Art CATARINA-SILVA Psicologia Ergonomica de Leplat 2006

Click here to load reader

  • date post

    01-Dec-2015
  • Category

    Documents

  • view

    49
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Art CATARINA-SILVA Psicologia Ergonomica de Leplat 2006

  • 47 Aportes del trabajo colectivo a la gestin de la seguridad laboral en situacin de riesgo en el mbito ferroviario

    Ceclia De la Garza & Annie Weill-Fassina

    ResumenQueremos presentar sumariamente, con este artculo, el diseo terico-metodolgico de la psicologa ergonmica construida a lo largo de varias dcadas por el Profesor Jacques Leplat. Hemos organizado esta sntesis en tres partes. En la primera parte hacemos una presentacin general de los diseos de Lep-lat relativos a la psicologa ergonmica y su relacin con la er-gonoma, a continuacin trazamos la relacin y especi cidades del anlisis psicolgico de la actividad y del anlisis ergonmi-co del trabajo y terminamos con un modelo-gua de anlisis, ampliamente difundido en las obras del autor. En la segunda parte nos centraremos en dos perspectivas de anlisis de la ac-tividad: el anlisis centrado en la tarea y el anlisis centrado en su agente, el operador. En la tercera parte nos situaremos en las propiedades, bene cios y limitaciones de algunos mtodos utilizados en ese anlisis.

    Palabras-clave: psicologa ergonmica, anlisis psicolg-ico del trabajo, tarea, actividad, mtodos

    1. Uma pequena histria na histria de Jacques Leplat

    O Professor Jacques Leplat constitui uma referncia incontorn-vel na comunidade cient ca de psicologia do trabalho e de er-gonomia e cujo reconhecimento do contributo da sua obra, para o desenvolvimento e a rmao cient ca daqueles domnios, se estende muito para alm da comunidade a que pertence, a francfona. A obra de Leplat numerosa, abrange diversos cam-pos dentro da psicologia do trabalho e da ergonomia e estende-se por um perodo j longo. Meio sculo de produo bibliogr- ca di culta-nos no s o alcance do enquadramento dos seus textos, como tambm a obteno das suas publicaes origi-nais para realizar um trabalho de sntese. Reconhecendo essa di culdade mas tambm a pertinncia, a utilidade e mesmo a actualidade de muitos desses textos, o prprio Jacques Leplat viabiliza a sua acessibilidade aos leitores, primeiramente numa publicao colectiva em dois volumes, da qual coordenador, Lanalyse du travail en psychologie ergonomique (1992-3)

    onde surgem vrios textos com a sua assinatura (Leplat, 1971-72; 1985a; 1986; Leplat & Bisseret 1965; Leplat & Hoc 1983), posteriormente rene um conjunto de outros textos, exclusiva-mente da sua autoria e republica-os na obra Regards sur lactivit en situation de travail. Contribution la psychologie ergonomique (1997). Mais recentemente decide retomar todos esses seus escritos anteriores, que so considerados hoje refe-rncias clssicas no s no domnio da psicologia ergonmica mas tambm da ergonomia, juntando-lhes trabalhos mais re-centes no s do prprio Leplat mas de outros autores igual-mente reconhecidos e publicar um livro original Lanalyse psychologique de lactivit en ergonomie. Aperu sur son volu-tion, ses modles et ses mthodes (2000).Ao material acima referido, ao qual tivemos acesso, juntmos artigos publicados em peridicos e outras publicaes mais an-tigas com a assinatura de Leplat, nomeadamente os livros La psychologie ergonomique (1980) e Introduo psicologia do trabalho (1983), este ltimo publicado originalmente em 1976 em colaborao com Xavier Cuny.Muitos assuntos publicados por Leplat, de inegvel relevncia, no sero tratados neste artigo. So exemplos as publicaes individuais ou em colaborao no domnio da abilidade e da anlise de erros e de acidentes (1985; 1989; 1990; 1993; 1996; 2003; Leplat & Cuny 1979; Leplat & Terssac, 1990; Rasmussen, Duncan & Leplat, 1987) da formao e da aquisio de habilida-des e de competncias (1988; 1990a;, 1991; 1992; 1995; 2000a; 2002), da dimenso colectiva do trabalho (1991a, 1993a, 1994, Leplat & Savoyant 1984), e as re exes em torno do estatuto da prpria psicologia do trabalho, levantando a esse propsito numerosas questes nas prticas metodolgicas (1978; 1982; 1982a;1997; 2000) Mas esta reduo impunha-se e estamos de acordo com o autor quando, na sua ltima publicao, utiliza a expresso aperu, que podemos traduzir para portugus por resumo, relance, apanhado. isso que vamos procurar fazer nas pginas que seguem, centrando-nos no essencial das ideias apresentadas por Leplat em torno da anlise psicolgica da actividade.No texto que se segue o leitor encontrar referncias bibliogr- cas de outros autores, quase exclusivamente francfonos, aos quais Leplat faz, de uma forma sistemtica, aluso nas suas

    Apresentao de ObrasSobre a Psicologia Ergonmica de Jacques LeplatCatarina Silva

    csilva@fmh.utl.pt

    Faculdade de Motricidade Humana

    Estrada da Costa, Dafundo

    1495 688 Lisboa

    Portugal

    Volume II | n2 | 2006 | pp. 47-61

  • 48

    obras. Embora se trate de uma sntese das ideias de Leplat, e priori o aparecimento destas referncias bibliogr cas possa parecer estranho, tornou-se inevitvel a sua incluso em virtude do suporte e coerncia que elas do s ideias do prprio Le-plat.

