Dicionários disponíveis on-line para aprendizes de inglês ... · PDF...

Click here to load reader

  • date post

    26-May-2018
  • Category

    Documents

  • view

    215
  • download

    1

Embed Size (px)

Transcript of Dicionários disponíveis on-line para aprendizes de inglês ... · PDF...

  • 61

    INTRODUO

    Os dicionrios eletrnicos, definidos como qualquer material de referncia armazenado em formato eletrnico que fornea informaes sobre ortografi a, signifi cado ou uso de palavras (NESI, 2000, p.839), so disponibilizados aos aprendizes de lnguas tanto na alternativa off-line quanto na alternativa on-line (dicotomia proposta por Lehr (1996 apud SCHRYVER, 2003)). No primeiro caso, o acesso se d a partir de dispositivos como dicionrios eletrnicos de bolso [pocket electronic dictionaries] e dicionrios em CD-ROM; no segundo, o acesso realizado via interfaces Web, como os dicionrios de uso restrito (apenas para membros associados) e os de uso livre apresentados na internet.

    Levando em conta que a consulta a dicionrios on-line de uso livre uma prtica que, diferentemente da consulta a outros tipos de dicionrios eletrnicos, no gera custos, e, principalmente, uma prtica que proporciona ao usurio o acesso rpido a vrias fontes similares de pesquisa, possibilitando a comparao e a complementao de informaes, propusemo-nos, neste trabalho, a investigar os dicionrios disponveis on-line para os aprendizes de lngua inglesa.

    Iniciamos descrevendo a composio desses instrumentos (macroestrutura, microestrutura, medioestrutura e material adicional) e as opes de acesso s informaes que oferecem e, paralelamente, traamos um comparativo com os dicionrios impressos. Na sequncia, analisamos o contedo e os recursos de pesquisa de dois dicionrios monolngues e dois dicionrios bilngues (os quais se encontram identifi cados na segunda seo do artigo). Por fi m, com base em resultados de pesquisas sobre o uso de dicionrios on-line, discorremos sobre a funcionalidade dos recursos dessas ferramentas.

    Dicionrios disponveis on-line para aprendizes de ingls: estruturao e recursos

    Isabel Cristina Tedesco SelistreDoutoranda do Programa de Ps-Graduao em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Porto Alegre, RS BrasilE-mail: ictselistre@yahoo.com

    Resumo

    O artigo descreve a estrutura e as formas de acesso caractersticas dos dicionrios eletrnicos do tipo on-line disponveis ao aprendiz de lngua inglesa, comparando o contedo e os recursos de dois dicionrios monolngues e dois dicionrios bilnges - o Cambridge Advanced Learners Dictionary (CALD, 2009), o Merriam-Webster Learners Dictionary (MWLD, 2009), o Reverso Dictionary English/Portuguese (RDEP, 2008) e o Wiktionary Ingls/Portugus (WIP, 2009). Discute-se a funcionalidade desses instrumentos em relao s demandas do aprendiz.

    Palavras-chave

    Dicionrios on-line. Aprendizes de ingls. Recursos eletrnicos.

    Dictionaries available online for english language learners: structure and resources

    Abstract

    The objective of this paper is to describe the structure and methods of accessing online electronic dictionaries available to students of English Language. The content and resources of two monolingual dictionaries and two bilingual ones have been compared: Cambridge Advanced Learners Dictionary (CALD, 2009), Merriam-Webster Learners Dictionary (MWLD, 2009), Reverso Dictionary English/Portuguese (RDEP, 2008) and Wiktionary Ingls/Portugus (WIP, 2009)

    Keywords

    Online dictionaries. English language learners. Electronic resources.

    Ci. Inf., Braslia, DF, v. 39 n. 3, p.61-72, set./dez., 2010

  • 62

    1 DICIONRIOS ON-LINE: CLASSIFICAO E COMPOSIO

    1.1 Classifi cao

    Os dicionrios on-line podem ser classifi cados como dicionrios prontos ou dicionrios em construo (STORRER; FREESE, 1996 apud WELKER, 2004, p.228). Os dicionrios prontos correspondem s verses eletrnicas de dicionrios impressos e aos dicionrios especialmente concebidos para aproveitar as vantagens do hipertexto. Os dicionrios em construo compreendem os dicionrios que fornecem a parte do trabalho j concluda pelo(s) seu(s) autor(es) e os dicionrios colaborativos, que so desenvolvidos a partir de contribuies dos seus usurios.

    Os dicionrios prontos e os dicionrios em construo com autoria reconhecida pelos seus pares so obras que apresentam alto grau de confi abilidade, uma vez que so elaborados por especialistas qualifi cados (lexicgrafos, linguistas, pedagogos e outros) e, comumente, abonados por editoras respeitadas no mercado. J os dicionrios colaborativos, embora possam trazer informaes teis ao consulente, no representam fontes lexicogrfi cas fi veis, pois carecem de superviso profi ssional.

    Independentemente da classe, todo dicionrio on-line, tal como os dicionrios impressos, constitudo por uma macroestrutura, uma microestrutura, uma medioestrutura e material complementar.

    1.2 Composio

    1.2.1 Macroestrutura

    A macroestrutura corresponde estrutura global da lista que permite ao redator e ao usurio localizar informaes em uma obra de referncia (HARTMANN; JAMES, 2001). Em outras palavras, a macroestrutura corresponde ao conjunto de itens lexicais (referidos nos estudos lexicogrfi cos como lemas ou entradas) arrolados em um dicionrio.

