Apresentação cariniana jbb-2014

Click here to load reader

  • date post

    25-Jul-2015
  • Category

    Documents

  • view

    87
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Apresentação cariniana jbb-2014

Apresentao da Rede Cariniana

Preservao digital de colees do JBB Cariniana

Rede Brasileira de Servios de Preservao Digitalcariniana@ibict.brhttp://carniana.ibict.br

Mesa redonda: Projeto Saberes do Cerrado1Preservao digital distribudaAcesso informao atravs do tempocariniana@ibict.brhttp://carniana.ibict.br

2preservao digitalOs contedos digitais precisam passar por atividades que garantam a acessibilidade, armazenamento em longo prazo e interpretao de contedos, quando necessrio.

As normas para o uso das tcnicas digitais e sua prontido na tarefa da preservao a longo prazo.

Os mecanismos que permitem o armazenamento em repositrios de dados digitais confiveis, garantindo a perenidade dos seus contedos.

BIBLIOTECAS, ARQUIVOS E REPOSITRIOS DIGITAISServios de armazenamento de objetos digitais que tm a capacidade de manter e gerenciar materiais por longos perodos de tempo e prover o seu acesso apropriado. A Carta de sobre Preservao Digital (2003), e As Recomendaes sobre Software Livre para Repositrios e Sistemas de Preservao (2007) da UNESCO.

Contexto DA PRESERVAO DIGITAL

preservao digitalPrincipais mtodos recomendados para a preservao dos objetos digitais:

Atividades estruturais: tratam dos investimentos iniciais por parte das instituies que esto se preparando para implementar algum processo de preservao. Adoo de padresElaborao de normasMetadados de preservao digitalMontagem de infraestruturaFormao de consrcios

Atividades operacionais: so as medidas concretas aplicadas aos objetos digitais. Conservao de software/ hardware Migrao de suporte Converso de formatos Emulao Preservao do contedo

preservao digital DISTRIBUDAUm mtodos estrutural recomendado para a preservao dos objetos digitais, que aponta para a necessidade de contar com especialistas conhecedores de sistemas de produo de materiais autnticos e de instituies que validem seus objetos digitais.

O modelo prope:que vrias instituies armazenem, ofeream acesso e criem cpias digitais atualizadas. a criao de cpias distribudas em arquivos digitais em servidores geograficamente dispersos para garantir sua sobrevivncia.

Redes de preservao digital DISTRIBUDAPrincipal misso:

criar ferramentas e oferecer suporte as bibliotecas, para que possam de alguma forma, fcil e acessvel, criar, preservar e arquivar colees eletrnicas locais

Victoria Reich

Redes de preservao digital DISTRIBUDASua sustentabilidade depende:

do reconhecimento, por parte dos gestores, dos benefcios da preservao digital,de um processo de seleo de material digital criterioso,de incentivos para que o material preservado seja de interesse pblico e,de mecanismo que garantam uma eficaz atribuio de recursos em todas as atividades de preservao digital.

BLUE RIBBON TASK FORCE

Redes de preservao digital DISTRIBUDAIniciativas estruturais e operacionais que adotaram o modelo:

ALIANA LOCKSSProv uma infraestrutura coordenada de desenvolvimento de software e gerenciamento de colees digitais.

A Aliana mantm dois tipos de rede:

a Rede Global: encarrega de preservar livros e peridicos de mais de 510 editoras comerciais e, as Redes Privadas. formado por mais de 12 redes locais, regionais ou temticas, preserva o contedo de repositrios institucionais, documentao oficial do governo, bases de dados, contedo de acesso livre, entre outros.

Preservao digital distribudaLOCKSS

cariniana@ibict.brhttp://carniana.ibict.br

CaractersticasLot of Copies Keep Stuff Safe (LOCKSS)Desenvolvido pela Stanford UniversityCdigo abertoBaixo custoArquitetura distribudaFcil integrao com outros softwaresSegue o modelo OAISVerificao da integridade P2P

CaractersticasLot of Copies Keep Stuff Safe (LOCKSS)Desenvolvido pela Stanford UniversityCdigo abertoBaixo custoArquitetura distribudaFcil integrao com outros softwaresSegue o modelo OAISVerificao da integridade P2P

Sistema LOCKSS

LOCKSS PluginsRequisitos do Sistema LOCKSSProcessamentoIntel x86 (ou compatvel),1 GHZ, 1 ncleoMemria1 GBEspao em disco4 TeraByte+ (Cariniana)15Arquitetura Distribuda comunicao ponto-a-PontoEstrutura Distribuda : Cada caixa lockss capaz de comunicar-se com as outras caixas atravs do protocolo P2P16Arquitetura Distribuda comunicao ponto-a-PontoProps Server (Standford)Estrutura Distribuda : Cada caixa lockss capaz de comunicar-se com as outras caixas atravs do protocolo P2P17Arquitetura Distribuda cpias Geograficamente dispersas

Por questes de segurana (Perda de dados por motivos de catstrofes naturais, incndios, erros humanos, etc), as cpias podem ser alocadas em locais dispersos, no limitando-se a regies nacionais. Worldwide stuff.18Ingesto (Peridicos seer/ojs)

