2. O Cajado do Pastor - Treinamento básicos de líderes - Ralph Mahoney e Jack Hayford

of 373 /373
- TREINAMENTO BÁSICO DE LÍDERES - Os texto deste e-book é parte integrando do livro O Cajado do Pastor da World Map

Embed Size (px)

Transcript of 2. O Cajado do Pastor - Treinamento básicos de líderes - Ralph Mahoney e Jack Hayford

- TREINAMENTO BSICO DE LDERES Os texto deste e-book parte integrando do livro O Cajado do Pastor da World Map

E-book digitalizado por levitadigital com exclusividade para:

Seo A TREINAMENTO BSICO DE LDERES A1: Como Treinar Lderes De Igrejas A1.1 - O Treinamento De Lderes A2: Treinando Os Lderes A... Prefcio A2.1 - Esperar No Senhor A2.2 - Ouvir A Voz De Deus A2.3 - Obedecer A Voz De Deus A2.4 - Resistir Com Pacincia A2.5 - Aprender Com A Vida De Jos A2.6 - Evitar A Possibilidade De Se Tornar Uma Baixa A2.7 - "Fugir Da Fornicao!" A2.8 - Rejeitar A Cobia / Idolatria A2.9 - Receber A Tripla Uno A3: O Uso E Abuso Da Autoridade A3.1 - Abuso Da Autoridade A3.2 - Limites Da Autoridade A3.3 - Lderes Dignos Dos Seguidores A4: Estabelecendo Um Hbito Devocional A4.1 - A Restaurao Do Hbito Devocional A4.2 - Aes De Graas E Louvor (Oferecendo-se A Si Mesmo) A4.3 - Confisso E Purificao (Oferecendo O Seu Corao) A4.4 - Ordem E Obedincia (Oferecendo O Seu Dia) 131 A4.5 - Famlia E Igreja (Dedicando s Pessoas Mais Chegadas E Queridas) A4.6 - Intercesso A Fim De Alcanarmos O Mundo Para Jesus A4.7 - Naes E Pases Estrangeiros (Oferecendo O Mundo Inteiro) A5: Como Ser Um Guerreiro De Orao A5.1 - Por Que Deus Pede Que Oremos A Ele? A5.2 - A Couraa E O Cetro Da Retido A5.3 - O Poder Da Orao Quando Se Ora No Esprito A5.4 - O Uso De Lnguas E De Interpretao De Lnguas Na Orao A5.5 - Orao Atravs Da Profecia A5.6 - A Formao De Uma Equipe De Orao Proftica

COMO TREINAR LDERES DE IGREJASPor Ralph Mahoney Captulo 1 O Treinamento De Lderes H TRS FAMOSOS IMPEDIMENTOS para a divulgao do Evangelho, que obstruem a evangelizao daqueles que nunca ouviram as boas novas sobre o que Jesus fez para salvar e abenoar a todas as naes. So eles: CLERICALISMO DEFICINCIAS DA DOUTRINA CONSTRUO DA CATEDRAL

SEO A1

Nesta seo, Como Treinar Lderes De Igrejas , voc aprender como superar o CLERICALISMO. Trataremos dos outros dois impedimentos, nas sees subsequentes. Se voc seguir a alternativa bblica para Clericalismo, voc ser mais eficaz em ajudar a Jesus a edificar a Sua Igreja. 2.500.000 israelitas seguiram Moiss fora do Egito, para o deserto. As deficincias do estilo austero de liderana de Moiss, demonstram CLERICALISMO. "E aconteceu que, ao outro dia, Moiss assentou-se para julgar o povo; e o povo estava em p diante de Moiss desde a manh at tarde. Vendo pois o sogro de Moiss tudo o que ele fazia ao povo, disse: Que isto, que tu fazes ao povo? Por que te assentas s, e todo o povo est em p diante de ti, desde a manh at tarde? "Ento disse Moiss a seu sogro: E porque este povo vem a mim, para consultar a Deus: Quando tem algum negcio vem a mim, para que eu julgue entre um e outro, e lhes declare os estatutos de Deus, e as Suas leis. "O sogro de Moiss porm lhe disse: No bom o que fazes. "Totalmente desfalecers, assim tu, como este povo que est contigo: porque este negcio muito difcil para ti; tu s no o podes fazer. "Ouve agora a minha voz; eu te aconselharei, e Deus ser contigo; S tu pelo povo diante de Deus, e leva tu as coisas a Deus; "E declara-lhes os estatutos e as leis, e faze-lhes saber o caminho em que devem andar, e a obra que devem fazer. "E tu dentre todo o povo procura homens capazes, tementes a Deus, homens de verdade, que aborream a avareza; e pe-nos sobre eles por maior ais de mil, maior ais de cem, maiorais de cinquenta, e maiorais de dez; "Para que julguem este povo em todo o tempo, e seja que todo o negcio grave tragam a ti, mas todo o negcio pequeno eles o julguem; assim a ti mesmo te aliviar s da carga, e eles a levaro contigo" (x 18: 13-22). O Clericalismo est tentando fazer a obra para a qual Deus chamou voc para realizar por voc prprio, sem o conselho ou ajuda de outra pessoa. O Clericalismo est colocando voc prprio, SOBRE os outros, em vez de v-lo como o servo de outros. E qualquer que entre vs quiser ser o primeiro seja vosso servo; Porm o maior dentre vs ser vosso servo" (Mt 20:27; 23:11). Aqueles que permanecerem na armadilha do Clericalismo

falhar no cumprimento do verdadeiro propsito de um lder de igreja. O clericalismo s pode ser resolvido pelo uso dos princpios do ministrio utilizado por Jesus e pelo Apstolo Paulo, no novo testamento. A soluo para o clericalismo constituir uma equipe. Aplique o seu tempo e recursos nesta equipe e deixe que ela o ajude com a obra para qual Deus o chamou. Voc ser bem sucedido na formao da se seguir os princpios dados a pelo seu sogro Jetro, e por Deus. Sem eles Moiss teria fracassado. Sem eles voc fracassar como um lder de Igreja. Examinaremos, a seguir, os cinco princpios dados a Moiss. Neles, encontraremos a nossa soluo para o problema do Clericalismo. A. CINCO PRINCPIOS DADOS MOISS 1. Treine outros para ajudar Eu s no posso levar a todo este povo, porque muito pesado para mim. E se assim fazes comigo, mata-me, eu te peo... (Nm ll: 14,15). Moiss estava pedindo a Deus que o e, por causa dos problemas resultantes do clericalismo. O clericalismo estava matando Moiss. E matar voc! Para ajud-lo com este problema, Deus falou Moiss (Nm 11) e em xodo 18, Jetro (o sogro de Moiss) tambm Moiss, dizendo a mesma coisa. Quando Moiss ouviu a Deus e a Jetro, descobriu que a soluo do seu problema comeava com o treinamento de outras pessoas. E disse o SENHOR a Moiss: Ajunta-me setenta homens dos ancios de Israel, de quem sabes que so ancios do povo, e seus oficiais: e os trars perante ti da congregao, e ali se poro contigo" (Nm 11:16). E tu dentre todo o povo procura homens capazes, tementes a Deus, homens de verdade, que aborream a avareza; e pe-nos sobre eles por maiorais de mil, maiorais de cem, maiorais de cinquenta, e maiorais de dez. Para que julguem este povo em todo o tempo... "(x 18: 21,22). Os versculos das Escrituras, que vm a seguir, nos ensinam que os dons de liderana foram dados Igreja para treinar os membros para que faam a obra do ministrio.

