É chegada a hora - · PDF filepossível convencer, ou seja, vencer o...

Click here to load reader

  • date post

    01-Oct-2018
  • Category

    Documents

  • view

    212
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of É chegada a hora - · PDF filepossível convencer, ou seja, vencer o...

  • Na Ponta do Lpisano

    VI n

    1431

    ano VI nmero 14Julho de 2010

    chegada a hora...O que levar em conta ao avaliar

    os textos dos estudantes?

  • Na Ponta do LpisanoVI n

    14

    16Na Ponta do Lpis

    anoVI n

    14

    16

    A palavra que eu tomo em minhas mos, como ensina Bakhtin, no nunca um objeto inerte, h sempre um corao alheio batendo nela, uma outra inteno, uma vida diferente da

    minha vida, com a qual eu preciso me entender.1

    Cristovo Tezza

    Em nosso dia a dia so muitas as situaes comunicativas em que temos que tomar a pala-vra, afirmar, explicar, contestar, criticar, ironizar, sustentar uma posio acerca de uma questo polmica. Ao argumentar utilizamos a palavra oral ou escrita para defender um ponto de vista particular a respeito de determinado fato que afeta a vida das pessoas.

    Uma boa argumentao envolve escolher as palavras mais apropriadas, recorrer aos recur-sos que a lngua oferece, planejar o modo de dizer, os argumentos consistentes que sero usados para persuadir quem tem uma posio contrria nossa. Quem argumenta aprende a usar a fora da palavra, a jogar com a emoo, a formar a opinio do leitor ou ouvinte. No se trata, em uma situao de risco, de acabar ou destruir o adversrio, mas traz-lo para o seu lado por meio do discurso. Assim, graas ao valor social, consistncia do argumento, possvel convencer, ou seja, vencer o adversrio com a ajuda de todos.

    Por que importante ensinar argumentao na escola?

    Foi com essa questo provocadora que a professora Ana Luiza Marcondes Garcia, do Departamento de Lingustica da PUC-SP, mobilizou os sessenta educadores da Supe-rintendncia Regional de Educao do Es-prito Santo que participavam do encontro sobre o jogo Q.P. Brasil, a refletir sobre

    1. O territrio do escritor, texto apresentado no MAM-SP, em 20 de maro de 2000.

    a importncia de desenvolver a capacidade de argumentao nos estudantes do Ensi-no Mdio.

    O encontro foi organizado pela professora Sandra Fernandes Bonatto, coordenadora es-tadual da Olimpada no Esprito Santo, e con-tou com a colaborao da professora Maria Davina Pandolfi Marques, semifinalista em 2008, que orientou juntamente com o profes-sor Rmulo Farias de Oliveira a realizao do jogo, tirou dvidas e apresentou as dife-rentes possibilidades de uso do material.

    Os participantes professores de lngua portuguesa, pedagogos, tcnicos de Ensino Mdio puderam aprofundar o conhecimento sobre a relevncia da argumentao, exploran-do as atividades que o jogo oferece e, assim, se prepararem para ajudar nas escolas de suas regies os professores que vo utilizar o Q.P. Brasil em sala de aula.

    Q.P. Brasil: o jogo da argumentao

    Foi idealizado para que os jovens exercitem, de forma ldica, a capacidade de argumenta-o, uma habilidade que, como tantas outras, deve ser ensinada no espao escolar.

    O Q.P. Brasil traz questes temas da a tua lidade veiculados na mdia que podem gerar discusses, controvrsia, opinies dis-tintas de interesse pblico, pois afetam a vida de pessoas.

    O jogo est organizado em torno de doze questes polmicas e complementa as ativi-dades propostas no Caderno do Professor: Pontos de vista. Em virtude do tempo de aula e do interesse dos alunos, o professor no pre-cisa utilizar todas as questes polmicas. Ele pode escolher algumas das questes se quiser dinamizar o desenvolvimento da ativi-dade em sala de aula.

    Convencer:vencer com a ajuda de todos

  • Na Ponta do Lpisano

    VI n

    1417

    Na Ponta do Lpisano

    VI n

    1417

    Espera-se que os estudantes, por meio do jogo, possam: discutir questes socialmente relevantes; identificar os diferentes tipos de argumento; compreender a necessidade de buscar subsdios para construo de seus prprios argumentos e refletir sobre a qualidade das informaes utilizadas.

    A maioridade penal deve ser reduzida de 18 para 16 anos de idade como forma de combater a delinquncia juvenil?

    A presena de

    policiais resolve

    o problema da

    violncia nas

    escolas?

    A mdia e

    a publicidade so

    responsveis

    pela busca

    de uma imagem

    padronizada

    de beleza?

    As desigualdades sociais brasileiras

    provocam o aumento da

    violncia urbana?

    Quem consome drogas deve tambm ser responsabilizado pela violncia do

    narcotrfico?

    Deveria ser permitido o

    trabalho de crianas e adolescentes menores de 14 anos para ajudar no sustento da famlia?

    Restringir a propaganda de bebidas alcolicas diminui o consumo?

    Os recentes empreendimentos agropecurios e

    industriais podem destruir

    a Amaznia?

