B.Häring, Vocações Ministeriais, prognósticos para o futuro

Click here to load reader

  • date post

    11-Feb-2015
  • Category

    Documents

  • view

    6
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of B.Häring, Vocações Ministeriais, prognósticos para o futuro

CADERNOS FUNDAMENTOS | 1

Bernhard Hring

Vocaes Ministeriais: prognsticos para o futuro

A diferena entre aqueles que convicta e conscientemente vivem o exemplo do baptismo de Jesus no Jordo no esprito e no sangue e, por outro lado, aqueles catlicos de bero que so mais ou menos seguidores passivos muito mais relevante do que a diferena entre o sacerdcio ministerial e o sacerdcio universal

Livraria Fundamentos | Braga, Setembro 2012

Bernhard Hring (1912-1998): missionrio redentorista alemo. J como padre, participou na 2 Guerra Mundial no corpo mdico alemo na frente russa. Destacou-se pelo seu trabalho de renovao da teologia moral catlica, na passagem de um modelo casusta (uma moral segundo casos e regras), para um modelo personalista, no qual se conjugam as exigncias crists do seguimento de Jesus com uma compreenso do ser humano segundo os contributos da psicologia e das cincias sociais, na melhor herana paulina: A lei do Esprito da vida em Cristo (Rom 8,1) Teve um papel importante durante o Conclio Vaticano II, nomeadamente como secretrio da redaco da constituio Gaudium et Spes. Durante as dcadas seguintes continuou a sua misso como evangelizador e telogo moral na Europa e EUA, tendo sofrido tambm um processo desgastante pela Congregao para a Doutrina da F. Em Portugal foram publicadas numerosas obras: actualmente destacam-se ltima Palavra de Profeta: Igreja, Estmulos e Esperanas, Vida em Cristo Plenificada: as Virtudes do Cristo Adulto, e A Igreja que eu Amo (esgotado).

Cadernos Fundamentos | I | Bernhard Hring

2

Traduzido do original: Priesthood Imperiled: a critical examination of ministry in the Catholic Church. Ed. Triumph Books, Liguori Missouri 1996 ISBN: 0892439203 A traduo corresponde ao captulo IX da obra, com o ttulo Prognosis for the future of Priestly Vocations, pginas 121-137 e 165-166 (A Closing Prayer) da edio original Os nossos agradecimentos Liguori Publications pela gentil cedncia dos direitos de traduo das pginas assinaladas.

Traduo: Gustavo Cabral e Rui Vasconcelos

Livraria Fundamentos Av. Gen. Norton de Matos 78 4700-387 Braga Tel: 253272208 livraria.fundamentos@gmail.com www.fundamentos.pt

Cadernos Fundamentos | I | Bernhard Hring

3

Prognsticos para o futuro das vocaes presbiteraisA questo sobre o futuro das vocaes presbiterais pode ser extremamente dolorosa se a discusso se centrar apenas na escassez de padres, sem prestar a ateno essencial aos sinais dos tempos e vocao fundamental de todos os cristos. Tal perspectiva muito estreita, at prejudicial misso da Igreja. Deste modo, insisto que devemos dirigir um novo olhar vocao fundamental de todos os cristos, de modo particular luz do baptismo de Jesus por Joo, no Jordo. A vocao de Cristo qual somos chamados , acima de tudo, a vocao do Servo no-violento de Yahweh para a salvao e paz no mundo. O anncio da feliz boa-nova da paixo, morte e Ressurreio durante a vida a pblica de Jesus depende da sua relao e do seu chamamento pelo Pai. Tu s o meu filho muito amado (Mc 1,11). Jesus chamado e consagrado para carregar os jugos da Humanidade numa solidariedade salvfica, de modo a libertar a Humanidade das lgicas destrutivas do pecado. Ele o profeta que vai nossa frente, guiando-nos no caminho da paz, da no-violncia e da fora do amor que procura transformar os inimigos em amigos. Imediatamente depois do acontecimento do Baptismo, o Evangelho de Mateus oferece-nos uma das chaves essenciais para compreender o drama da Salvao. F-lo desmascarando as maiores tentaes satnicas, iluminando as falsas expectativas de um violento e poderoso Messias, e expondo os abusos da religio para obter lucro, poder e exaltao. Apesar de as tentaes rodearem a Jesus de todos os lados, elas no tm absolutamente nenhum poder sobre ele. Foi em nosso benefcio que Jesus desmascarou de uma vez por todas essas tentaes atravs da sua absoluta fidelidade sua vocao como Servo-Filho de Deus, sofredor e no-violento.