Este era o propsito do ministrio de Moiss, s que ele no sabia. O trabalho do lder treinar e equipar os membros da igreja, que tenham potencial de lder. Estes membros, ento, fariam a obra do ministrio. "Aquele que desceu tambm o mesmo que subiu acima... E Ele mesmo deu uns para apstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores; Querendo o aperfeioamento dos santos, para a obra do ministrio para edificao do corpo de Cristo" (Ef 4: 10-12). a. Uns Ensinam Aos Outros. Paulo nos ensina que o propsito principal de um lder de igreja treinar outros crentes. Paulo explicou isto ao jovem Timteo cujo trabalho, como um lder de igreja, era treinar outros crentes. O treinamento que ele havia recebido de Paulo, deveria ser passado a outros crentes devotos. "E o que de mim, entre muitas testemunhas, ouviste, confiao a homens fiis, que sejam idneos para tambm ensinarem os outros"(2 Tm 2:2). Seguindo os princpios de ensinamento de Paulo, outros iniciariam uma corrente de reao de multiplicao, que motivaria a divulgao do Evangelho rapidamente, pelo mundo inteiro. O quadro que seguir, mostra o que acontecer se voc treinar UM outro crente devoto, por um perodo de UM ano. No segundo ano, voc e o outro crente a quem voc treinou, treinariam cada um, a um outro crente e, mantendo esse processo, aps trinta e trs anos, observe o que aconteceria. Isso mostra o princpio bblico de 'UNS ENSINAM AOS OUTROS'. UNS ENSINAM OUTROS NO FINAL DE # DE TREINADAS PESSOAS Ano 1 2 Ano 2 4 Ano 3 8 Ano 4 16 Ano 5 32 Ano 6 64 Ano 7 128 Ano 8 256 Ano 9 512 Ano 10 1.024 AOS

Ano 11 2.048 Ano 12 4.096 Ano 13 8.192 Ano 14 16.384 Ano 15 32.768 Ano 16 65.536 Ano 17 131.072 Ano 18 262.144 Ano 19 524.288 Ano 20 1.048.576 Ano 21 2.097.152 Ano 22 4.194.304 Ano 23 8.388.608 Ano 24 16.777.216 Ano 25 33.554.432 Ano 26 67.108.864 Ano 27 134.217.728 Ano 28 268.435.456 Ano 29 536.870.912 Ano 30 1.073.741.824 Ano 31 2.147.483.648 Ano 32 4.294.967.296 Ano 33 8.589.934.592 Se cada crente ensinasse a um outro crente, no final de 33 anos o nmero de pessoas treinadas, seria maior do que a populao do mundo. Se fizssemos as coisas maneira da Bblia, teramos resultados bblicos. "Ora ia com ele uma grande multido... E a multido dos que criam no Senhor, tanto homens como mulheres, crescia cada vez mais" (Lc 14:25; At 5:14). Este o desejo de Deus, ter multides para seguir a Jesus. 1 'Depois destas coisas olhei, e eis aqui uma multido, a qual ningum podia contar, de todas as naes, e tribos, e povos, e lnguas, que estavam diante do trono, e perante o Cordeiro, trajando vestidos brancos... " (Ap 7:9). Sim! O Senhor quer multides salvas. "O Senhor... no querendo que alguns se percam, seno que todos venham a arrepender-se" (2 Pe 3:9). Ele nos tem concedido princpios para assegurarmos este resultado. b. Frutos Que Permanecem. Em 1959, o autor estava ministrando no pas da Nicargua, na Amrica Central. A seguinte pergunta foi feita a um sbio e idoso lder de igreja: "Como voc seria capaz de fundar quinhentas igrejas na Amrica Central, em trinta anos?" Em resposta, ele contou a seguinte histria:

''Fui para a Guatemala em 1929, como um missionrio. Imediatamente, comecei a visitar vilarejos onde crentes no "nascidos de novo", poderiam ser encontrados. Preguei e curei enfermos durante seis noites. Todas as noites eu convidava os pecadores a virem receber o perdo de Jesus, pelos seus pecados. Muitos vinham todas as noites. "Eu batizava os novos crentes na gua e seguia at ao prximo vilarejo, repetindo o processo. Eu achava que estava ganhando cerca de cem almas para Cristo, cada semana, pois este era o nmero de pessoas que eu batizava. "Escrevi igreja da minha terra natal, que me sustentava, e contei a histria do meu sucesso todo. Era inacreditvel! Eu estava ganhando mais de cinco mil almas para Cristo, a cada ano. "Aps dois anos e cem vilarejos visitados, decidi voltar e visitar todos aqueles vilarejos, pela segunda vez. "Fui ao primeiro deles e, para meu espanto, todos os meus convertidos haviam se tornado 'revertidos' - eles haviam voltado s suas prticas pags e no estavam vivendo as suas vidas de acordo com a Bblia. No havia cultos nas igrejas e ningum liderava ou ensinava aos novos crentes e aqueles a quem eu havia deixado no comando, no tinham continuado a seguir Jesus. "Fui ao segundo, ao terceiro, ao quarto e ao quinto vilarejo e a histria era sempre a mesma, em cada um deles. Fiquei com o corao partido. O que eu pensara ter sido dois anos de ministrio bem sucedido, no havia produzido fruto permanente. "As palavras de Jesus estavam soando nos meus ouvidos: No me escolhestes vs a mim, mas Eu vos escolhi a vs, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permanea... "(Jo 15:16). "Eu no tinha fruto permanente. O que fazer? Direcionei o meu corao para buscar ao Senhor, com jejum e orao. Durante aquele tempo, o Senhor falou comigo claramente. Ele disse: 'Eu no enviei voc para evangelizar a Amrica Central sozinho. Eu o enviei para treinar outros crentes.' "O Senhor me mostrou dois princpios importantes. Primeiro: Treinar outros crentes para que tomem a responsabilidade de liderana! Segundo: Trabalhe onde Deus est trabalhando! Imediatamente, me dediquei a organizar uma Escola Bblica com curso de treinamento com a durao de seis meses. Cerca de cinqenta estudantes completou o curso. "Pouco depois disso, tive informaes, das reas da floresta, de que milagres e curas estavam ocorrendo. As pessoas tinham vises de Jesus e, como resultado dos milagres de cura, elas estavam se convertendo.

