Arquitetura Islâmica: os árabes, o Islã e outros fileArquitetura Islâmica:...

Click here to load reader

  • date post

    18-Nov-2018
  • Category

    Documents

  • view

    225
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Arquitetura Islâmica: os árabes, o Islã e outros fileArquitetura Islâmica:...

  • Arquitetura Islmica:

    os rabes, o Isl e outros povos

    1

    Lygia Rocco out/nov. 2010

    Curso apresentado por Andrea Piccini e Lygia Rocco para o Instituto da Cultura rabe out.nov. 2010

    Aula 5

    Lygia Rocco out/nov. 2010

  • Arte Islmica

    Lygia Rocco out/nov. 20102

  • Lygia Rocco out/nov. 2010

    Azulejo em cermica com o santurio da Kaaba em Meca Turquia sculo XVI. Museu do Cairo de Arte Islmica. Telha decorada com uma representao estilizada da Kaaba no centro da grande mesquita de Meca, e o prtico que delimita o quadro interno. Nas representaes deste tipo, que tambm aparecem nos livros, o que importante no a preciso topogrfica, mas a enumerao dos aspectos mais importantes do santurio. Entre outros detalhes se podem reconhecer os seis minaretes da mesquita, o minbar e a fonte zamzam (ou poo de Ismael), trazida por Deus no deserto para socorrer Hagar, a concubina de Abrao e seu filho Ismael, que estavam sem gua quase a morrer.

    3

  • Lygia Rocco out/nov. 2010

    A guarda da chave da Kaaba era um dever da famlia de Banu Shaiban, a soberana de Meca e Medina e significou era um alto privilgio para muitas outras dinastias como os Fatimidas, os seldjucidas e os aiubidas, representava uma reafirmao do prestigio poltico do guardio da chave. Em 1517 os otomanos detiveram o domnio sobre Meca e tambm, simbolicamente, o poder da chave. A partir de 1924, a vigilncia de Meca e tudo relacionado com a peregrinao passaram a ser uma prerrogativa da Casa Real Saudita. Em 1986 o rei Fahd deps oficialmente o tijolo real e em seguida se definiu o protetor dos dois lugares santos..

    4

  • O profeta Moiss e Muhammad com o anjoGabriel (museu de Berlim - talvez sc. XVI)A viagem ao cu de Muhammad se constitui umdos temas preferidos da miniatura islmica. Omotivo derivado das vises do Profeta descritano Alcoro, em que aparecem os mensageirosdivinos. Baseados nos hadiths transmitidos porIbn Ishaq, Muhammad, conta-se que o anjoGabriel o havia conduzido atravs do sete cus,onde ele havia visto a diviso feita de Ado entrea (alma) anime boa e ruim, e ento se encontroucom Moiss. Disse que quando perguntaram

    Lygia Rocco out/nov. 20105

    com Moiss. Disse que quando perguntarampara ele (Muhammad) quantas oraes eleexigiria, e ele respondeu 50 por dia. Moissdisse: A orao uma coisa muito difcil, o teupovo fraco Moiss deixou que Muhammadimplorasse a Deus uma reduo das oraes,at que por fim ficaram as cinco oraes diriase obrigatrias at hoje.

  • Halima, ama de leite de Muhammad amamenta uma criana rf. Miniatura de Siyer-i Nabi, segunda metade do sc. XVI.Muhammad nasceu em 570, membro da tribo dos Hashimitas. O pai, Abdallah, tinha morrido antes dele nascer e sua me, Amina, quando Muhammad tinha 6 anos. Ele foi ento criado pelo seu av paterno de depois da morte deste (578), ele foi acolhido por seu tio paterno Abu Talib ao qual foi fiel at sua morte em 619.

    Siyer-i Nebi um pico turco sobre a vida de Muhammad, completado por volta de 1388. Foi escrito

    Lygia Rocco out/nov. 2010

    Muhammad, completado por volta de 1388. Foi escrito por Mustafa ibn Yusuf de Erzurum, um derviche mevlevi da comisso do sulto Berkuk (1382-1399) o governador mameluco do Cairo.

    O governante otomano Murad III (15741595) ordenou que o trabalho fosse ilustrado, e o famoso calgrafo Lutfi Abdullah foi encarregado do trabalho no palcio real e completou o trabalho sob o sucessor de Murad, Mehmed III, em 16 de janeiro de 1595. O trabalho completo contm 814 miniaturas em seis volumes.

    6

  • Lygia Rocco out/nov. 2010

    Muhammad faz o sermo na mesquita em Medina. (miniatura rabe do sc. XIV)A criao e uso do minbar so bem anteriores, retomando poca em que o Profeta estava vivo. Ele normalmente se dirigia a comunidade de fiis, sentado em uma pequena escada de dois degraus. Em 670-671, Mucwiya ordenou que fossem acrescentados mais seis degraus. Algumas fontes afirmam que Muhammad constru em 628-29 pela primeira vez um plpito para que todos os fiis pudessem v-lo.O plpito, na maioria das vezes feito em madeira, colocado prximo ao mirb, onde o imm, ou lder religioso, se posiciona quando ele realiza o sermo da orao da sexta-feira e dos feriados.

    7

  • O Profeta Abrao miniatura otomana, 1583 (Museu de arte turca e islmica, Istambul)

    Para o Isl, Abrao considerado o primeiro profeta e ao mesmo tempo de hanif (o que busca Deus) e est em relao estreita com o santurio de Meca. Segundo o Alcoro, Abrao e seu filho Ismael construram a Kaaba como santurio do nico Deus (Allah). Abrao o prottipo do hanif, do monotesta que busca Deus em um ambiente politesta. um dos conceitos mais interessantes do Isl. Em principio

    Lygia Rocco out/nov. 2010

    aquele que possui a religio primordial da unidade e sinceridade com Allah. Hanif quem se inclina de maneira espontnea ao Criador e no o associada a nada. O hanif por excelncia Abrao (Ibrahim em rabe) e a comunidade dos crentes se chama millat (comunidade de Ibrahim). Segundo tal tradio o Isl se refere ao tempo antecedente ao politesmo rabe e est em relao a Meca com um monotesmo originrio.

