Christo Redemptor - Exposição

download Christo Redemptor - Exposição

of 32

  • date post

    21-Jan-2015
  • Category

    Education

  • view

    690
  • download

    2

Embed Size (px)

description

 

Transcript of Christo Redemptor - Exposição

  • 1. Exposio comemorativa dos 75 anos do monumento ao Cristo Redentor

2. O Cristo Redentor, com seus braos abertos sobre a Guanabara, como cantou o clebre compositor e poeta, ao completar 75 anos de existncia, continua sendo um signo de reconhecimento do Rio de Janeiro, de sua gente e do esprito carioca em todo o pas e no cenrio internacional. Quando se observam imagens antigas do morro do Corcovado, anteriores construo do monumento, prevalece um sentimento de vazio, de orfandade, causado pela ausncia de um smbolo que hoje nos parece eterno e de tal forma se harmoniza com seu entorno, decorando a bela paisagem. Planejado para as comemoraes do centenrio da Independncia do Brasil, ocorrido em 1922, o Cristo Redentor foi finalmente inaugurado em 12 de outubro de 1931 uma idia arrojada para a poca, resultado do empenho da igreja catlica e de todos os que colaboraram com os recursos necessrios para concretiz-la. No entanto, o Redentor faz parte do universo afetivo de todos os cidados, transcende religies e ideologias; um dos mais famosos cones da Cidade Maravilhosa, a ponto de um cronista afirmar que possui alma carioca todo aquele que, debruando-se a uma janela, em UM CRISTO BRASILEIRO 3. qualquer local da cidade, busca avist-lo como um ponto crucial de referncia. O SESC RIO, por meio desta exposio, cumpre, mais uma vez, seu objetivo de prestigiar a arte nas suas inmeras formas de expresso, associando-se aos que homenageiam esse monumento como um dos marcos que fundam a nossa identidade, contando e divulgando a rica histria de sua criao e construo. SESC RIO AYRTON 2006 4. Christo Redemptor entrega ao Rio de Janeiro a receita original do carioca, que andava sumida. Parece anacrnico at na grafia do ttulo. Mas, com imagens de um tempo em que os moradores da cidade ainda queriam construir o Rio de Janeiro, Bel Noronha fura a onda de mau humor que encrespa o noticirio de cada dia, devolvendo s praias uma alegria coletiva que estava afogada no passado recente. Para ela, a esttua no penhasco do Corcovado no s um mirante debruado num presente meio sombrio. um memorial da f que o carioca j teve em si mesmo. Praia de Botafogo, c.1922 Thiele (atribuio)/Coleo Gilberto Ferrez Acervo Instituto Moreira Salles 5. Rua So Clemente, c.1865 Camillo Vedani/Coleo Gilberto Ferrez Acervo Instituto Moreira Salles A exposio ensina a olhar para cima e ver que o monumento no caiu do cu por descuido. Nem est ali como prova de que Deus brasileiro. E muito menos francs. Tem traos moldados na Frana, sim. Mas foram desenhados em pequena escala pelo escultor francs Paul Landowski. O gigante de concreto armado produto genuno da teimosia nativa. Para constru-lo, at alunos de colgios cariocas e tribos bororos de Mato Grosso aderiram coleta nacional de donativos, na campanha nacional de arrecadao que tirou do papel o projeto. Bel Noronha vem a ser, por sinal, bisneta do engenheiro Heitor da Silva Costa, que construiu a esttua. Levou trs anos para fazer o filme, que deu origem a esta exposio. Era seu primeiro documentrio. Ela escreveu o roteiro, produziu os recursos, entrevistou os ltimos sobreviventes dessa empreitada cvica de 1921, revirou arquivos pblicos e lbuns de famlia. Acabou descobrindo o que o carioca j tinha esquecido. Ou seja, que bom humor tambm d trabalho. Marcos S Corra 6. A nica coisa que eu sei que foi feito pelos franceses, um pre- sente para o Rio, eu acho que isso, no sei se verdade. ESPAO DA DVIDA 7. Pelo que eu sei, o Cristo Redentor foi doado pelo governo na poca Francs e veio de navio para o Rio de Janeiro. Muitas partes do Cristo foram transportadas de helicptero. Realmente ele foi feito por brasileiros, com dinheiro dos brasileiros. Eu sei que quem construiu o Cristo foi o Heitor da Silva Costa. Ele era meu tatarav. 8. HEITOR DA SILVA COSTA (*) A realizao deste nobre e religioso ideal, representado pela grandiosa imagem de Cristo do Corcovado, exigiu a cooperao no s dos maiores esforos morais, tcnicos e artsticos, como tambm de toda a dedicao de seus obreiros, desde os mestres de servios at os mais humildes operrios. Conjugados estes esforos com os donativos espont- neos e generosos do povo brasileiro, ergueu-se face da terra, em trono magnfico, a imagem do Senhor dos Mundos. Carto de membro do Clube de Engenharia Acervo do Clube de Engenharia Apoiado pela decidida confiana de Sua Eminncia o Sr. Cardeal Dom Sebastio Leme e pela digna Comisso do Monumento a Cristo Redentor, tendo obtido a colabora- o do renomado escultor Paul Landowski, a quem apresentei planos e projetos por mim elaborados nesta cidade, em conseqncia da primeira colocao obtida em concurso, com a colaborao da firma Pelnard, Considere e A. Caquot nos delicados e minuciosos clculos de estabilidade da estrutura em concreto armado do monumento, contando com a dedicao do digno engenheiro fiscal