"Ento eu me lembrei do seguinte: "Trabalhe onde Deus est trabalhando". Imediatamente, levamos os operrios treinados para aquela rea, o que resultou numa grande colheita de almas. Eles fundaram igrejas em cada um dos vilarejos e cuidaram dos novos crentes dando-lhes, tambm, ensinamentos. Isto produziu 'fruto permanente'. "Tenho seguido estes dois princpios, desde 1931 : ( 1 ) Treinar outros crentes e (2) trabalhar onde Deus est trabalhando! "Hoje temos cinco pequenos Institutos de Treinamento Bblico, onde mais de mil operrios tm sido treinados. As quinhentas igrejas so o 'fruto permanente' daquele povo jovem da Amrica Central, treinado por ns. Eles partiram para os lugares onde sabiam que Deus estava trabalhando e conseguiram um grande e frutfero resultado." Por volta de 1989 (30 anos aps eu haver encontrado aquele querido missionrio), o movimento da igreja na Amrica Central havia crescido para muitos milhares de igrejas. c. Descobrir Os Lderes Certos. O Senhor disse Moiss: "... Ajunta-me setenta homens... de quem sabes que so ancios [lderes]... "Como voc pode reconhecer um lder? Observe quantos so os seus seguidores. Se ningum o estiver seguindo, voc no tem um lder. Quando voc vai ao campo para trazer um rebanho de cinquenta vacas leiteiras para serem ordenhadas, voc s tem que descobrir aquela que guia o rebanho. Se voc a fizer ir em direo ao celeiro, o resto a seguir. O mesmo acontece com lderes de pessoas. Voc tem que encontrar homens e mulheres que tenham seguidores e, ento, trein-los para que se tornem lderes. Eis o que Jesus disse: "E aconteceu que naqueles dias subiu ao monte a orar, e passou a noite em orao a Deus. "E, quando j era dia, chamou a si os seus discpulos, e escolheu doze deles, a quem tambm deu o nome de Apstolos... E descendo com eles... "(Lv 6:12,13,17). Jesus passou a maior parte do Seu tempo preparando os doze apstolos para que continuassem o ministrio d'Ele. Ele seguiu o princpio de treinar outros que, por sua vez, treinariam mais outros. Este um ministrio de lderes encontrar mais lderes e trein-los. 2. Ensinar-lhes A Bblia

Que treinamento deveramos dar aos lderes de igrejas? "E declara-lhes os estatutos e as leis... " (x 18:20). Aqueles que esto familiarizados com os Seminrios de Igrejas e com as Escolas Bblicas, sabem que a maioria deles ensina todos os assuntos, menos a Bblia. Os Seminrios Teolgicos, frequentemente se tornam "Cemitrios" onde centenas de vidas espirituais de crentes com potencial para serem lderes de igrejas, esto enterradas. A escolha bsica foi apresentada a Ado e Eva, no Jardim do den: "...a rvore da vida no meio do jardim, e a rvore da cincia... " (Gn 2:9). Comer da rvore do conhecimento, produziria pecado e morte. Menosprezando esta advertncia bblica, a Igreja volta sempre a esta rvore nos programas de treinamento. Qual o resultado disso? O Apstolo. Paulo colocou isto de maneira simples: "A cincia incha, mas o amor edifica" (1 Co 8:1). Os programas de treinamento que no usam a BBLIA como a principal referncia de trabalho, produzem lderes arrogantes, espiritualmente mortos e incompetentes e cuja faanha, aps se graduarem, pastorear uma igreja que se torna cada dia menor e que no tendo vida no poder crescer. A rvore do conhecimento produz somente a morte. ''Jesus, porm, respondendo, disse-lhes: Errais, no conhecendo as Escrituras... " (Mt 22:29). As Escrituras nos mantm fora dos erros e produz vida. "... a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos disse so esprito e vida" (Jo 6:63). So as palavras de Deus, o Pai, e de Deus, o Filho (Jesus), gravadas na Bblia, que nos trazem a vida. "Bem-aventurados aqueles que... para que tenham direito rvore da vida..." (Ap 22:14). a. Realizao Acadmica No A Meta. Os programas de treinamento baseados na realizao intelectual, com nfase nos graus acadmicos, no produziro a liderana necessria para ganhar almas perdidas para o Senhor nem edificaro o crescimento das igrejas. Quanto maior for a nfase acadmica, menor ser a capacidade de liderana. Ensine a Bblia e treine lderes de igrejas atravs dela. Deixe que a Bblia seja o centro do seu curso de treinamento. Esta pergunta foi feita sobre Jesus: "...Como sabe este letras no as tendo aprendido?" (Jo 7:15). Os judeus estavam maravilhados com o conhecimento de Jesus sobre as Escrituras, pois eles sabiam que Jesus no possua

credencial acadmica para recomend-Lo ao mundo religioso ou secular. Deveramos aprender com este exemplo, que a realizao acadmica no a meta. O conhecimento das Escrituras e o poder de Deus o que o lder de igreja necessita (Mt 22:29). b. Procure Por Lderes "Obreiros". Os antigos apstolos no eram conhecidos por suas realizaes acadmicas. ' 'Ento eles, vendo a ousadia de Pedro e Joo, e informados de que eram homens sem letras e indoutos, se maravilharam; e tinham conhecimento de que eles haviam estado com Jesus'' (At 4:13). Nenhum dos apstolos de Jesus era graduado pelo Seminrio Teolgico dos fariseus ou saduceus. O seu modelo para lderes de igrejas era o seguinte: "E dizia-lhes: Grande , em verdade, a seara, mas os obreiros so poucos; rogai ao Senhor da seara que envie obreiros para a sua seara " (Lc 10:2). O lder de igreja eficiente aquele que tem provado que sabe como trabalhar arduamente. Ele tem calosidade nas mos e aprendeu a disciplina do trabalho rduo e produtivo. Em contraste, o graduado pelo Seminrio frequentemente arrogante, muito orgulhoso para trabalhar, preguioso e improdutivo. Tal tipo de lder no se adapta para representar Aquele Que lavou os ps dos. Seus discpulos. "Ora se eu, Senhor e Mestre, vos lavei os ps, vs deveis tambm lavar os ps uns aos outros" (Jo 13:14). Encontre um lder "obreiro" e voc ter um lder de igreja produtivo. Esta a razo pela qual Jesus escolheu pescadores como Pedro e Joo; gente profissional como Mateus, o taverneiro e Lucas, o mdico. Eles tinham habilidades prticas e sabiam como trabalhar arduamente. Deste modo, a Bblia pode ser ensinada e ter lderes produtivos. 3. Mostrar-lhes O Trabalho A Ser Feito "... e faze-lhes saber o caminho em que devem andar, e a obra que devem fazer " (x 18:20). O Apstolo Lucas iniciou o Livro de Atos com estas palavras: "Fiz o primeiro tratado... acerca de tudo que Jesus comeou, no s a fazer, mas a ensinar" (At 1:1). a. Faa Com Que Se Envolvam. Somente ensinar ao estagirio, no suficiente. O instrutor deve envolver o estudante, imediatamente em FAZER o ENSINAMENTO! Se voc ensinar ao estudante a "ganhar almas" voc deve envi-lo, imediatamente, para ganhar almas. E se voc ensinar como curar o enfermo e expulsar demnios, deve envi-lo imediatamente para fazer isto. Foi exatamente isso que Jesus fez. E, chamando os seus doze discpulos, deu-lhes poder sobre os espritos imundos, para os expulsarem, e para curarem toda a

