Dissertação Michael Lowy

download Dissertação Michael Lowy

of 216

  • date post

    27-Sep-2015
  • Category

    Documents

  • view

    30
  • download

    4

Embed Size (px)

description

dissertação de mestrado

Transcript of Dissertação Michael Lowy

  • 1

    UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JLIO DE MESQUITA FILHO

    Faculdade de Cincias e Letras Campus de Araraquara - SP

    Fabio Mascaro Querido

    Crtica e autocrtica da modernidade: crise

    civilizatria e utopia anticapitalista em Michael Lwy

    Araraquara S.P. MARO/2011

  • 2

    Fabio Mascaro Querido

    Crtica e autocrtica da modernidade: crise civilizatria e utopia anticapitalista em Michael Lwy.

    DISSERTAO APRESENTADA AO PROGRAMA DE PS-

    GRADUAO EM SOCIOLOGIA - FACULDADE DE CINCIAS E LETRAS (FCL), UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA (UNESP, ARARAQUARA) -, COMO REQUISITO PARA A OBTENO DO TTULO DE MESTRE EM SOCIOLOGIA.

    LINHA DE PESQUISA: SOCIEDADE CIVIL, TRABALHO E MOVIMENTOS SOCIAIS ORIENTADOR (A): PROF. DRA. MARIA ORLANDA PINASSI BOLSA: FAPESP

    ARARAQUARA S.P. 2011

  • 3

    DATA DA DEFESA: 15/03/2011 MEMBROS COMPONENTES DA BANCA EXAMINADORA: PROFA. DRA. MARIA ORLANDA PINASSI PRESIDENTE E ORIENTADOR (A): DEPARTAMENTO DE SOCIOLOGIA, UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA, ARARAQUARA - SP. PROFA. ISABEL MARIA F. R. LOUREIRO MEMBRO TITULAR: DEPARTAMENTO DE FILOSOFIA, UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA, MARLIA - SP. PROFA. ELIANA MARIA DE MELO SOUZA MEMBRO TITULAR: DEPARTAMENTO DE SOCIOLOGIA, UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA, ARARAQUARA - SP. PROFA. LUCILA SCAVONE MEMBRO SUPLENTE: DEPARTAMENTO DE SOCIOLOGIA, UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA, ARARAQUARA SP. PROF. MARCELO SIQUEIRA RIDENTI MEMBRO SUPLENTE: DEPARTAMENTO DE SOCIOLOGIA, UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS SP. LOCAL: FACULDADE DE CINCIAS E LETRAS UNESP CAMPUS DE ARARAQUARA

  • 4

    Transformar o mundo, disse Marx; mudar a vida, disse Rimbaud: estas duas palavras-de-ordem para ns so uma s. Andr Breton. Discurso no Congresso dos Escritores - 1935.

    Ser crtico implica elevar o pensamento to acima de todas

    as conexes a tal ponto que, por assim dizer magicamente, da compreenso da falsidade das conexes, surgiria o conhecimento da verdade. Walter Benjamin. O conceito de crtica de arte no romantismo alemo.

  • 5

    Agradecimentos

    Como de praxe, deve-se ressaltar que este trabalho no seria possvel sem a

    contribuio e o apoio constante de algumas pessoas. Diretamente envolvida, agradeo

    primeiramente minha orientadora Maria Orlanda Pinassi, cujo compromisso com os de

    baixo sempre lhe prescreveu a capacidade de nos ajudar a caminhar para muito alm das

    meras impostaes acadmicas. Sem o seu apoio constante, alm de sua disponibilidade

    para com as tentativas de compreender os impasses do presente, este trabalho seria, no

    mnimo, um intento mais empobrecido, desprovido do esprito crtico caracterstico

    daqueles para quem a racionalidade capitalista atual no , e nem poderia ser, o horizonte

    insupervel da humanidade.

    Alm disso, manifesto minha gratido com as professoras Eliana Maria de Melo e

    Souza e Isabel Loureiro, cujas crticas e sugestes contriburam efetivamente para a

    constituio do texto final. A Isabel Loureiro, em especial, devo tambm agradecer pela

    leitura crtica constante de textos e resenhas de minha autoria, auxiliando de modo decisivo

    a consumao deste trabalho. A ela, todos os meus reconhecimentos. Deve-se mencionar,

    tambm, o importante apoio dado pesquisa pelo prprio objeto, quer dizer, pelo prprio

    Michael Lwy, cuja generosidade e presena de esprito intelectuais constituram um

    estmulo a mais na realizao da pesquisa. Sem, deliberadamente, nunca interferir

    diretamente no contedo do trabalho em andamento, Lwy colocou-se sempre em total

    disposio para ajudar no possvel, inclusive no que se refere s abordagens metodolgicas

    possveis num trabalho desta natureza, isto , uma anlise sociolgica de uma trajetria

    intelectual singular.

