Informao no1

Informao no1
Informao no1
Informao no1
Informao no1
download Informao no1

of 4

  • date post

    10-Jul-2015
  • Category

    Documents

  • view

    115
  • download

    2

Embed Size (px)

Transcript of Informao no1

  • M O S T E I R O D E S O B E N T O / G O I N I A G O

    InFormAoInFormAo Boletim Informativo dos Monges Beneditinos de Mineiros

    Dia 11 de julho celebra-da nos mosteiros benedi-tinos a solenidade do santo fundador da Or-dem de So Bento, que encontrou no verbo escutar a palavra-chave

    para dar incio sua Regra: Escuta, filho, os preceitos do Mestre, e inclina os ouvidos do teu corao...

    Nas Sagradas Escrituras, maior referen-cial da referida Regra, Moiss, os Salmos e os Profetas alertam o povo para se co-locar nessa atitude de escuta. Moiss afirma que a palavra de Deus no est fora do alcance de cada um: est na tua boca e no teu corao, para que a coloques em prtica (Dt 30,14). Nos Salmos, de todo o corao que os salmistas louvam a Deus (Sl 111,1; 138,1), e no corao que eles guardam a palavra de Deus (Sl 119,11). Eles reve-lam tambm como Deus nos sonda e conhece o nosso corao (Sl 139,23). Os Profetas, por sua vez, nos instigam a ouvir a palavra de Deus (Is 1,10; 33,13; Jr 26,13,38,20) e revelam como Deus nos dar um corao para que o conhea-mos (Jr 24,7). Ele falar ao corao (Os 2,14) e arrancar o nosso corao de pe-dra para pr no lugar um corao de

    carne (Ez 11,19), um corao novo (Ez 18,31), humano, dotado de sensibilida-de. Nos Evangelhos, Jesus, por sua vez, fica indignado e se entristece por encontrar o corao do povo endurecido (Mt 13,15), voltado para o que efmero (Mt 6,21) e transformado em fonte dos maus pensamentos (Mc 7,21). So Bento, ao nos pedir para inclinar os ouvidos do corao faz um contun-dente apelo para nos colocarmos dian-te de Deus, de corpo e alma, como ver-dadeiros discpulos de Cristo. Inclinar os ouvidos do corao abrir-nos interiormente para ouvir e inscre-ver a Palavra de Deus em nossa prpria alma. criarmos uma sementeira para a produo de bons frutos como a hu-mildade, a obedincia, a venerao aos mais velhos, o cuidado com as crian-as, o acolhimento aos hspedes etc. Ouvindo e inclinando os ouvidos do nosso corao ns nos embebemos do Esprito de Deus e no mais ficamos hesitantes em correr ao encontro de Cristo e, com toda a alegria, nos colo-camos dispostos e sem mais delonga ao seu santo servio. * D. Josias Dias da Costa monge beneditino do Priorado So Jos, dos monges beneditinos de Mineiros.

    OS OUVIDOS DO CORAO

    Dom Josias Dias da Costa, OSB.*

    Inclinar os

    ouvidos do co-

    rao abrir-

    nos interior-

    mente para

    ouvir e inscre-

    ver a Palavra

    de Deus em

    nossa prpria

    alma.

    Nesta edio:

    Notcias da co-munidade Pg. 2 e 3 Prestao de contas e dia-a-dia. Pg. 3 Monges no Con-gesso Eucarsti-co Nacional e mais... Pg. 4