enfermidade e todo o mal "Jesus enviou estes doze e lhes ordenou dizendo... E, indo, pregai, dizendo: chegado o reino dos cus. "Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demnios: de graa recebestes, de graa dai "(Mt 10: 1,5,7,8). "E, convocando os seus doze discpulos* deu-lhes virtude e poder sobre todos os demnios, e para curarem enfermidades. E enviou-os a pregar o reino de Deus, e a curar os enfermos. Et saindo eles, percorreram todas as aldeias, anunciando o evangelho, e fazendo curas por toda a parte'' (Lc 9:1,2,6). E depois disto designou o Senhor ainda outros setenta, e mandou-os adiante da sua face, de dois em dois, a todas as cidades e lugares aonde ele havia de ir. "Ide; eis que vos mando como cordeiros ao meio de lobos. "E, em qualquer cidade em que entrardes... curai os enfermos que nela houver, e dizei-lhes: E chegado a vs o reino de Deus. "E voltaram os setenta com alegria, dizendo: Senhor, pelo teu nome, at os demnios s nos sujeitam. "E disse-lhes: Eu via Satans, como raio, cair do cu. "Eis que vos dou poder para pisar serpentes e escorpies, e toda a fora do inimigo, e nada vos far dano algum. "Naquela mesma hora se alegrou Jesus no Esprito Santo, e disse: Graas te dou, Pai, Senhor do cu e da terra, que escondeste estas coisas aos sbios e inteligentes, e as revelaste s criancinhas; assim , Pai, porque assim te aprouve " (Lc 10:1,3,8,9,17,18,19,21). b. O Treinamento A Curto Prazo Melhor. Observe que o treinamento dos doze apstolos e dos setenta discpulos encarregados por Jesus, foi um treinamento a curto prazo. Jesus mostrou o que eles tinham que fazer e, ento, enviou-os para que fizessem as mesmas coisas. ' 'Na verdade, na verdade vos digo que aquele que cr em mim tambm far as obras que eu fao, e as far maiores do que estas; porque eu vou para meu Pai "(Jo 14:12). Quanto mais longo for o programa de treinamento, menos eficientes sero os graduados. O treinamento deveria ter a durao de seis meses no mximo quando, ento, os estagirios deveriam ser mandados para trabalhar fora em tempo integral. E, se necessrio, eles poderiam ser trazidos de volta para um treinamento adicional, um ou dois anos mais tarde. c. Mantenha O Treinamento Prtico. O treinamento a curto prazo deveria ser 50 por cento ENSINAR e 50 por cento

FAZER. O que ensinado deveria ser colocado em prtica (fazer) imediatamente. No treine a cabea, treine as mos. Mantenha a nfase sobre Prticas (treinamento prtico). Temos despendido bastante tempo, nos ltimos trinta anos, viajando por mais de cem naes ao redor do mundo e temos observado os programas de treinamento que produzem bons resultados e os que no produzem (ou negativos). A Igreja est se projetando em trs pases: na Coria, no Brasil e no Chile. Nestas naes esto sendo utilizados os princpios acima. As igrejas esto explodindo em crescimento e os lderes esto sendo bem sucedidos em ganhar milhares de pessoas para Cristo. O treinamento centralizado na Bblia, a curto prazo e prtico. Dedicao, submisso a Cristo, pureza de carter e uma nfase sobre treinamento prtico (fazendo de imediato o que ensinado) so os pontos primordiais de programas de treinamento naqueles trs pases. biblicamente fundamentado e produz resultados bblicos. 4. Transfira A Uno "E disse o Senhor a Moiss: Ajunta-me setenta homens dos ancios de Israel, de quem sabes que so ancios do povo, e seus oficiais: e os trars perante a tenda da congregao, e ali se poro contigo. "E...e tirarei do esprito que est sobre ti, e o porei sobre eles: e contigo levaro o cargo do povo, para que tu s no o leves'' (Nm 11:16,17). a. A Uno Essencial. Este , provavelmente, o princpio mais importante (mas o mais negligenciado) no desenvolvimento de uma liderana. Sem o poder do Esprito Santo (a uno) emanando sobre o lder, ele no ter chance de ser bem sucedido. Jesus nunca enviou ningum para represent-Lo sem que Ele no tivesse, primeiro, concedido poderes. "E, convocando os seus doze discpulos, deu-lhes virtude e poder sobre todos os demnios, e para curarem enfermidades"(Lc 9:1). "E depois disto designou o Senhor ainda outros setenta... E disse-lhes... Eis que vos dou poder para pisar serpentes e escorpies, e toda a fora do inimigo, e nada vos far dano algum'' (Lc 10:1,18,19). E, estando com eles determinou-lhes que no se ausentassem de Jerusalm, mas que esperassem a promessa do Pai, que [disse ele] de mim ouvistes.

