Receitas do Algarve

download Receitas do Algarve

If you can't read please download the document

  • date post

    23-Mar-2016
  • Category

    Documents

  • view

    222
  • download

    1

Embed Size (px)

description

Receitas do Algarve

Transcript of Receitas do Algarve

  • cozinha regional do algarve

  • 08 sopas

    18 peixe

    44 carne

    56 doces

    Delicie-se.

  • cozinha regional do algarve .54. cozinha regional do algarve

    reino forte e unificado. A permanncia muulmana de cerca de seis sculos vai indiscutivelmente marcar esta regio.Os rabes, que chegam Pennsula nos comeos do sculo VIII, s a deixaro por completo no sculo XIII, quando as tropas do rei Afonso III concluem a reconquista. Depois desta tardia integrao poltica em Portugal, o Algarve traz consigo uma longa caminhada. Desde a gloriosa poca dos descobrimentos, em que o infante D. Henrique a celebriza, at aos tempos modernos, em que um novo prncipe o Turismo a lidera, a regio algarvia encanta sempre quem a visita.Terra de contrastes, inspira autores portugueses como Jaime Corteso, Jos Leite de Vasconcelos, Oliveira Martins e Raul Brando quando referem

    maravilhados os seus campos que so jardins, e se inquietam com o fascnio da erma e trgica beleza de um cabo de S. Vicente, onde o Algarve deixa de ser risonho e se torna rasteiro e pedregoso.Hoje o Algarve oferece-se descoberta para estes novos aventureiros que so os turistas. E juntamente com as suas belezas naturais, com o seu clima incomparvel, tem toda uma tradio gastronmica por descobrir.A arte culinria muito antiga. Pode-se dizer que comea quando, ainda na pr-histria, o homem ao aproximar a carne do lume, se apercebe que ela se torna mais saborosa e mais fcil de mastigar.Cozinhar, ou seja, acomodar os alimentos, arte definitivamente ligada sobrevivncia humana, vai assim evoluir e enraizar--se na tradio dos povos.

    meu ardente Algarve impressionista e mole Meu lindo preguioso

    adormecido ao sol Meu louco sonhador a

    respirar quimeras

    Comea assim, um belo poema de Joo Lcio dedicado ao Algarve. Como ele, outros poetas tm cantado esta terra morena, este fascinante terrao aberto sobre o mar.Repleto de mitos e de lendas, viveu com o domnio rabe o esplendoroso lirismo dos seus prncipes-poetas, que criaram os alicerces de uma realidade cultural arbico-algarvia incontestvel.Muitos povos ocuparam o extremo da pennsula, deixando marcas da sua influncia no povo portugus. Mas as civilizaes que maior impacto tiveram foram, sem dvida, a Romana e a rabe.Na verdade, durante o perodo de ocupao islmica que o Algarve historicamente reconhecido. AL GARB, que significa o Ocidente, surge, nessa altura, como um

  • De longa e enraizada tradio se pode falar em relao ao Algarve gastronmico. A cozinha Algarvia, com todo o seu tipicismo, apresenta-se como um outro reino dentro da gastronomia portuguesa. , pois, necessrio divulgar este autntico tesouro que constitui a arte culinria algarvia.Situado no estremo sul e mais ocidental da Pennsula Ibrica, o Algarve geograficamente composto por trs zonas essenciais: Serra, Barrocal e Litoral. So elas que, atravs das suas produes no campo agrcola, pecurio e piscatrio, vo influenciar directamente a alimentao das suas gentes e permitir um aproveitamento gastronmico particular.Assim, a zona do litoral tem como base para a sua alimentao os

    A doaria do Algarve tambm parece ter alguma coisa em comum com a passagem rabe por terras do sul. Os deliciosos bolinhos de amndoa, que se fantasiam das mais variadas formas, so semelhantes a um tipo de doaria que se encontra no Norte de frica.A propsito de amndoa, difcil resistir a no contar uma das mais belas lendas do Algarve.Conta-se que um prncipe, trazendo a esposa de um longnquo pas do Norte, se viu a dada altura confrontado com uma tristeza doentia da princesa. Nada a alegrava, at que, descobrindo que a causa da sua melancolia era a saudade de ver a neve do seu pas, o prncipe mandou plantar por toda a provncia amendoeiras. E numa manh de Inverno (a por Janeiro ou Fevereiro), a

    produtos vindos do mar. A actividade pesqueira to antiga quanto o povoamento da regio e tornou o peixe num ponto forte da alimentao. Com destaque para a sardinha e para o atum, os pratos de mar do Algarve so de uma grande variedade. Desde modo, os bivalves (amijoas, conquilhas) deliram na cataplana ou fazem deliciosos pratos de arroz.A zona do Barrocal, ou seja, a faixa intermdia que faz a transio entre o litoral sul e a regio serrana, mais a norte, tambm recorre ao peixe, mas pode variar muito mais a sua ementa. Uma agricultura que fornece um razovel leque de legumes e a criao de gado, tornam esta regio num lugar privilegiado, em termos de culinria.A serra, que separa o Algarve do Alentejo e que esteve em tempos