Cadernos Fundamentos | I | Bernhard Hring

4

Compreend-lo sobretudo um modo de aprofundar a nossa vocao crist luz da vocao de Jesus. Assim, torna-se evidente que o futuro de todas as vocaes crists depende da nossa inteira fidelidade aos passos do Servo de Yahweh neste novo contexto. Isto implica que o futuro da Igreja ser marcado no apenas por vocaes particulares, mas sobretudo por aqueles que conscientemente tomam uma opo pessoal por seguir a Cristo, o Servo noviolento de Deus. A diferena entre aqueles que convicta e conscientemente vivem o exemplo do baptismo de Jesus no Jordo no esprito e no sangue e, por outro lado, aqueles catlicos de bero que so mais ou menos seguidores passivos muito mais relevante do que a diferena entre o sacerdcio ministerial e o sacerdcio universal. O que realmente caracteriza os cristos a profundidade da sua compreenso do que Desde a era significa ser chamado em e por Cristo para Constantiniana at servir a causa do Reino do Servo de Yahweh, e a praticamente sua firmeza em abraar esta vocao que a todos presente era, a maioria abrange. das pessoas era crist Esta perspectiva o fundamento bsico de por nascimento. Agora todas as vocaes crists, incluindo a vida o novo paradigma presbiteral num sentido estrito. Esta no uma urge-nos mais ideia completamente nova. Os meus pais, que claramente para eram cristos por nascimento, tornaram-se, ao sermos e tornarmo-nos longo das suas vidas, cada vez mais cristos por cristos por escolha, opo, e enquanto o viveram de modo especial por vocao. na sua vocao como esposos e pais, viveram-no tambm como comprometidos criativamente na vida da Igreja. Foram agricultores segundo o sinal do Criador, amigos dos pobres, e em igual medida, enfrentaram enormes perigos na sua firme e corajosa resistncia ao regime de Hitler. Robert Schuman, que com Alcide de Gaspari e Konrad Adenauer foi um dos principais construtores da reconciliao na Europa Central, a certa altura hesitou entre a vocao presbiteral e a poltica profissional. O presbtero que lhe disse que poderia viver mais plenamente a sua vocao crist na poltica do que no ministrio presbiteral prestou um grande servio Igreja e ao Mundo. Como jovem professor, eu tive a sorte de conhecer de Gaspari e a sua famlia. Com uma simplicidade impressionante, em diversas ocasies eleCadernos Fundamentos | I | Bernhard Hring 5

serviu em celebraes da Eucaristia a que presidi. Foram homens assombrosos que viveram a sua vocao crist mantendo o testemunho do Servo noviolento de Yahweh. De modo nenhum pretendo menosprezar a vocao presbiteral, tendo eu tantas razes de a agradecer; mas atrevo-me a dizer que o futuro da Igreja e das vocaes ministeriais depende de uma mudana radical do paradigma constantiniano para o da vocao crist livremente assumida evitando, a todo o custo, qualquer pensamento de superioridade. Tal mudana significar, necessariamente, uma nova abordagem vocao do sacerdcio ministerial. Haver um nmero suficiente de vocaes presbiterais se a abordagem se fizer num sentido ao mesmo tempo mais amplo e mais especificamente cristo da vocao, e sempre em vista da salvao do mundo. Que bno encontrar mdicos e todo o tipo de terapeutas que, de um modo convicto, abraam a vocao crist como curadores e, ao mesmo tempo, do testemunho de Cristo-curador! Do mesmo modo, no podemos tambm referir os advogados que sabiamente trabalham no sentido de criar leis mais humanas e de melhor as aplicar, apontando, atravs da sua profisso, para Cristo que no veio para julgar mas para salvar? Penso aqui num dos meus antigos estudantes que entusiasticamente estudou teologia mas que no se sentiu chamado ao celibato. Como juiz num tribunal de menores, desenvolveu uma magnfica e criativa capacidade libertadora. Em vez de enviar jovens problemticos para a priso, ofereceulhes oportunidades teraputicas para mudar as suas vidas para melhor servindo a comunidade. Por exemplo, os jovens foram encarregados de visitar os doentes e idosos, por vezes levando-lhes flores e perguntando-lhes em que poderiam ser-lhes teis. Os jovens foram proibidos de dizer s pessoas a quem visitavam que o faziam como cumprimento de uma pena pelo seu mau comportamento, especialmente porque o juiz no decretou essas penas com o objectivo de punir. Um livro poderia ser escrito sobre a variedade de vocaes e de caminhos pelos quais podemos viver a nossa vocao crist para a salvao do mundo, de modo a que o novo paradigma de cristos por vocao adquira carne e sangue. No temo que tal viso possa ser em detrimento da especfica vocao ministerial. Pelo contrrio, acredito que pode acentuar significativamente a sua autenticidade.Cadernos Fundamentos | I | Bernhard Hring 6

Deve a Igreja reconhecer a sacramentalidade das diversas vocaes ministeriais?Ao renovar a doutrina do sacerdcio ministerial dos fiis, e ao confiar explicitamente uma diversidade de actividades apostlicas e eclesiais a leigas e leigos, o Conclio Vaticano II deu um contributo oportuno e significativo para a questo das vocaes. Por todo o globo, ainda que em diferentes graus e diversas modalidades, um clero no-clerical emergiu. Com grande alegria e confiana no futuro da Igreja, pude observar este desenvolvimento sobretudo em frica. Milhares de catequistas bem preparados, juntamente com as suas generosas esposas, fazem praticamente todo o trabalho paroquial, o que inclui a catequese, a formao de adultos, mediao de paz, edifcios comunitrios, cuidado com os pobres e doentes, solenes e festivas celebraes do baptismo e, em cada domingo, celebram a liturgia da Palavra e presidem ao servio da comunho, apenas para referir algumas actividades. luz destes contributos excepcionais, a minha questo : devem estas pessoas ser obrigadas a percorrer longas distncias a p ou de bicicleta para receber o po previamente consagrado? De um ponto de vista legal, considerado tudo o que fizeram, eles ainda no participam de um sacerdcio sacramentalmente constitudo. A ma