Porque, na verdade, Joo batizou com gua, mas vs sereis batizados com o Esprito Santo; no muito depois destes dias" (At 1:4,5). "Mas recebereis a virtude do Esprito Santo, que h de vir sobre vs; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalm como em toda a Judia e Samaria, e at aos confins da terra " (At 1:8). Jesus s comeou o ministrio d'Ele aps o Esprito do Senhor descer sobre Ele quando do Seu batismo na gua feito por Joo Batista (veja Mateus 3:16; Marcos 1:10; Joo 1:32). Jesus iniciou o Seu ministrio dizendo: "O Esprito do Senhor sobre mim, pois que me ungiu para evangelizar os pobres, enviou-me a curar os quebrantados do corao, a apregoar liberdade aos cativos e dar vista aos cegos; a por em liberdade os oprimidos; a anunciar o ano aceitvel do Senhor" (Lc 4:18,19 compare Levtico 25:1 - 54). A uno foi essencial para Jesus realizar o Seu ministrio (conforme esboado nos versculos precedentes). E, do mesmo modo, essencial para voc. Jesus ordenou aos Seus discpulos que "... sereis batizados com o Esprito Santo (At 1:5). Paulo ordenou "...no vos embriagueis com vinho, em que h contenda, mas enchei-vos do Esprito" (Ef 5:18). Veja a seo do Guia De Treinamento De Lderes que trata do "Batismo No Esprito Santo", para um melhor ensinamento sobre este assunto to importante. b. Os Lderes Ungidos Devem Treinar Outros Lderes. No deixemos passar despercebido o princpio vital envolvido nos versculos acima. O lder chave foi ungido e passou a sua uno para aqueles que foram treinados por ele. Em contraste, notamos que frequentemente os Seminrios de treinamento esto repletos daqueles que falharam em seus ministrios. Daqueles que saram para pastorear uma igreja ou para evangelizar e falharam no processo, so constantemente trazidos para o Seminrio para treinarem os que tm potencial de lder. Tal aproximao est condenada a produzir outros que viro a falhar. A lei da Colheita, encontrada na Bblia clara: "E a terra produziu erva, erva dando semente conforme a sua espcie, e a rvore frutfera, cuja semente est nela conforme a sua espcie... "E Deus criou as grandes baleias, e todo o rptil de alma vivente que as guas abundantemente produziram conforme as suas espcies..." (Gn 1:12,21). Reproduzimos o que somos. Se lderes fracassados treinam os outros, os seus estudantes sero verdadeiros fracassos. Os

lderes bem sucedidos que carregam uma forte uno do Esprito Santo em suas vidas, deveriam ser envolvidos no treinamento de liderana. Eles produziriam outros lderes que carregariam uma forte uno e que seriam bem sucedidos. Foi isso o que aconteceu queles que foram treinados por Moiss. Deus disse: ' Ento... e tirarei do esprito que est sobre ti e o porei sobre eles..." (Nm 11:17). Esta foi a verdade de Elias e Eliseu. "... Elias disse a Eliseu: Pede-me o que queres que te faa, antes que seja tomado de ti. E disse Eliseu: Peo-te que haja poro dobrada de teu esprito sobre mim. E disse: Coisa dura pediste; se me vires quando for tomado de ti, assim se te far... "E sucedeu que, indo eles andando e falando, eis que um carro de fogo, com cavalos de fogo, os separou um do outro: e Elias subiu ao cu num redemoinho. "O que vendo Eliseu, clamou: Meu pai, meu pai, carros de Israel e seus cavaleiros!... "Tambm levantou a capa de Elias, que lhe cara: e voltouse, e parou borda do Jordo... e feriu as guas e disse: Onde est o Senhor, Deus de Elias? Ento feriu as guas, e se dividiram elas... e Eliseu passou. "Vendo-o pois os filhos dos profetas que estavam defronte em Jeric, disseram: O esprito [uno] de Elias repousa sobre Eliseu "(2 Rs 2: 9-15). Esta foi a verdade de Jesus e Seus discpulos. "...Consolador, o Esprito Santo..." {Jo 14:26). "Mas quando vier o Consolador, que eu da parte do Pai vos hei de enviar... " (Jo 15:26). "Todavia digo-vos a verdade, que vos convm que eu v; porque se eu no for, o Consolador no vir a vs; mas, se eu for, enviar-vo-lo-ei" (Jo 16:7). c. A Uno Compartilhada. Lembremo-nos sempre da uno transferida de Moiss para os lderes que a compartilharam do ministrio dele; a de Elias para Eliseu e a de Jesus para os discpulos d'Ele. O mesmo princpio mantido at os dias de hoje. O estagirio compartilha da uno do treinador. Consequentemente, aqueles que fazem o treinamento, devem ser os que carregam o forte poder de Deus em suas vidas. Conheci um evangelista que tinha um dinmico e milagroso ministrio de cura, para as pessoas da sia, frica e Amrica Latina. Observei que a maioria das naes nas quais ele ministrou, a pessoa que servia como intrprete tinha a mesma

uno (ministrio) que o evangelista. Duas semanas de trabalho com o evangelista provocaram a transferncia da uno. Aps a partida do evangelista, o intrprete exerceria no esprito e no poder do evangelista. d. Quem Transfere A Uno? Deus disse: "... e tirarei do esprito que est sobre ti, e o porei sobre eles..." (Nm 11:17). Deus Aquele Que escolhe os recebedores e dirige a liderana chave nesta abenoada transferncia. ' 'E ningum toma para si esta honra, seno o que chamado por Deus, como Aaro'' (Hb 5:4). Parece que na Igreja primitiva, eles passaram tempos de jejum, orao e ministrio para o Senhor; deste modo, uma atmosfera peculiar foi criada para que Deus pudesse falar. Naquelas ocasies o Esprito Santo surgia. Os obreiros eram capacitados pelo Esprito e realizavam os seus ministrios com grande xito. Podemos transpor aqueles degraus uma vez mais, e orar e clamar pela presena de Deus, at que o Esprito nos atenda. A, ento, estaremos prontos para sair proclamando e testemunhando a ressurreio de Jesus. E os apstolos davam, com grande poder, testemunho da ressurreio do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graa" (At 14:33). Para um estudo adicional sobre uno, veja Seo A2.9, Receba A Uno Tripla, no Guia De Treinamento De Lderes. 5. Transfira A Carga "E disse o Senhor a Moiss: Ajunta-me... dos ancios de Israel... E contigo levaro o cargo do povo... " (Nm 11: 16,17). Se voc encontrar um homem buscando responsabilidade, promova-o! Ele ser uma bno para a obra do Senhor. Mas se voc encontrar um homem buscando autoridade, ponha-se em guarda, pois ele arruinar a obra do Senhor. a. Liderana No E Senhorio. "Nem como tendo domnio sobre a herana de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho"(1 Pe 5:3). Deus fez o homem para exercer o domnio (veja Gnesis 1:26). Por essa razo, no corao da maioria dos homens existe o desejo de governar. Governar de acordo com o modelo bblico bem diferente da maneira como a maioria dos lderes no mundo exercem a sua autoridade. Consequentemente, precisamos entender o modelo da Bblia, para liderana.