    Agradeo igualmente, enfim, alm de meus pais, aos amigos que sempre me

    acompanharam, e cuja confiana e camaradagem contriburam decisivamente para a

    convico de que o trabalho ora apresentado tinha alguma razo de existir. Dentre estes,

    destacam-se especialmente, dentre outros, meus amigos de toda vida Luiz Henrique Fquer

    (Pitu), Pblio Valle, Rubens Junior, Lucas Belilacqua, Renata e Bruna Tno, sem falar

    em todos aqueles que comigo dividiram experincias ao longo de uma trajetria acadmica

    e poltica comum, como Afonso, Bruno Rubiatti, Andr, Adriana, entre vrios outros. Em

    particular, agradeo a Maria Teresa Mhereb pelas sugestes de reviso que, certamente,

  • 6

    contriburam para um texto menos truncado, e mais atinado com a forma adequada

    exposio do contedo desejado. Muitos outros nomes amigos e professores poderiam

    ser mencionados, os quais ajudaram, de uma forma ou de outra, na andamento e na

    consumao da pesquisa.

    Por fim, agradeo FAPESP pelas bolsas de Iniciao Cientfica e de Mestrado

    concedidas, as quais foram de vital importncia para a realizao da pesquisa.

  • 7

    RESUMO: Em toda a sua trajetria, Michael Lwy notabilizou-se pela flagrante

    disposio em reler diversos autores e vises de mundo do passado luz das condies de

    possibilidade do cenrio histrico contemporneo - caracterizado, entre outras coisas, por

    um esgotamento do progresso capitalista e do modelo civilizatrio vigente, como sugere

    a emergncia vertiginosa da crise ecolgica. Partindo desta constatao, o objetivo desta

    dissertao apresentar e problematizar a defesa terica e poltica de Michael Lwy da

    necessidade de uma ruptura do marxismo com as ideologias do progresso e com o

    paradigma civilizatrio capitalista-moderno. A hiptese central a de que o tema da crtica

    da modernidade que se manifesta concretamente nos debates em torno do eco-socialismo

    o eixo a partir do qual se torna possvel conferir concretude histrica trajetria

    intelectual de Lwy: de seus primeiros trabalhos na dcada de 1960 at suas incurses mais

    recentes por diferentes expresses da recusa crtica e/ou utpica da modernidade, tais como

    a crtica benjaminiana da temporalidade histrica do progresso dos vencedores, a crtica

    weberiana e romntica da modernidade e, por fim, a rejeio utpico-religiosa do

    capitalismo moderno, presente em algumas expresses do messianismo judaico na Europa

    Central ou do cristianismo de libertao latino-americano.

    PALAVRAS-CHAVE: Michael Lwy; crtica da modernidade; eco-socialismo; crtica do

    progresso; Walter Benjamin; romantismo; utopia anticapitalista; marxismo libertrio.

    ABSTRACT: Throughout his career, Michael Lwy was most notable by rereading several

    authors and worldviews from the past to the brightening possibilities of the actual times -

    characterized, among others, by the increasing lack of capitalist progress and the current

    model of civilization, as suggested by the vertiginous emergency of the ecological crisis.

    From this viewpoint, this dissertations goal is to present and discuss Michael Lwys

    theoretical and political defense of the rupture necessity of marxism from the progress

    ideologies and the modern-capitalism civilizacional paradigm. The central hypothesis is

    that the subject-matter of modernitys critique - which concret expression may be found on

    debates on eco-socialism - is the center line in which it will be possible to check out on

  • 8

    Michael Lwys career its concret intellectual history: from his first works in the 60s till

    his most recent incursions on different expressions of critical and/or utopical modernitys

    refusal, such as benjaminian critiques to the winners progressive temporality, weberian

    and romantic critiques to modernity and, at last, the utopian-religious rejection of modern

    capitalism, present in some Central Europe jewish messianism expressions and in latin-

    american liberating christianity.

    KEYWORDS: Michael Lwy; critique of modernity; eco-socialism; critical of the

    progress; Walter Benjamin; romanticism; anti-capitalist utopia; libertarian marxisme.

  • 9

    APRESENTAO...............................................................................................................9 CAPTULO 1 .................................................................................................................20 CAPITALISMO CONTEMPORNEO, CRISE ECOLGICA, CRISE CIVILIZATRIA: ECO-SOCIALISMO E RENOVAO DO MARXISMO ........20

    1.1. Eco-socialismo e crtica da modernidade em Michael Lwy ...................................23

    CAPTULO 2 ..................................................................................................................45 UMA TRAJETRIA INDISCIPLINADA: A FORMAO INTELECTUAL DE MICHAEL LWY ........................................................................................................45

    2.1. Marxismo ou a dialtica da totalidade: o mtodo e o primado da prxis ..................58

    CAPTULO 3 ..................................................................................................................67 WALTER BENJAMIN E A CRTICA MARXISTA DO PROGRESSO.....................67

    3.1. A tradio dos oprimidos na contramo da temporalidade vazia e homognea do progresso.......................................................................................................................74 3.2. A histria como catstrofe permanente ou a dialtica do progresso .........................91

    CAPTULO 4 .......................................................................................