenção de acidentes. Em março, haverá nova elei-
ção para a comissão, e espero que os colaboradores do HU continuem dando suges-tões e também prestando informações”, disse.
P or meio de uma circular, a Animaseg (Associação Nacional da Indústria de Mate- rial de Segurança e Proteção ao Trabalho) informou que o Ipem ( Instituto de Pesos
e Medidas) estava autuando as empresas fabricantes, distribuidoras e revendedoras de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) pela falta da divulgação das informações do Selo de Certificação no Comércio Virtual e em catálogos, banners  e outros mate- riais publicitários (Portaria Inmetro 333/2012). A Animaseg informa na circular que, para expor o selo, em qualquer material publicitá- rio, as empresas precisam atender à Portaria 274/2014, que regulamenta a autorização para o uso do selo e que exige a necessidade de se fazer a “Solicitação do Uso do Selo em Material Publicitário”. O procedimento do Inmetro para a regularização pode ser con- ferido pela internet , por meio do link: http://www.inmetro.gov.br/qualidade/autSelo.asp
   F    o    t    o    :    A    r    q    u     i   v    o
   I   n     f    o    n    e    t
Unidade hospitalar pretende promover um ambiente mais seguro
P ara marcar o Dia Inter- nacional de Prevenção
às LER/DORT (Lesões por Es- forços Repetitivos e Doenças Osteoarticulares Relaciona- das ao Trabalho), celebrado em 28 de fevereiro, o Cerest (Centro de Referência em Saú-
de do Trabalhador) de Maceió (AL) promoveu uma campa- nha de conscientização sobre o tema. A iniciativa realiza- da pelo Cerest buscou alertar os trabalhadores sobre ques- tões relacionadas à ergono- mia no ambiente de trabalho, bem como a adoção de atitu- des que favoreçam o proces- so produtivo e a qualidade de
vida dos colaboradores. Alémdisso, a equipe do Cerest dis- tribuiu material informativo, repassou orientações sobre as LER/DORT, doenças ocupacio- nais causadas por as posições ergonômicas incorretas, e dis- ponibilizou, em parceria com a Faculdade Estácio/FAL, ses- sões de massoterapia para os servidores que atuam no pré- dio sede da Secretaria Muni-
cipal de Saúde. Durante as in- cursões pelos diversos setores da Secretaria, a equipe desta- cou a necessidade dos traba- lhadores se manterem atentos a sintomas como desconfor- to, fadiga, sensação de peso ou diminuição de força, formi- gamento, dormência, inchaço, enrijecimento muscular e cho- ques nos membros.
Campanha ressalta prevenção
Guia de seleção e uso de calçados
O Grupo Setorial de Calçados de Segurança da Animaseg (Associação Nacio- nal da Indústria de Material de Segurança e Proteção ao Trabalho) está ela-
borando um Guia de Seleção e Uso de Calçados de Segurança, visando oferecer um instrumento de consulta para todos os profissionais de segurança e consumi- dores, para que estes possam, a partir da avaliação dos riscos de seus ambientes de trabalho, conhecer as características que o calçado de segurança deve ter pa- ra prevenir possíveis acidentes. Para ajudar a compor o material, o grupo está uti- lizando, além dos conhecimentos das próprias empresas, o suporte do Senai /RS.
 Adicional de insalubridade em grau
máximo A Segunda Turma do TST
(Tribunal Superior do Trabalho) determinou adicio- nal de insalubridade em grau máximo a uma encarregada de limpeza de cemitério lo- calizado em São Paulo (SP). Segundo o laudo pericial, ela era responsável por limpar as
salas de velório, lavar o ba-nheiro, recolher o lixo destes locais e varrer a parte exter- na ao redor do velório (esta- cionamento), ou seja, tinha habitualmente contato e era exposta à ação de agentes in- salubres de origem física, quí- mica e biológica. Contratada como auxiliar de limpeza em 1999 para tra- balhar no Cemitério Munici-
pal de Vila Formosa, ela foi promovida a encarregada em 2005, no Cemitério Munici- pal da Saudade, em São Mi- guel Paulista, que atende to- da a população da zona leste da capital paulista e recebe, em média, 200 sepultamen- tos por mês. A funcionária contou ainda que até 2003 recebia adicio-
nal de insalubridade em graumínimo. Além disso, mesmo- depois, na função de encarre- gada, além das condições de insalubridade serem as mes- mas, ela manuseava produ- tos de limpeza para distribuir aos auxiliares, sem equipa- mentos de proteção indivi- dual, porque não havia quan- tidade suficiente para todos os empregados.
Coleta de lixo: MPT quer garantir transporte seguro de trabalhadores
I mpedir que trabalhadores que atuam na coleta de lixo sejam transportados nos estri- bos dos caminhões e garantir o cumprimento das normas regulamentadoras são os
objetivos de uma notificação expedida pelo MPT-SE (Ministério Público do Trabalho de Sergipe) ao município de Aracaju, à Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) e também à ABNT (Associação Brasileira de Normas e Técnicas). O documento emitido pelo MTP-SE foi acatado pela ABNT, que alterou a norma técnica (NBR 14599:2014) que regulamenta os compactadores de lixo. Com a correção, a enti- dade recomenda que os trabalhadores responsáveis pela coleta de lixo não sejam trans-
portados nos estribos dos veículos. Segundo o procurador do Trabalho, Raymundo Lima Ribeiro Júnior, o transporte nos es- tribos representa um grave e iminente risco à saúde e à vida dos trabalhadores. “Além de violar o art. 235 do Código de Trânsito Brasileiro, que expressamente proíbe a con- dução de pessoas nas partes externas dos veículos, contraria gravemente os parâmetros de segurança que regem o transporte de trabalhadores, como as NR’s 18 e 31 do MTPS e a NBR 14599 da ABNT. Por fim, ainda existe o crime previsto no art. 132, parágrafo único, do Código Penal. É uma situação totalmente fora da lei”, reforça. Caso a notificação não seja cumprida pelo município de Aracaju, o MPT ajuizará ação civil pública para que o trabalho na coleta de lixo passe a ser realizado respeitando pa- drões mínimos de dignidade e civilidade.
   F    o    t    o    :     S     h    u    t    t   e
   r    s    t    o    c     k
8/17/2019 REVISTA CIPA 438
Programa de Gestão em SST
L ançado em outubro do ano passado e com atendimento a 55 empresas, entre micro, pequenas, médias e grandes, o Programa de Gestão em SST do Sesi de Mato Grosso do
Sul ajuda as indústrias na busca por caminhos para redução de custos e levando orientações aos empresários. O superintendente do Sesi, Bergson Amarilla, reforça que o trabalho é pre- ventivo, de forma a verificar eventuais necessidades de melhorias e orientar o empresário pa- ra que as faça, evitando, assim, autuações. “Fazemos algo como uma preauditoria de aten- dimento às normas regulamentadoras, verificando se estão conformes ou não. Orientamos a empresa sobre o que fazer para ficar de acordo”, disse Bergson Amarilla. Segundo a médica do trabalho e coordenadora do Programa, Adriana Sato, a atividade
é desenvolvida em cinco etapas: gestão dos programas…