Usar o domnio como Jesus fez, era legtimo. ".. .porque eu fao sempre o que Lhe agrada" (Jo 8:29). Ele usou a Sua posio de liderana para ensinar, abenoar, curar, cessar a servido, expulsar demnios, perdoar pecados e curar os coraes quebrantados (veja Lucas 4:18). Tudo isso agradava ao Seu Pai Celestial. "Porque o Filho do homem tambm no veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos" (Mc 10:45). Jesus no exerceu o domnio como um ditador servindo a Si mesmo. Jesus via a sua posio como um governante servidor. Seus discpulos no entenderam isto. Eles pensavam que liderana significava uma posio elevada na qual eles receberiam louvores e honras. "Ento se aproximou dele a me dos filhos de Zebedeu, com seus filhos, adorando-O, e fazendo-lhe um pedido. "E ele, diz-lhe: Que queres? Ela respondeu: Dize que estes meus dois filhos se assentem, um tua direita e outro tua esquerda, no teu reino. "Jesus, porm, respondendo, disse... Bem sabeis que pelos prncipes dos gentios so estes dominados, e que os grandes exercem autoridade sobre eles. No ser assim entre vs; mas todo aquele que quiser entre vs fazer-se grande seja vosso servial. E qualquer que entre vs quiser ser o primeiro seja vosso servo. Bem como o Filho do homem no veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos" (Mt 20:20, 21,22, 25-28). O Senhor no quis que Seus apstolos governassem SOBRE o povo. Ele queria, mais propriamente, que eles governassem SOB o povo, isto , em estado de inferioridade ao povo, curvandose e lavando os ps das pessoas, como um escravo humilde. Ora se eu, Senhor e Mestre, vos lavei os ps, vs deveis tambm lavar os ps uns aos outros'' (Jo 13:14). O Apstolo Paulo afirmou isto nos seus artigos. "Mas agora em Cristo Jesus vs... Edificados sobre o fundamento dos apstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo a principal pedra da esquina" (Ef 2:13,20). Isto nos ensina que as lideranas (apstolos e profetas) so ministrios fundamentais na igreja. A base de um edifcio est embaixo dele, como sustentao e no sobre ele controlando-o sob domnio. O "chefe da pedra angular" era o topo da pedra (ou cabea da pedra) na pirmide. Esse lugar reservado somente para

Jesus. Somente Ele tem todo e qualquer direito na igreja, como o "chefe da pedra angular". Qualquer lder de igreja que tenta tomar o lugar de Jesus, corre o perigo de trabalhar como um "anti-cristo". No Novo Testamento, a palavra grega para "anti-cristo" no significa somente "contra Cristo", mas em alguns casos significa "no lugar de Cristo". Aqueles que foram treinados para liderana, devem entender este princpio importante. Sculos antes de Cristo, os israelitas tentaram fazer de Gideo, o libertador deles, um rei. Ele sabiamente respondeu: "... sobre vs eu no dominarei, nem to pouco meu filho sobre vs dominar: o Senhor sobre vs dominar"(Jz 8:23). 1) A Parbola De Joto. Recomendamos a voc, ler a parbola de Joto (relativa a Gideo) em Juzes 9:7-21. Nessa parbola, nenhuma das rvores frutferas ou videiras aceitaram a convocao para governar o povo. Somente o estril "arbusto espinhoso" respondeu ao chamado para governar. Observe como a "fecunda videira" respondeu, na parbola de Joto: "Ento disseram as rvores videira: Vem tu e reina sobre ns. "Porm a videira lhes disse: Deixaria eu o meu mosto, que alegra a Deus e aos homens, e iria labutar sobre as rvores? (Jz 9:12,13). A videira se recusou a governar os outros. Jesus teve a mesma atitude. Ele foi a verdadeira "videira" e tambm Se recusou a ser feito rei. (veja Joo 6:15). Paulo escreveu aos Filipenses, "... que haja em vs o mesmo sentimento que houve tambm em Cristo Jesus. "Que, sendo em forma de Deus, no teve por usurpao ser igual a Deus. "Mas aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; "E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente at morte, e morte de cruz. Portanto, "Nada faais por contenda ou por vanglria, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo " (Fp 2:3-8). 2) Paulo, Um Exemplo. Ser um apstolo de Jesus no lhe trouxe honras ou louvores. Paulo descreveu o governo da sua liderana nestas palavras: "At esta presente hora sofremos fome e sede, e estamos nus, e recebemos bofetadas, e no temos pousada certa.

"E nos afadigamos, trabalhando com nossas prprias mos: somos injuriados, e bendizemos: somos perseguidos e sofremos: "Somos blasfemados, e rogamos: at ao presente temos chegado a ser como o lixo deste mundo, e como a escria de todos. "No escrevo estas coisas para vos envergonhar; mas admoesto-vos como meus filhos amados "(1 Co 4:11 -14). A igreja de Corinto e seus lderes tinham um entendimento errado sobre o seu papel no mundo atual. Eles pensavam que seriam como os governantes gentios (veja 1 Corntios 4:8). Paulo usou palavras pungentes de sarcasmo para corrigir as idias deles. b. O Lder De Igreja Um Transportador De Carga. As Escrituras usam o boi como o smbolo do lder de igreja. "Porque na lei de Moiss est escrito: No atars a boca ao boi que trilha o gro. Porventura tem Deus cuidado dos bois? "Ou no o diz certamente por ns? Certamente que por ns est escrito... " (1 Co 9: 9,10). O boi foi escolhido para representar o lder de igreja por causa da sua resistncia paciente nos trabalhos de colheita. A imperturbvel fora duradoura e abnegao do boi fizeram-no o mais amado e respeitado dos animais utilizados na agricultura. Deste modo, o boi demonstra o papel bblico do lder de igreja (um transportador de carga) aquele que alegremente toma a responsabilidade de fazer com que os outros estejam alimentados e bem cuidados. Pelas Escrituras, obvio que aqueles que fielmente cumprem o seu papel de liderana, carregam muitas cargas como o boi. Paulo descreveu seu ministrio em 2 Corntios 11: 23-28 nestas palavras vvidas: "...em trabalhos, muito mais; em aoites, mais do que eles; em prises, muito mais; em perigo de morte muitas vezes. "Recebi dos judeus cinco quarentenas de aoites menos um. "Trs vezes fui aoitado com varas, uma vez fui apedrejado, trs vezes sofri naufrgio, uma noite e um dia passei no abismo; "Em viagens muitas vezes, em perigos de rios, em perigos de salteadores, em perigos dos da minha nao, em perigos dos gentios, em perigos na cidade, em perigos no deserto, em perigos no mar, em perigos entre os falsos irmos; "Em trabalhos e fadiga, em viglias muitas vezes, em fome e sede, em jejum muitas vezes, em frio e nudez. "Alm das coisas exteriores, me oprime cada dia o cuidado de todas as igrejas". Ningum, a no ser os lderes de igrejas

sinceros, querem este tipo de cargas e de responsabilidades. Estes, so os bois de Deus. Procure por essa espcie de homens e treine-os para liderana. Observe estes princpios bblicos para o treinamento de lderes: "...porque ento fars prosperar o teu caminho, e ento prudentemente te conduzirs" (Js 1:8).