    As vantagens que

    a internet

    proporciona

    compensam os

    problemas que ela

    pode provocar?

    A venda de armas

    para cidados

    sem antecedentes

    criminais deve

    continuar sendo

    permitida no Brasil?

    Consumir produtos

    piratas deve ser

    considerado to

    grave quanto

    comercializ-los?

    O sistema de cotas pode tornar a sociedade mais justa?

  • Na Ponta do LpisanoVI n

    14

    18Na Ponta do Lpis

    anoVI n

    14

    18

    Uma brincadeira sria

    preciso que o professor conhea bem o material antes de propor essa experincia ldica aos seus alunos. O planejamento cuidadoso das ativi-dades pode ajudar a aproximar os alunos das regras do jogo, favorecendo o desenvolvimento da capacidade de argumentar. Ao propor uma partida importante:

    explorar o material (tabuleiro, caixa com envelopes coloridos, cartas de argumentao, caixinha da pontuao) antes de entrar em contato com as regras;

    conhecer e discutir as regras do jogo;

    ler atentamente a informao contida na carta para ajud-los a entrar no universo da questo polmica;

    examinar a questo polmica e os argumentos presentes na carta, pois nem sempre a argumentao apresentada claramente favor-vel ou contrria a situao;

    compreender que os argumentos apresentados na carta nem sempre coincidem com o prprio ponto de vista a respeito da questo pol-mica;

    relacionar o argumento da carta com a questo polmica para certifi-car-se de que a argumentao favorvel (Sim) ou contrria (No);

    perceber questes lgico-semnticas presentes em cada situao polmica. Por exemplo: Sim o que se deve permitir e No o que se deve proibir.

    entender que s vezes preciso defender uma ideia com a qual no se concorda;

    trabalhar a refutao, isto , descrever um argumento para depois contest-lo, rejeit-lo por meio da argumentao;

    exercitar a competncia de descentrar-se, pensar no argumento que o adversrio pode utilizar;

    reconhecer os argumentos que so consistentes, imbatveis, que sustentam a posio assumida;

    identificar os argumentos frgeis que exigem nova argumentao do jogador;

    perceber a relao lgica entre os dados apresentados na argumen-tao ajuda a classificar os argumentos.

  • Na Ponta do Lpisano

    VI n

    1419

    Na Ponta do Lpisano

    VI n

    1419

    1 2 3 4 5

    Sim

    No

    Vamos exercitar a argumentao?

    importante que os alunos analisem a consistncia da argumen-tao, aprendam selecionar e identificar nas informaes dispon-veis os argumentos favorveis e contrrios, relacionando-os com a questo polmica em discusso.Veja algumas sugestes que podem auxiliar a prtica da argu-mentao.

    Providencie cpias, se possvel, do quadro com a questo polmica e os argumentos.

    Leia para os alunos a questo polmica e as informaes presentes na carta do jogo.

    Esclarea as possveis dvidas sobre a informao apresentada. Divida os alunos em pequenos grupos.

    Apresente uma lista com argumentos variados. Pea aos alunos que leiam e classifiquem os argumentos favorveis (sim) ou contrrios (no) questo. Em seguida, solicite-lhes que orga-nizem a classificao dos argumentos em uma tabela.

    Nmeros

    Tabela preenchida, aproveite para selecionar e circular os argumen-tos que podem ser considerados frgeis ou mantm uma relao mais distante com a questo polmica. Os alunos tambm podem organizar esses argumentos em uma escala/reta numrica...

    Questo polmicaAs vantagens que a internet proporciona compensam os proble-mas que ela pode provocar?

    InformaoEm 2008, 41,6 milhes de pessoas maiores de 16 anos declararam possuir acesso internet em casa, no trabalho, na escola, na lan house, na biblioteca. Ao mesmo tempo em que o uso da internet amplia o acesso comunicao e d mais rapidez s trocas de infor-mao, comeam a surgir problemas provocados pela exposio exagerada da rede, pela dificuldade em controlar contedos impr-prios para crianas e jovens, e pelas redes de pedofilia virtual.

  • Na Ponta do LpisanoVI n

    14

    20

    Globalizao democrtica, facilidad

    e

    de acesso comunicao e rapidez na

    s in-

    formaes so vantagens que compe

    nsam

    largamente ameaas privacidade, c

    omo-

    dismo e riscos de um novo tipo de de

    pen-

    dncia que a internet pode provocar.

    Fonte: Alberto Equs, semioticista, esp

    ecialista em redes sociais, citado

    em reportagem da revista Tempos Mo

    dernos.

    favorvel contr

    rio

    Tipo de argumento

    1

    Na Ponta do LpisanoVI n

    14

    20

    Argumentos favorveis e contrrios

    4

    3

    Da mesma forma que o carro, o

    avio, a

    geladeira, o telefone, deixaram

    a vida mais

    fcil e cmoda, a internet facili

    ta o dia a dia,

    liberando o homem para usar o

    seu tempo

    como quiser.

    Fonte: Henrique Veloso, jornalis

    ta.

    favorvel

    contrrio

    Tipo de argumento

    5

    6

    2

    Especialistas em leitura tm apontado uma forte relao entre o uso crescente da inter