Luedy - Discursos Acadêmicos Em Música- Cultura e Pedagogia Em Práticas de...

download Luedy - Discursos Acadêmicos Em Música- Cultura e Pedagogia Em Práticas de Formação Superior

If you can't read please download the document

  • date post

    25-Sep-2015
  • Category

    Documents

  • view

    2
  • download

    2

Embed Size (px)

description

Luedy - Discursos Acadêmicos Em Música- Cultura e Pedagogia Em Práticas de Formação Superior

Transcript of Luedy - Discursos Acadêmicos Em Música- Cultura e Pedagogia Em Práticas de...

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA PROGRAMA DE PS-GRADUAO

    ESCOLA DE MSICA

    DISCURSOS ACADMICOS EM MSICA: CULTURA E PEDAGOGIA EM PRTICAS DE FORMAO SUPERIOR

    EDUARDO LUEDY

    Salvador-Ba 2009

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA PROGRAMA DE PS-GRADUAO

    ESCOLA DE MSICA

    DISCURSOS ACADMICOS EM MSICA: CULTURA E PEDAGOGIA EM PRTICAS DE FORMAO SUPERIOR

    EDUARDO LUEDY

    Tese apresentada ao Programa de Ps-graduao em msica da Universidade Federal da Bahia como requisito parcial obteno do ttulo de Doutor em Msica (rea de concentrao Educao Musical)

    Orientador: Prof. Dr. Joel Barbosa

    Salvador-Ba 2009

  • Biblioteca da Escola de Msica - UFBA

    L948 Luedy, Eduardo. Discursos acadmicos em msica : cultura e pedagogia em prticas de formao superior

    / Eduardo Luedy. - 2009. 325f. : il.

    Orientador : Prof. Dr. Joel Lus da Silva Barbosa. Tese (doutorado) - Universidade Federal da Bahia, Escola de Msica, 2009.

    1. Msica Instruo e estudo. 2. Msica Prtica de ensino. 3. Msica - Cultura - aspectos sociais. I. Barbosa, Joel Lus da Silva. II. Universidade Federal da Bahia. Escola de Msica. III. Ttulo.

    CDD - 780.7

  • Agradecimentos

    Aos colegas da rea de Fundamentos da Educao do Departamento de

    Educao da UEFS, por me assegurarem o direito de me afastar das obrigaes acadmicas

    para poder finalizar este trabalho com maior tranquilidade. Agradeo especialmente aos

    colegas Z Mrio, Miguel Almir e Irlana Jane que assumiram algumas de minhas turmas

    de arte-educao de modo que meu afastamento no causasse prejuzos instituio.

    Mas, tambm da Uefs, agradeo a Antonia Silva, diretora do Departamento de

    Educao que me apoiou em todos os momentos em que precisei de aconselhamento e

    orientao administrativa. A Ana Magda Carvalho, minha amiga antroploga, que me

    ajudou a pensar certas questes relativas diversidade cultural e s culturas indgenas. A

    Lvia Vieira, secretria e amiga de todas as horas. E, especialmente, a Wilson de Jesus, que

    leu comigo boa parte dos manuscritos e teceu crticas e comentrios encorajadores e

    enriquecedores.

    Aos colegas e amigos de ps-graduao da EMUS-UFBA: especialmente a

    Maurlio Rafael e Cssia Virgnia, que sempre acreditaram que tudo isto seria possvel

    tanto fizeram que passei a acreditar tambm. A Flvia Candusso, Marcelino Moreno e Ana

    Margarida pelo companheirismo; a ngelo Castro e Luciano Caroso, amigos-irmos, pelo

    apoio mesmo a distncia; a Ricardo Pamflio, por me lembrar sempre da importncia dos

    rituais de passagem, principalmente quando passamos por eles. Meu agradecimento

    especial a Agostinho, que com sua sagacidade muito me inspirou. A Masa Santos, nossa

    secretria solidria do PPGMUS.

    Mas tambm da EMUS-UFBA, Manuel Veiga, Alda e Jamary Oliveira, Fernando

    Cerqueira, Cristina Tourinho, Agnaldo Ribeiro, Maria da Graa Santos, Paulo Costa Lima,

    ngela Luhning: mestres e mestras, para sempre, professores que contriburam decisiva e

    profundamente para eu ser musicalmente quem sou.

  • vi

    A Joel Barbosa, pela amizade e orientao tranqila o que, no momento

    certo, permitiu que tudo isso pudesse ocorrer. A Diana Santiago e Ricardo Bordini que, na

    condio de coordenadores do PPGMUS da UFBA, cada um a seu tempo, foram

    compreensivos e pacientes com meus descaminhos acadmicos. Ao professor Lucas

    Robatto pelo longo depoimento esclarecedor acerca dos meandros e dos impactos

    institucionais e acadmicos implicados na criao do curso de msica popular.

    Aos meus entrevistados, sujeitos deste estudo, pela generosidade em

    compartilhar comigo seus anseios, suas angstias, suas crticas.

    A Anna Amlia e a Elenita Pinheiro, minhas amigas deleuzianas pela ateno

    com que sempre me escutaram, pelas leituras e comentrios enriquecedores que fizeram de

    partes deste trabalho. A Paquito, porque gostamos dos Beatles e de George Harrison all

    things must pass!