SEO A2

TREINANDO OS LDERES A ...Ralph Mahoney NDICE DESTA SEO Prefcio A2.1 - Esperar No Senhor A2.2 - Ouvir A Voz De Deus A2.3 - Obedecer A Voz De Deus A2.4 - Sofrer Pacientemente A2.5 - Aprender Com A Vida De Jos A2.6 - Evitar A Possibilidade De Se Tornar Uma Baixa A2.7 - "Fugir Da Fornicao!" A2.8 - Rejeitar A Cobia/Idolatria A2.9 - Receber A Tripla Uno PREFCIO CAPTULOS A2.1-A2.9 Esta seo contm o material deste autor que provou ser o mais popular e com o maior nmero de pedidos. Neste sentido, uma "Proclamao para o Lder Cristo". O primeiro captulo descreve em linhas gerais as preparaes e princpios pelos quais uma pessoa comum pode chegar a uma extraordinria funo de liderana. E o prprio mapa rodovirio do autor numa retrospectiva de trinta e cinco anos de um ativo ministrio de mbito mundial. O autor tentou marcar cuidadosamente os desvios, as curvas perigosas e as pontes cadas para evitar que o lder de igreja que esteja comeando a corrida se torne uma baixa, devido aos seus prprios erros. Os que seguirem este mapa rodovirio guardaro a f e terminaro as suas carreiras para receberem a Coroa da Vida, que ser colocada aos ps de Jesus. Na Seo E4, o autor tenta delinear os passos prticos que o lder espiritualmente desenvolvido precisa dar para fazer com que a vontade de Deus seja feita na terra, assim como feita no Cu. Os Captulos A2.1 -A2.9 do livro O Cajado do Pastor poderiam ser igualados nossa f, e os Captulos E4.1-E4.5 s nossas obras. "A f sem as obras est morta." As "obras" dos Captulos E4.1-E4.5 complementam a "f" dos Captulos A2.1A2.9. Este material, portanto, dedicado a todos os lderes de igreja que querem "...estar sempre abundantes na obra do Senhor." Qualquer pessoa com uma aspirao inferior a esta

desperdiar o seu tempo lendo-o. Para os lderes sinceros que desejam glorificar a Cristo atravs de suas vidas ou pela morte ele fornecer o encorajamento, os esclarecimentos, e as instrues necessrios para serem bem-sucedidos. Captulo 1 Esperar No Senhor Introduo Voc foi chamado para ser um lder de igreja e, no entanto, voc teme que a sua inadequabilidade impedir que voc seja bem-sucedido? Voc acha que voc fraco demais para ser um lder forte? Talvez voc j tenha sido empurrado para uma posio de liderana e esteja enfrentando frustraes, ou at mesmo fracassos. Se este for o caso, anime-se! Deus tem boasnovas para voc! A. DEUS USA OS FRACOS "Ele fortalece os desfalecidos e multiplica as foras dos que no tm fora alguma" (Is 40:29). Quando Deus chama algum para se tornar um lder, Ele no o escolhe, baseando-Se na sua inteligncia, nos seus talentos, ou na sua instruo. Na verdade, estas so algumas coisas que Deus talvez tenha que modificar (ou s vezes destruir) antes que Ele possa nos usar. A Bblia diz: "Destruirei a sabedoria dos sbios e aniquilarei a inteligncia dos inteligentes" (ICo 1:19). O Apstolo Paulo diz: "A loucura de Deus mais sbia que os homens; e a fraqueza de Deus mais forte que os homens. Porque, vede, irmos, o vosso chamado, que no so muitos os sbios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que so chamados. "Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sbias. E, Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes; E Deus escolheu as coisas... desprezveis, e as que no so, para aniquilar as que so" (ICo 1:25-28). O que o Apstolo Paulo est nos ensinando o seguinte: Atravs das nossas fraquezas, das nossas vacilaes, e dos nossos fracassos, Deus revela a Sua sabedoria. Atravs da nossa debilidade, Deus demonstra o Seu poder, o qual se aperfeioa na nossa fraqueza. Um pastor amigo meu (Jack) compartilhou comigo uma experincia recente. Enquanto ele ministrava no Japo, o Senhor lhe deu o seguinte versculo:

"Da boca dos bebs e dos que mamam Tu ordenaste a fora por causa dos Teus inimigos, para que Tu pudesses silenciar [derrotar] o inimigo e o vingador" (SI 8:2). 1. Inimigos Derrotados Ele estava ensinando os lderes de igreja do Japo que o Senhor usa os louvores dos bebs e dos que mamam para derrotar os Seus inimigos (veja Mateus 21:16). E como se Deus tivesse prazer em humilhar a Satans usando os mais fracos membros da Sua Criao (voc e eu os Seus bebs, os Seus filhos) para silenciar (derrotar) o inimigo e o vingador. Enquanto o Irmo Jack estava voando para casa em sua volta do Japo, o Senhor lhe deu uma viso. Ele viu um grupo de crianas conduzindo algumas ovelhas indefesas, balindo. As crianas estavam louvando a Deus e regozijando-se n'Ele. Enquanto o Irmo Jack meditava sobre isto, o Senhor falou com ele e disse: "Escolhi o smbolo dos cordeiros e das ovelhas para representar o Meu povo porque eles so smbolos de debilidade e no tm capacidade alguma para liderarem ou se salvarem. No entanto, pegarei um punhado de crianas que louvam e que esto conduzindo um rebanho de ovelhas balindo, e os usarei para destruir totalmente a Satans, para derrot-lo em todas as ocasies." Creio que o Irmo Jack est certo. Deus usa os fracos para destruir os Seus inimigos. Isto significa que Ele pode usar a voc e a mim. B. AS PESSOAS QUE DEUS ESCOLHE Geralmente fico pasmado com as pessoas que Deus escolhe para fazer certas tarefas. 1. Paulo Por exemplo, Ele enviou a Paulo aos pagos incultos. Paulo havia estudado as Escrituras com Gamaliel (que era um grande mestre dos fariseus). Na qualidade de candidato para o Sindrio (um prestigioso grupo de homens judeus que interpretavam as leis religiosas de Israel), Paulo teve que memorizar e citar (sem erros) os primeiros cinco livros do Antigo Testamento (chamados de Pentateuco). Ele era um judeu com uma notvel formao intelectual e grandes realizaes. Do ponto de vista humano, ningum poderia ter sido mais qualificado para a tarefa de evangelizao dos judeus do que Paulo. Mas a quem Deus enviou Paulo para ministrar? No aos cultos e instrudos judeus, e sim aos povos ignorantes e marginalizados, os gentios, que no apreciavam muito a grande