    MaioJunhoJulho 2010

  • Pgina 2

    Maio D. Quirino, enquanto ainda esteve no Brasil, bus-cou entre um tratamento e outro, a soluo para suas dores na coluna. Elas pareciam no ter mais fim. Recorrendo a vrios hospitais, como So Fran-cisco e Hospital dos Acidentados e fisioterapias, ele fez uma verdadeira pere-grinao e usou de diversos mtodos indicados pelos m-dicos. At que foi para Minei-ros, onde os mdicos so seus amigos prximos. L co-meou a encontrar soluo, onde ento pediram-lhe uma ressonncia magntica. Um mdico aqui em Goinia, do Hospital dos Acidentados, indicou cirurgia e ESI (Epedermal Steroid Injecti-on) para bloqueio peridoral, que um misto entre cortiso-na e anestsicos. Pensando em sua recuperao, que com certeza seria lenta, uma vez que fizesse a cirurgia indica-da, ele decidiu retornar aos EUA. Seu sobrinho, Jerry McInerney, veio de sua terra natal ao encontro do tio, para auxili-lo na volta ao pas norte-americano, retornando Aba-dia So Bento, (Saint Benedicts Abbey, Atchison, Kansas). Sua volta se deu no dia 16 de maio. D. Quirino conta com suas oraes! Aproveitando a vinda do so-brinho de D. Quirino, Jerry McInerney, ao Brasil, D. Rui o levou Mineiros para co-nhecer a Parquia e os traba-lhos dos monges naquela ci-dade. L tambm se deu a despedida de D. Quirino, no dia 11, aps missa e novena de So Bento. Em Mineiros, D. Rui comemorou seu 69 aniversrio. No dia 15, foi a despedida de D. Quirino aqui em Goinia. Regado sorve-tes e salgados, o encontro contou com a participao dos oblatos, Irms Francisca-nas dos Pobres e Irms Fran-ciscanas de Maria Imaculada. Para estas ltimas, D. Quiri-no prestou trabalhos de planejamento e execuo de um laboratrio de informtica no Colgio delas, onde tambm recebeu homenagens.

    Dia 22 aconteceu mais uma vez, sob direo de D. Rui e D. Josias, o retiro matutino do sbado no mosteiro. Estiveram presentes todos os monges da casa, oblatas e trs senhoras amigas dos monges.

    Junho Dom Rui concelebrou s 19 horas do dia 02 na Ca-

    tedral em comemorao ao centenrio de nascimento de Dom Fernando Gomes dos Santos e, em seguida, parti-cipou do lanamento do li-vro sobre o mesmo: Uma trajetria emblemtica, da pesquisadora Lindsay Bor-ges. Dia 02, Dom Diego levou ao Aeroporto Santa Genoveva, s 6 horas da manh, Dom Rui e Ir. Eliene, que embar-caram para os Estados Uni-dos. Ele para suas frias e ela para atividades ligadas ao seu mosteiro na Casa-Me, o Convento Santa Escolstica

    do Monte, em Atchison, Kansas. Em seguida ele levou Ir. Gabriel para encontrar-se com Dr. Rodol-fo Petrelli. s 08h15min Dom Josias levou ao mes-mo aeroporto Dom Joaquim Carlos que embarcari-a para Vitria - ES, de onde seguiria para So Ma-teus, para pregar retiro s irms beneditinas da-quela cidade.

    D. Diego e Ir. Carlos partici-pam desde abril, dos escotei-ros no Grupo Goyaz, 9 GO. A, alm de participarem das atividades de costume do grupo, eles tem procurado dar orientao espiritual s crianas e jovens. Ir. Andr participou das visi-tas s famlias do Residenci-al Sonho Dourado no intuito do convite para as celebra-es e pastorais exercidas no CFFS (Centro de Formao Francisca Schervier). Ele tambm tem contribudo para os trabalhos pastorais e culturais deste centro. D.

    Diego catequista de crisma neste mesmo lugar de formativo.

    Julho D. Rui, D. Diego e Ir. Andr foram para Mineiros parti-

    Not c i as da comunidade. . .

  • C o n t a b i l i d a d e e d i a - a - d i a . . . Pgina 3

    cipar das festividades em honra a Nosso Pai So Ben-to, na Parquia que leva o nome deste padroeiro. Houve novena, missas e muita festa. O 2 Costelo de So Bento contou com uma adeso incrvel. Mais de mil pessoas marcaram presena e se entusiasmaram com a festa.

    Trabalhos pastorais...