Dr. Pedro Fernandes Vianna da Silva para facilitar-me a singular empreitada e com a de auxiliares e artfices competentes dentre os quais destaco por sua eficincia e dedicao insupervel, Heitor Levy, pude efetuar, em tempo relativamente curto, uma obra que a muitos se afigurava como de impossvel realizao pelas dificuldades tc- nicas a enfrentar; e a outros se apresentava como fracasso inevitvel em vista do alto custo da sua feitura; e a sistemticos opositores era tida como antiesttica e desnecessria. Heitor da Silva Costa Acervo Famlia Silva Costa Fazer uma imagem de Cristo uma alta aspirao e uma grande responsabilidade. Faz- la em propores descomunais seria, sem dvida, a aspirao e responsabilidade mximas de uma vida. Heitor da Silva Costa de mos dadas com seu neto Jos, e Heitor Levy de branco direita Acervo Famlia Silva Costa Avenida Central Prdio ns. 22, 24, 26 - Proprietria: Com- panhia E.F.S. Paulo e Rio Grande Rio de Janeiro Marc Ferrez Coleo Gilberto Ferrez / Acervo Instituto Moreira Salles Heitor e sua equipe na construo em meados de 1929. Da es- querda para direita, o engenheiro arquiteto Heitor da Silva Costa, os engenheiros Pedro Fernandes Vianna da Silva, Antonio Ferreira Antero e Heitor Levy. Acervo Famlia Silva Costa Casa Av. Atlntica Acervo Famlia Silva Costa * Os textos narrados nessa exposio so de autoria de Heitor da Silva Costa. Acervo Famlia Silva Costa 9. Fotos Airton Camargo AYRTON2006 AYRTON2006 LINHA DO TEMPO (1921 - 1931) 10. Ao ser idealizado este monumento s uma aspirao forte o dominava: inspirao religiosa apoiada em ardente f. Surgiu assim a idia da esttua monumental sem preocupao de detalhes. Algum tempo antes da passagem do primeiro centenrio de nossa Inde- pendncia Poltica foi lanada a idia de ser comemorado este feito com expres- sivo monumento, erguido em elevado monte em honra e glria a Jesus Cristo Redentor. Aceita esta proposta, foi imediatamente organizada a 1 comisso executiva do monumento, e providen- ciada a abertura da concorrncia de projetos e escolha do melhor lugar para erigi-lo, resultando da a preferncia do Corcovado e a aceitao dos desenhos e maquetes por mim organizados. HenryCHAMBERLAIN/VistadeBotafogo-c.1819/leo sobremadeira,19x33cmColeoPauloeMariaGeyer/ MuseuImperial-IPHAN O Morro do Corcovado foi de- nominado Pinculo da Tentao pelos primeiros navegantes por- tugueses aqui aportados, em referncia a um monte muito alto, onde pela segunda vez o demnio tentou a Nosso Senhor prometendo-lhe o domnio dos reinos deste mundo. O Corcovado tornou-se obsesso para o virtuoso sacerdote, Padre Boss, que pressentindo o aproxi- mar da morte, lana seu sonho posteridade: 1500 - PINCULO DA TENTAO 1859 - PADRE BOSS 1921 - IDIA E CONCURSO Esta nova concepo foi fortemente in- fluenciada por um fato interessantssimo: a instalao feita no Corcovado, pela Cia. Telefnica, de altas torres munidas de antena e de vrios braos transversais para estabelecer a comunicao entre o Rio de Janeiro e os EUA. Da frente da casa de meu pai, na Praia de Botafogo, via-se perfeitamente a antena, que parecia uma cruz formada pela torre de 40 metros de altura. Corcovado! L se ergue o gigante de pedra, alcantilado, altaneiro e tristecomoqueinterrogandoohorizon- te imenso... quando vir?... H tantos sculos espero!... Sim, aqui est o pedestal nico no mundo! Quando vem a esttua co- lossal, imagem de Quem me fez? Quando organizei o projeto da esttua monumental do Cristo Redentor, em concorrncia aberta para este fim, eu no conhecia absolutamente esta invocao. Padre Pierre Marie Boss Fonte: Edio Especial da Excelsior Acervo Srgio Ferreira Projeto de Heitor da Silva Costa vencedor da concorrncia Arquivo do Servio de Documentao da Marinha Foto da Aviao Naval Acervo Famlia Carlos Oswald Acervo Famlia Silva Costa Acervo Famlia Silva Costa 11. A Estrada de Ferro do Corcovado foi construda pelos engenheiros Francisco Pereira Passos e Joo Teixeira Soares. A Estrada foi a primeira a ser construda no Brasil, exclusivamente com fins tursticos. Inaugurado o primeiro trecho, at Paineiras, em 9 de outubro de 1884, a primeira viagem, at o Alto, foi realizada em 30 de julho de 1885. Como no havia estrada de rodagem, o transporte de todos os materiais necessrios execuo da obra foi feito pelos trenzinhos, sem os quais no teria sido possvel a construo do Cristo Redentor. O Chapu do Sol foi montado na poca da inaugurao da ferrovia. Era um grande coreto de 13,5m de dimetro, pr-fabricado na Blgica, que se colocava exatamente onde foi posteriormente edificado o Cristo Redentor. Transferido na poca da grande obra para um ponto abaixo, onde hoje existe um restaurante, permaneceu ali at 1940, quando foi desmontado, para dar lugar s obras das novas escadarias e mirantes. Os atributos da redeno tiveram representao material em meu primeiro projeto. Depois de meditado estudo, porm, o simbolismo substituiu o realismo e pude elaborar um segundo projeto, moldado no mesmo esprito e propores do primeiro. A cruz foi armada em meu segundo projeto, pelo tronco ereto e braos horizontais; o mundo tem-no a Imagem a seus ps, na cidade e no oceano i