    princesa deslumbrada assistiu ao espectculo nico: o Algarve coberto de um manto branco, coberto de neve em flor!So de facto as lendrias amendoeiras, que, em conjunto com figueiras, alfarrobeiras e oliveiras, constituem o essencial da paisagem arbrea tradicional do Algarve. E precisamente com os aromticos figos e amndoas, que se fazem os melhores doces da regio.Vinhos e aguardentes vm juntar-se tradio gastronmica do Algarve.Regio vincola, usufruindo de um clima tipicamente mediterrnico e utilizando castas tradicionais como a negra-mole, a trincadeira, o crato-branco produz vinhos com inegvel sabor a fruto, uma baixa acidez e uma graduao bastante elevada.Bastante rica, mas simples, a cozinha do Algarve ,

    mais isolada, com acessos mais difceis, adaptou, fruto dessas limitaes geogrficas, a sua gastronomia s produes locais. Salienta-se assim, a utilizao da carne de porco (fresca ou salgada) ou de criao domstica (galinceos). Na poca da caa a ementa varia um pouco mais e de salientar a deliciosa sopa de lebre ou ainda a perdiz estufada.Referiu-se no incio a forte influncia rabe no mbito cultural da regio algarvia. difcil afirmar-se a existncia de uma presena rabe no campo gastronmico. O que certo, que a provncia regista uma forte influncia da ocupao muulmana, no que diz respeito lngua. Denominaes de vilas, utenslios e de pratos (por exemplo o xarm, que so as papas de milho) so claramente de origem rabe.

    de facto, um valor para descobrir. O patrimnio gastronmico algarvio constitui uma das riquezas da provncia que necessita de uma adequada e merecida divulgao.Assim, a Regio de Turismo do Algarve, ao publicar este Livro de Gastronomia, pretende ajudar divulgao e promoo essencialmente turstica, da arte culinria tradicional algarvia.Este livro quer que voc fique com gua na boca para partir descoberta das coisas boas da culinria do Algarve. E quando de regresso a sua casa quiser recordar os bons momentos das suas frias algarvias, poder retomar- -lhes o sabor cozinhando uma das especialidades que aqui lhe so propostas. Desde j Bom Apetite!

    cozinha regional do algarve .76. cozinha regional do algarve

  • sopas10 Sopa de peixe

    11 Sopa de conquilhas

    12 Sopa de feijo manteiga portimonense

    13 Sopa de lingueiro

    14 Arjamolho

    15 Creme de camaro de Quarteira

    16 Sopa de cao

  • cozinha regional do algarve .11

    500 g de safio ou outro peixe

    300 g de enguias 10 cl de azeite 2 dentes de alho 150 g de tomates frescos 100 g de cebolas 1 ramo de salsa 4 fatias de po caseiro 1 folha de louro sal e pimenta q.b.

    Utilize conquilhas grandes.

    Utilize peixes bastante frescos.

    4

    Sopa de peixe

    1. Amanhe e limpe o peixe. Corte em bocados e ponha em gua fria a sangrar.

    2. Leve um tacho ao lume com o azeite e deixe aquecer.

    3. Pique os alhos e as cebolas. Junte-lhes a folha de louro e o ramo de salsa.

    4. Tire os ps aos tomates e escalde-os em gua a ferver. Retire as peles e as sementes. Corte em cubos pequenos.

    5. Junte o tomate ao refogado. Deixe apurar um pouco.

    6. Adicione a gua e seguidamente o peixe, deixando cozer.

    7. Retire a folha de louro e o ramo de salsa. Tempere com sal e pimenta. Polvilhe com salsa picada.

    8. Corte o po em cubos e frite no azeite. Sirva com a sopa.

    10. cozinha regional do algarve

    4

    1 kg de conquilhas 100 g de cebola 4 cl de azeite 150 g de tomates frescos 1 folha de louro 100 g de arroz 1 molho de coentros sal e pimenta q.b.

    1. Lave as conquilhas em gua fria. Depois de lavadas coloque-as numa tigela e cubra--as com gua do mar. No caso de no ter gua do mar, utilize gua doce com sal.

    2. Leve um tacho ao lume, deite o azeite e deixe aquecer. Descasque a cebola e pique um pouco grosso. Junte ao azeite no tacho e deixe refogar, sem alourar.

    3. Entretanto, retire os ps aos tomates e escalde-os em gua a ferver, para lhes tirar a pele e, em seguida, as pevides. Depois de limpos, pique-os e junte ao refogado, assim como a folha de louro. Deixe refogar.

    4. Lave novamente as conquilhas em gua fria e coloque-as noutro tacho. Cubra com gua e leve ao lume. Deixe abrir (cozer).

    5. Escorra o caldo onde cozeu as conquilhas, passando por um passador fino. Retire

    os miolos e junte o caldo da cozedura ao refogado.

    6. Lave o arroz e depois de escolhido escorra. Junte ao tacho e deixe cozer.

    7. Adicione os coentros picados, depois de lavados, e os miolos das conquilhas. Tempere com sal e pimenta e sirva bem quente.

    Sopa de conquilhas

  • 12. cozinha regional do algarve cozinha regional do algarve .13

    Depois de cozer o lingueiro e de o descascar, ter em ateno que a tripa que se encontra dentro, por vezes, est cheia de areia, o que requer o cuidado de a lavar muito bem.

    1. Lave o lingueiro em gua fria, para limpar de impurezas.

    2. Ponha um tacho com gua ao lume e coza o lingueiro.

    3. Escorra o caldo da cozedura utilizando um passador fino. Retire os miolos do lingueiro. Lave novamente em gua fria. Corte em pequenos bocados.

    4. Leve um tacho ao lume. Deite o azeite e deixe aquecer. Junte a cebola picada fina e a folha de louro.

    5. Entretanto ret