Peridico / ContedoPortalCrawlerUnidade de Arquivamento (UA)MetadadosOutros dadosCiencia da InformaoColetaLOCKSS Plugin

A partir das informaes integradas ao plugin lockss, as caixas so capazes de rastrear os dados do Portal que possui peridicos, e encontrar os dados pertinentes preservao: Unidade de arquivamento (objeto), metadados e manifesto lockss (permisso para coleta).19Preservao Teste de integridadeIngestoPollAps comparar os identificadores hash, o(s) mais destoante(s) do grupo iro proceder com o processo de ingesto novamente. (caso o dado original no esteja disponvel, poder buscar das outras caixas com ndices maiores de acordo)20AcessoMigration on accessFormato obsoleto (Sem possibilidade de leitura)DAEMONLeitorContedoCaixa LOCKSSOn the flyFormato acessvel Estudos indicam que no futuro, alguns formatos podero no ser mais acessados, gerando dificuldades para acessar dados preservados. LOCKSS poder migrar um arquivo com formato obsoleto para um formato acessvel em tempo de execuo.21Preservao digital distribudaO INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAO EM CINCIA E TECNOLOGIAcariniana@ibict.br

http://carniana.ibict.br

22O IBICTSua vocao:

Ser um ncleo de competncia nos processos de tratamento, acesso e difuso da informao.

Ao longo de seus 60 anos, vem promovendo a competitividade e o desenvolvimento de recursos e infraestrutura de informao

A preservao digital de longo prazo uma das rea estratgica do Instituto (PDU, 2011-2015)

O IBICTO IBICTO Ibict propus uma poltica de preservao digital para o gerenciamento dos registros digitais institucionais.

Uma poltica de preservao baseada numa lista de requisitos funcionais para garantir a validade dos registros e a sua permanncia, comprovando sua conformidade com o modelo de referncia OAIS.

Implantou uma soluo tecnolgica e metodolgica de preservao digital de longo prazo.

Adotou um dispositivo tecnolgico que serve como instrumento para a criao de uma rede colaborativa de servios de preservao digital entre instituies de ensino, pesquisa, bibliotecas e arquivos.

A Rede CARINIANA surgiu baseando-se em uma infraestrutura descentralizada, utilizando recursos de computao distribuda.

A REDE CARINIANA

A REDE CARINIANATem como objetivo salvaguardar os registros da cincia, tecnologia e do patrimnio cultural do Brasil.

Ela oferece uma srie de alternativas para que as instituies brasileiras possam colecionar, armazenar e promover o acesso ao contedo selecionado atravs de cpias autorizadas.

A REDE CARINIANA

2012Ibict convidou cinco instituies de ensino superior, trs federais e duas estatais, para integrar a rede

As instituies adotaram a tecnologia LOCKSS para o arquivamento e preservao dos seus peridicos eletrnicos editados na plataforma OJS/SEER

2013O Ibict e a Aliana LOCKSS assinaram um acordo, que conta com o apoio financeiro da Finep. O suporte tcnico do LOCKSS para preservar os livros eletrnicos do Portal do Livro Aberto do Ibict, as teses e dissertaes depositadas na ferramenta DSpace

DESENVOLVIMENTO DA REDE CARINIANA A Rede conta com o trabalho de profissionais envolvidos com estudos e pesquisas na rea.

As instituies parceiras colaboram na definio de contedos a serem preservados na rede e nas sub-redes temticas e regionais.

As atividades de pesquisa da estabelecem que as solues tecnolgicas ofertadas pela rede devem ser de software livre.

DESENVOLVIMENTO DA REDE CARINIANAAtividades20132014 (at maio)Parcerias Integrais0612Parcerias Integrais via Compartilhamento de Infraestrutura0608Instituies que possuem peridicos preservados32111Preservao Completa de Peridicos (ttulos)92372Preservao Completa de volumes de Peridicos10942708Preservao de volumes de Peridicos em Processamento39459185Preservao de livros em Processamento0242Configurao de Rede Colaborativa0101Construo do Portal da Rede001Equipe Ibict0505A REDE CARINIANA

2014DESENVOLVIMENTO DA REDE CARINIANA

DESENVOLVIMENTO DA REDE CARINIANA

PARTICIPANTES DA REDE PARCEIROS INTEGRAIS: instituies pblicas ou privadas, que compartilham infraestrutura de armazenamento digital e que possuem documentos digitais em formatos adequados para preservao digital.

INSTITUIES PARCEIRAS: participam de algum projeto ligado preservao digital e possuem documentos digitais em formatos adequados para preservao digital.

COLABORADORES INDIVIDUAIS: participam de pesquisas ou projetos na rea de preservao digital.

INSTITUIES USURIAS: possuem peridicos na plataforma SEER e /ou teses, dissertaes e livros em repositrios Dspace, Archivemtica e bases de dados.

Cariniana.ibict.br

Preservao digital distribudaCariniana

Rede Brasileira de Servios de Preservao Digitalcariniana@ibict.brhttp://carniana.ibict.br

Parceiros:

36Dvidas?

?