    Os mesmos tipos de itens lexicais arrolados em um dicionrio impresso so passveis de incluso na macroestrutura de um dicionrio on-line:

    a) lexias1 simples formas cannicas (formas bsicas como house, child, eat e good);

    b) lexias simples formas no-cannicas (formas fl exionadas como ate, children e best);

    c) lexias compostas (como brother-in-law e fl ying saucer);

    d) lexias complexas (como to freeze to death e kick the bucket);

    e) formas truncadas2 (como photo e ad);

    f) siglas (como FDA e NASA);

    g) abreviaturas (como Ltd e Co.);

    h) formas contradas (como aint e wont);

    i) nomes prprios: topnimos (como Finland ) e antropnimos (como Jane Doe);

    j) marcas registradas (como Band-Aid e Coke);

    k) afi xos (como self- e -ful).

    Em relao estrutura de acesso, verifi ca-se que os dicionrios eletrnicos liberam o usurio da busca alfabtica linear (LEECH; NESI, 1999) - nica rota de pesquisa possvel nos dicionrios impressos e oferecem, em geral, uma srie de opes de pesquisa:

    a) browsing: equivalente eletrnico pesquisa em dicionrio de papel - o usurio percorre uma lista alfabtica at encontrar o item de seu interesse (HALL, 2000, p.77);

    b) busca direta: o usurio digita um item lexical na caixa de busca e tem acesso direto ao contedo da entrada (HALL, 2000, p.78);

    1 Pelo fato de o conceito de palavra ser muito abrangente (e, por isso, vago) e o termo lexema ser de domnio da lexicologia, opta-mos pelo termo lexia (proposto por Pottier em 1974).2 Sobre o fenmeno de truncao, ver Peruzzo (2007).

    Isabel Cristina Tedesco Selistre

    Ci. Inf., Braslia, DF, v. 39 n. 3, p.61-72, set./dez., 2010

  • 63

    c) fuzzy search: caso o usurio digite incorretamente um item, o dicionrio oferece uma lista de opes cuja grafi a se aproxime ao que foi solicitado (RIZO-RODRGUEZ, 2008);

    d) wildcards: quando o usurio tiver dvidas em relao grafi a do item, poder substituir a letra em questo por ?, ou utilizar * para qualquer outro nmero de caracteres desconhecidos; esse tipo de busca tambm pode trazer os derivativos do item em questo (JACKSON, 2002, p.70).

    1.2.2 Microestrutura

    A microestrutura a parte em que so organizadas todas as informaes a serem mencionadas acerca do lema (CARVALHO, 2001, p.65); onde, segundo Bugueo e Farias (2006, p. 116), encontramos as informaes acerca do item lexical arrolado na macroestrutura tanto na sua condio de signifi cante comentrio de forma - quanto de signifi cado comentrio semntico.

    1.2.2.1 Componentes da microestrutura

    No comentrio de forma dos dicionrios para aprendizes, qualquer que seja o suporte, comumente temos indicaes de ortografi a (grafi a convencional do item), de diviso silbica (menos frequentemente), de variantes ortogrfi cas, de pronncia e informaes gramaticais (categoria gramatical e, quando o caso, apresentao das formas fl exionadas no previsveis).

    O comentrio semntico traz definies (nos dicionrios monolngues) equivalentes (nos dicionrios bilngues), marcas de uso, desambiguadores semnticos e, em algumas entradas, podem apresentar ilustraes.

    Os exemplos, conforme Farias (2008), podem servir para demonstrar o emprego sinttico do lema ou para reforar a compreenso do seu signifi cado. Assim, podemos dizer que, no primeiro caso, o exemplo faz parte do comentrio de forma e, no segundo, faz parte do comentrio semntico.

    1.2.2.2 Tipos de microestrutura

    Alm do comentrio de forma e do comentrio semntico, a microestrutura acomoda os fraseologismos (expresses idiomticas, frmulas situacionais, frases feitas, provrbios e colocaes etc.).

    A forma de organizar esses fraseologismos pode diferir de um dicionrio para outro. Hausmann; Werner (1991 apud CARVALHO 2001, p.156-160) dividem as microestruturas bsicas em trs tipos:

    a) integrada - as respectivas informaes sintagmticas so apresentadas aps cada acepo;

    b) no-integrada as informaes sintagmticas so separadas das diversas acepes, aparecendo no fi nal do verbete, s vezes, num bloco parte (em alguns casos, esses sintagmas recebem nmeros que se referem acepo qual pertencem, permitindo assim melhor identifi cao);

    c) parcialmente integrada como a microestrutura integrada, porm alguns sintagmas so colocados no fi nal, num pargrafo ou bloco parte, porque no est claro qual acepo pertencem.

    1.2.3 Medioestrutura

    A medioestrutura o sistema de remisses (ou referncias cruzadas) do dicionrio, isto , o sistema que remete o usurio de uma parte do dicionrio a outra (BUGUEO, 2003, p.108).

    As remisses, segundo Wiegand (1996 apud WELKER, 2004, p. 178-179), podem ser obrigatrias, quando o usurio recebe a informao desejada apenas se seguir a remisso (por exemplo, a remisso de uma forma fl exionada para a sua forma cannica); ou facultativas, quando o consulente segue a remisso se desejar informaes adicionai