    A Alexandre Castro e J, que ficaram na torcida por mim. A Lia Mara, pelo

    carinho e apoio de sempre, mas tambm por me ensinar a importncia de escutar o outro. A

    meus pais, Luiz Gonzaga Marques e Ansia Luedy, por tudo.

    A minha companheira inseparvel Shirleyne, por todo apoio e pela pacincia

    com que me aturou nos momentos em que estive absorto pelo trabalho e em tantos outros

    em que estive intratvel! A Guga e Gabi por compreenderem, ainda que de modo relutante,

    as horas interminveis sem brincadeiras.

  • Resumo

    O presente trabalho busca investigar o discurso acadmico em msica como

    uma instncia cultural-pedaggica que tanto reflete um determinado regime de verdades,

    sobre educao, msica e cultura, quanto contribui para reific-lo. tomado, pois, como

    um discurso qualificado, que versa, em ltima anlise, acerca do que deve valer como

    cultura e, consequentemente, do que se tem como legtimo de ser ensinado e de constar

    como conhecimento curricular.

    O discurso acadmico em msica, enquanto objeto de estudo, divisado aqui a

    partir de dois pressupostos bsicos e inter-relacionados: o de que este discurso tanto reflete

    quanto age sobre sistemas culturais e seus significados; mas, tambm, o de que estes

    significados se vem confrontados com as recentes questes e demandas sociais, polticas e

    educacionais postas pelo advento da noo de multiculturalismo compreendido tanto

    como um corpo terico, quanto decorrente do reconhecimento da diversidade cultural, um

    fenmeno claramente identificvel nas sociedades ocidentais contemporneas que

    configuram o contexto social mais amplo no qual o discurso acadmico em msica se

    insere mais contemporaneamente.

    Este discurso, apesar de se encontrar manifestado em diversas instncias

    textuais, tais como artigos cientficos, propostas pedaggicas, textos curriculares,

    documentos institucionais e debates educacionais em msica de toda ordem, encontra-se

    divisado aqui, primordialmente, a partir do que professores de uma determinada instituio

    de ensino superior falam acerca de cultura, educao e currculo.

    Referenciais tericos importantes para a problematizao do discurso

    acadmico em msica advm dos Estudos Culturais (Hall 1997; 2003) e do

    multiculturalismo crtico (Canen 2005; Moreira 2001; Costa 2003; McLaren 1997) que,

    sob o impacto das teorizaes ps-modernas e ps-estruturalistas, animadas sobretudo pela

  • viii

    chamada virada lingstica, enfatizam, de um lado, o papel da linguagem e do discurso

    na constituio do social e, de outro, a noo de cultura como uma prtica de significao e

    local privilegiado das polticas de representao.

    Ao lado de tais contribuies tericas, h tambm a noo de pedagogia crtica,

    tal como desenvolvida por autores como Giroux (1997; 1999) e McLaren (2000), que

    tomam as prticas pedaggicas como instncias eminentemente culturais, implicadas em

    mecanismos de regulao moral e social. Ambos os autores buscam explicitar criticamente

    os limites auto-impostos pelos discursos pedaggicos dominantes, que compreendem e

    reificam a cultura a partir de noes conservadoras de conhecimento e/ou definem a

    pedagogia em termos instrumentais.

    O discurso acadmico em msica , pois, localizado nesta compreenso de

    textualidade articulada a formas dominantes de representao, evidentes, por exemplo, na

    seleo de contedos, na maneira de hierarquizar campos de saber, no estabelecimento de

    critrios de admisso para exames vestibulares; mas, principalmente, na maneira de

    afirmar o que conta como conhecimento legtimo em msica.

    A partir de tais consideraes, as seguintes questes norteiam o trabalho de

    investigao: como professores/as de msica lidam com a emergncia da noo de

    diversidade cultural em suas prticas pedaggico-curriculares?; Que respostas tm dado ao

    desafio de encarar a condio multicultural de nossa sociedade?;Que concepes de cultura

    e conhecimento se depreendem dos discursos acadmicos em msica? Mas,

    principalmente: De que modo tais concepes estruturam/condicionam prticas

    pedaggicas e curriculares em msica?

    Assim, trs professores e duas professoras de uma instituio de ensino

    superior de msica a Escola de Msica da UFBA foram tomados como sujeitos da

    presente investigao, compondo um determinado grupo representativo das seguintes sub-

  • ix

    reas de conhecimento a que cada um pertencia: educao musical; prticas interpretativas;

    musicologia; etnomusicologia; composio e anlise. Estes sujeitos foram entrevistados

    acerca de suas prticas pedaggico-curriculares, a partir de um roteiro semi-estruturado, no

    qual se buscou discutir suas assertivas acerca de educao, currculo e cultura, tendo-se

    como eixo de preocupaes acadmicas a temtica mais ampla da diversidade cultural.

    O presente trabalho encontra-se estruturado da seguinte maneira: o primeiro

    captulo Pontos de partida situa o referencial terico adotado e o contexto social e

    educacional mais amplo em que a problemtica deste estudo se insere o advento da

    noo de diversidade cultural e as estratgias adotadas para se buscar responder

    institucionalmente ao reconhecimento desta diversidade como uma condio mesma das

    sociedades ocidentais contemporneas.

    O segundo captulo trata dos procedimentos metodolgicos adotados para a

    escolha do grupo de professores que vieram a compor uma amostra, de certo modo

    representativa, daquilo que, neste trabalho, tomado como o discurso