    2. Alicerces da psicologia ergonmica

    2.1. Origem, conceito e relaes com a ergono-miaEncontramos na obra de Leplat La psychologie ergonomique (1980), provavelmente, a primeira tentativa de sistematizao de uma concepo de relaes entre a ergonomia e a psicolo-gia. Na introduo, o autor comeou precisamente por reconhe-cer que aquele ttulo no era comum e poderia mesmo surpre-ender os leitores. Mas acrescentou que o mrito da expresso era de ser breve, uma vez que preferiria designar a obra de Psychologie du travail en ergonomie, mais explcito em rela-o ao objecto de estudo. Alis, foi este o ttulo dado pelo au-tor, alguns anos antes (1972), ao texto que constitui o seu con-tributo na obra colectiva dirigida por Reuchlin. De qualquer forma no deixou de se questionar No falamos ns de psico-logia pedaggica, de psicologia mdica, de psicologia patolgi-ca, porque no de psicologia ergonmica? Designaremos assim o campo da psicologia que est em relao com a ergonomia (p.5, traduo livre).No obstante estas consideraes o que facto que Leplat recentemente retoma a expresso colocando-a em ttulos de duas obras Lanalyse du travail en psychologie ergonomique (tomo 1 e 2, 1992-3) e Regards sur lactivit en situation de travail. Contribution la psychologie ergonomique (1997).Vejamos ento o que que Leplat queria dizer com a expresso o campo da psicologia que est em relao com a ergonomia. A ergonomia era entendida pelo autor como uma () tecnolo-gia cujo o objecto o arranjo dos sistemas homem-mquina, ou mais geralmente das condies de trabalho, em funo de crit-rios cujos mais importantes caracterizam o bem-estar dos traba-lhadores (sade, segurana, satisfao, conforto, etc.). (1980, p.6, traduo livre).

    A psicologia ergonmica constituda pelo conjunto de conheci-

    mentos psicolgicos pertinentes anlise e soluo dos proble-

    mas ergonmicos. Estes conhecimentos so resultantes de traba-

    lhos conduzidos no quadro da prpria psicologia ergonmica, mas

    tambm da psicologia em geral. Eles cobrem campos diversos:

    percepo, sensrio-motricidade, resoluo de problemas, deciso,

    aprendizagem, psico-semiologia, personalidade, etc. (1980 p.6, tra-

    duo livre).

    Portanto, na opinio de Leplat, a ergonomia constitua um dos campos onde a psicologia podia e devia intervir. Este campo fazia parte, a par com outros, do domnio de interveno da psicologia do trabalho:

    A psicologia do trabalho, sector da psicologia, tem por objecto

    geral o estudo das condutas do Homem no trabalho: ela inclui pois

    a psicologia ergonmica ao mesmo tempo que a ultrapassa. Com

    efeito, a ergonomia no seno um dos campos de interveno da

    psicologia do trabalho: entre outros citamos a formao, o recruta-

    mento, a avaliao do trabalho, etc. (1980, p.7, traduo livre).

    Dezassete anos depois Leplat (1997) apresenta uma nova con-cepo da relao entre a psicologia e a ergonomia cujo aspec-to essencial, do nosso ponto de vista, a considerao explci-ta da ergonomia como disciplina e consequentemente o abandono da ideia de encar-la apenas como campo de aplica-o de diversas cincias, entre as quais da prpria psicologia. (...) ns consideramos a ergonomia como uma tecnologia [1], quer dizer como disciplina que visa transformar o trabalho (...) (p. 3, traduo livre) Neste enquadramento, a psicologia ergo-nmica cobre os conhecimentos de psicologia susceptveis de contribuir para a ergonomia, para o desenvolvimento dos seus conhecimentos e das suas intervenes, quer dizer para a an-lise e para a soluo de problemas ergonmicos. (p.3, tradu-o livre). claro que esta nova concepo da psicologia ergonmica no est desligada da evoluo das concepes relativas ao estatu-to cient co da prpria ergonomia, o qual tem sido objecto de debate nos ltimos anos (Daniellou, 1996; Dessaigne & Gaillard, 1997; SELF, 1997).Neste novo quadro de relaes Leplat (1997; 2000) situa a es-peci cidade, mas tambm o contributo, da anlise psicolgica da actividade na abordagem ergonmica.

    2.2. Anlise psicolgica da actividade e anlise ergonmica do trabalho.Em variados textos, Leplat (1986; 1993b; 1997; 2000) procura distinguir a anlise psicolgica do trabalho da anlise ergon-mica do trabalho.

    () a anlise psicolgica do trabalho no sinnimo de anlise

    ergonmica do trabalho. A anlise psicolgica visa essencialmen-

    te analisar os mecanismos da actividade postos em jogo em situa-

    o de trabalho. A anlise ergonmica, visa analisar a situao de

    trabalho com vista a transform-la, e a psicologia no mais que

    uma das suas dimenses, no necessariamente a principal. (Leplat,

    1993b, p.121, traduo livre).

    Esta distino reenvia para as relaes atrs referidas entre a prpria psicologia e a ergonomia.Nesta concepo, Leplat v com toda a vantagem a conjugao da anlise psicolgica do trabalho com anlises que se ocupem de outras dimenses ( siolgica, semiolgica, sociolgica, etc.,) concorrendo com elas para um melhor co