    Os monges sacerdotes do Mosteiro tem prestado servio diversas comunidades da Arquidiocese de Goinia. As comunidades Santo Hilrio, Francisca Scher-vier, Luz do Mundo, Profeta Jeremias, Santo Hi-lrio, Parquia So Francisco, Catedral, Santo Andr, Santa Paula, Luz da Vida, Rainha do Povo e Sagrada Famlia, dentre outras, contam sempre com o apoio dos monges.

    Trabalhos manuais... Entre 08h30 a 11h00, depois de uma hora de lec-tio divina, os monges trabalham no jardim, na horta, no pomar ou na biblioteca. Nossos ante-cessores investiram muito em deixar nosso local belo e arborizado. Cabe a ns manter bem o lo-cal, produtivo e vigorante. No empregamos pes-soas para cuidar da rea. Aqui em Gois as plan-tas crescem bem, a grama e rvores necessitam de podas. O rano de motores, o suor e calos cresem tambm. Um dia o Prior quis colher mamo subindo numa escada velha. Ele s levou um tombo, machucando costelas e tomando ar-ranhes. Os mamos ficaram, por fim. Tambm tem aqueles que se aventuram em domar cabos de foices e enxadas, no final se vence pelo cansa-o!

    Prestao de contas janeiroabril.

    Vida de cachorro Nossos cachorros [Flux, Zeus, Hannah, Preto, Peti, Te-cel, Pandora e Chronos] vigiam nosso mosteiro dia e noite. Trabalham em equipe, s vezes em dois ou trs, e andam juntos. Cuidam uns dos outros. Voltam ao canil de dia, e ficam soltos noite, cada equipe com seu territrio prprio. So cinco Rotweilers, dois Pastores Belgas e um Pastor Alemo. O mosteiro em Mineiros mantm uma equipe de cinco, todos belgas. Aceitam brincadeiras de bom gosto. Comem o essencial no tempo devido, e be-bem gua suficiente. Em Goinia h trs fmeas, uma re-gistrada. s vezes reproduzem, mas dentro de certo pla-nejamento familiar. Aceitam venda de suas crias. Tm dificuldade em aceitar visitantes! No reparamos muito este defeito deles. Ns, porm, tentamos fazer isso muito bem. Dom Diego quem cuida e doma.

    Umas e outras...

    Dois novios estavam viajando quando a gasolina acabou e o carro parou na estrada. Para sorte deles, havia um posto de gasolina bem pertinho e eles foram at l buscar um pouco de gasolina. Eles explicaram o problema e pediram um balde com gasolina para botar no carro ali perto e tal. O dono do posto foi procurar um balde e no encontrou nem balde, nem lata, nem nada. S havia mesmo um penico velho . Se os senhores no se incomodarem, eu boto a gasolina nesse penico. Ele no t vazando e garanto que vai dar pro carro chegar at aqui no posto. Os novios concordaram e levaram o penico com a gasolina. Quando eles estavam despejando a gasolina do penico no tan-que do carro, foi passando um sujeito. Ele parou, ficou obser-vando a cena, matutando e depois comentou com os novios: J vi gente com muita f, mas desse jeito, no...

    ENTRADAS jan/10 fev/10 mar/10 abr/10

    Benfeitores 8.640,45 8.640,45 4.620,85 9.722,95

    Servios prestados 1.527,37 1.527,37 1.516,00 1.644,00

    Transferido de Minei-ros 9.290,51 9.290,51 14.394,22 8.435,40

    Total 19.458,33 19.458,33 20.531,07 19.802,35

    DESPESAS

    Salarios 7.887,28 6.985,75 4.975,08 4.890,79

    Educao 453,81 2.952,45 2.553,47 2.275,37

    Comida 2.078,85 1.897,23 2.408,07 1.841,48

    gua, Luz,fone e im-postos 4.269,37 3.510,40 5.262,02 5.292,51

    Transporte 1.471,11 1.865,90 3.284,51 1.000,76

    Sade (Dom Quirino) 853,51 2.942,74 1.707,83 3.487,24

    TOT