    8

  • Jornada noturna de Muhammad ao cu montado no cavalo Buraq (miniatura persa, 1458. Museu de Istambul).

    Se refere ao viagem noturna (Al-Isra. Em rabe: WX de Muhammad descrita na sura 17, quando (\X]Deus o conduz de Meca a Jerusalm, e depois o trouxe de volta, reforando a ligao entre estas duas cidades sagradas. Em 624, Muhammad decidiu mudar a direo prescrita para a orao de Jerusalm para Meca mas Jerusalm continuou sendo uma cidade santa para o Isl. Buraq (rabe:_^]), o cavalo alado do profeta um ser alado, similar ao centauro ou a uma esfinge com rosto humano. Segundo a religio islmica, Muhammad (Maom) foi transportado de Meca para Jerusalm (numa viagem nocturna denominada Isra), a partir de onde ascendeu ao cu. um assunto muito amado pela pintura islmica. A histria da viagem noturna incorpora motivos bblicos, como a viso de Jac na escada dos anjos (Gnese 28, 10-22), e assunto de estudos orientais antigos. um dos temas mais comuns nas miniaturas persas produzidas a partir do sculo XIV.

    9

  • Muhammad e seus seguidores se transferem para Meca. Miniatura de Siyer-i Nabi, Istambul, segunda metade do sc. XVI

    Muhammad de Meca em 622, sua cidade natal para Yatrib (Medina). A relao da nascente comunidade muulmana com os habitantes foi muito tensa. Muhammad marchou sobre Meca em Janeiro de 630 com 10.000 combatentes. No houve

    Lygia Rocco out/nov. 2010

    com 10.000 combatentes. No houve derramamento de sangue. Abu Sufyan e outros lderes de Meca submeteram-se formalmente. Muhammad prometeu uma anistia geral (com algumas pessoas especificamente excludas). Apesar de ele no os ter forado, muitos habitantes de Meca converteram-se ao isl. Em Meca, Muhammad destruiu os dolos na Kaaba e em outros pequenos santurios.

    10

  • Muhammad levado pelos anjos de Deus. Miniatura otomana, 1583,

    Lygia Rocco out/nov. 2010

    de Deus. Miniatura otomana, 1583, Istambul.

    11

  • Azulejo (lajota) otomana decorativa com a inscrio ma shaa Allah. Sc. XIX.

    Ma shaa Allah quer dizer: o que Deus quiser e significa que o que Deus faz, ele fez bem. (Deus sabe o que faz). Aparece em

    Lygia Rocco out/nov. 2010

    que faz). Aparece em muitas suras do Alcoro e se tornou uma expresso de uso comum no lngua falada. Exprime o conceito que tudo o que ocorre faz parte da vontade de Deus e o homem deve aceitar confiando na inteno de Deus.

    12

  • Um muulmano d esmola. Miniatura persa do Bustan (jardim) de Sadi, Bihzad. Sc. XV. Cairo, Biblioteca nacional.Zakat ou Zakah (rabe: c) um tributo religioso, impropriamente traduzido como esmola. o terceiro dos cinco pilares do Islo. Significa, literalmente, "crescer" ou "aumentar". considerado um dever do ponto de vista religioso e definida como taxa para os pobres. O zakat serve para exercitar a solidariedade entre os muulmanos. Segundo o isl, toda a riqueza oriunda de Allah. Aqueles que tiveram a sorte de beneficiar da sua riqueza devem por sua vez apoiar os membros mais desfavorecidos da

    Lygia Rocco out/nov. 2010

    apoiar os membros mais desfavorecidos da comunidade muulmana (a umma). O no pagamento do zakat entendido como um pecado que ser julgado no Dia do Juzo Final (Yaum al-Qiyamah). Este tributo tambm visto como uma forma de purificao do crente.Bustan em persa significa jardim de flores e Bustan de Sadi uma composio de estrias e mximas onde cada uma representa uma flor deste jardim. Bustan de Sadi mundialmente famoso devido a sua eloqncia de estilo, clareza de linguagem, guia moral atravs da arte da poesia.

    13

  • Cortejo do fim do Ramad, miniatura rabe de Maqamat di Hariri, Bagd, 1237. Biblioteca Nacional de Paris.

    Al-Maqamat o titulo de um livro escrito por Abu Muhammad al Qasim ibn Ali al-Hariri (1054-1122) contendo 50 pequenas estrias (maqamat = 50 pequenas estrias (maqamat = sesses), cada identificada pelo nome de uma cidade no mundo muulmano na poca.O gnero narrativo das maqmas caracteriza-se pelo carter divertido dos contos, pela combinao de verso e prosa rimada, e pela abundncia de recursos estilsticos.

    14

  • Muhammad e Abu Bakr na gruta. Miniatura turca. Sc. XVI. (museu alemo)

    Abu Bakr foi um dos primeiros seguidores de Muhammad em Meca e em Medina. Ele se torna um dos conselheiros polticos e militares mais importante. Sua filha Aisha se

    Lygia Rocco out/nov. 2010

    importante. Sua filha Aisha se torna esposa de Muhammad. Foi se tornou o primeiro califa aps a morte de Muhammad. Na miniatura, Abu Bakr vem sempre representado como companheiro fiel do Profeta.

    15

  • Jesus e Muhammad cavalgam juntos: Jesus sobre a mula e Muha