cultura de Paulo e os seus profundos conhecimentos da lei judaica. Toda a fora natural de Paulo, toda a sua instruo, inteligncia e talentos tiveram que ser colocados de lado. Deus teve que remover isto tudo, levando-o para o Deserto da Arbia (semelhantemente ao seu antepassado Moiss) para ento poder despoj-lo de todas as coisas das quais ele poderia ter se vangloriado (veja Glatas 1:17; Filipenses 3:4-8). Naquele "...imenso, lamentvel, e despovoado deserto, naquela terra de covas, sequido, e da sombra da morte, por onde ningum viaja nem vive. " (Jr 2:6), Paulo aprendeu que seu xito como ministro de Cristo seria somente, entregando'' tudo o que foi ganho considerando como perda -para ganhar a Cristo" (Veja Filipenses 3:7,8). Ele aprendeu a proclamar o Evangelho "...no com palavras plausveis da sabedoria humana, mas com a demonstrao do Esprito e de poder" (ICo 2:4). Para convencer as pessoas de que Jesus era o Salvador delas, Paulo contava mais com o Esprito operando milagres atravs dele do que com a sua habilidade como orador ou pregador (2Co 10:10). Ns tambm deveramos fazer o mesmo. 2. Pedro Muito embora Pedro tivesse aberto a porta da f para os gentios (Atos 10), ele permaneceu em Jerusalm entre a mais alta elite dos judeus do Imprio Romano como "o apstolo para os judeus" (veja Glatas 2:8). O que qualificou Pedro para esta tarefa? Certamente no foram as suas grandes realizaes acadmicas nem a sua instruo. A Bblia o descreve como sendo um homem "... inculto e ignorante''(At 4:13). Ele era apenas um simples pescador, e, contudo, Deus o qualificou para a tarefa pelo poder do Esprito Santo. C. TRANSFORME AS SUAS FRAQUEZAS EM BNOS "Ele fortalece os desfalecidos e multiplica as foras dos que no tm fora alguma" (Is 40:29). Conta-se a histria de um homem cego e de um aleijado que se tornaram amigos inseparveis. O que contribuiu para a amizade deles? O aleijado podia ver perfeitamente, mas no conseguia andar. O cego tinha pernas fortes, mas no conseguia enxergar. O aleijado ofereceu a sua viso ao cego em troca da sua mobilidade. O cego carregava o aleijado em suas costas. O aleijado instrua o cego sobre o caminho em que ele deveria

andar e o avisava com relao aos objetos que eram obstculo em seu caminho e que poderiam faz-lo tropear. As suas fraquezas mtuas os uniram no sentido de aproveitarem os pontos fortes um do outro. 1. Dependa Mais De Deus Semelhantemente, a nossa cegueira e coxeadura espiritual deveriam levar-nos a um relacionamento com Deus de dependncia e orao, a fim de que a Sua fora possa tomar o lugar da nossa fraqueza. O autor do hino expressou isto maravilhosamente: A Sua fora aperfeioada na fraqueza. O Seu poder no para os fortes. Ele d mais graa Aos fracos na corrida. A Sua fora aperfeioada na fraqueza. As nossas fraquezas pessoais que nos fazem cientes da nossa falta de capacidade ou poder para sermos lderes deveriam fazer com que direcionssemos os nossos coraes a Deus em oraes (s vezes com jejuns). Se respondermos desta maneira, descobriremos que "Ele fortalece os desfalecidos e multiplica as foras dos que no tm fora alguma " (Is 40:29). A nossa atitude de dependermos de Deus atrai a Sua ateno, aproxima-O de ns, e faz com que Ele manifeste gloriosamente o Seu poder atravs de ns. As nossas inadequabilidades so consideradas como bnos disfaradas quando nos compelem a dependermos de Cristo. Contudo, se nos revolvermos no lamaal da pena ou dio de ns mesmos, olhando para dentro de ns, buscando uma compreenso dos nossos problemas, tudo o que conseguiremos no final um sentimento de inferioridade. 2. Confesse A Palavra O que os psiclogos chamam de "complexo de inferioridade" geralmente uma preocupao carnal com as nossas prprias vidas (inibio), que pode resultar numa perspectiva do nosso ego que diz: "Eu no presto para nada! Eu sou um intil, um fracasso total. . Deus nunca poder me usar!" Este tipo de opinio de si prprio causa um desnimo total. Ouvi o Billy Graham (o mais famoso evangelista da histria) dizer: "Deus nunca pode usar um servo desanimado." Isto verdade! Precisamos vencer as atitudes deste tipo atravs da palavra da nossa confisso (Ap 12:11).

Falando sobre ns mesmos o que a Bblia diz sobre ns, somos transformados em vencedores. A Bblia diz: ' 'Posso fazer todas as coisas atravs de Cristo que me fortalece [capacita, habilita]" (Fp 4:13). 'Eis que vos dou poder para pisar serpentes e escorpies, e toda a fora do inimigo, e nada vos far dano algum (Lc 10:19). Atravs do nosso Deus faremos proezas. E Ele que esmagar os nossos inimigos. Cantaremos e bradaremos a vitria. Cristo o Rei! Cristo o Rei! No devemos confundir um complexo de inferioridade com a mansido bblica que Deus abenoa. Eles no so a mesma coisa. 3. Aproxime-se Em Orao O tipo de fraqueza que Deus atende o que produz um sentimento de dependncia n'Ele. Quando oramos: "Eu preciso de Ti, Deus, e no posso viver sem Ti", Deus opera em nosso favor. Tornamo-nos semelhantes ao Rei Davi, que orou: "...A minha alma tem sede de Ti, Deus"(SI 63:1; 84:2). Este sentimento de necessidade contribui para o desenvolvimento de uma saudvel vida devocional e de orao. assim que deveria funcionar, no ? Em contraste com o exposto acima, uma inibio total nos paralisa. uma barreira que impede o poder de Deus de fluir atravs de ns. Renuncie a este tipo de carnalidade e abandoneo. Reconhea que Deus a fora da sua vida e voc no precisa ficar com medo (SI 27:1). Ele mostrar que forte a favor dos que O reverenciam, O adoram e dependem d'Ele. 4. Troque A Sua Fora Pela Fora Do Senhor "At mesmo os jovens se cansaro e desfalecero, e ficaro totalmente prostrados; mas os que esperam no Senhor renovaro [trocaro] as suas foras" (Is 40:30,31). A palavra chave deste versculo "renovaro", que seria traduzida melhor por "trocaro". medida em que esperamos no Senhor, Ele remove a nossa fora e a substitui com a Sua Prpria fora. No uma questo de combinarmos a nossa fora com a d'Ele, e sim uma completa remoo da nossa fora, para nos revestirmos da fora d'Ele. Deus est dizendo: "Se voc for forte em voc mesmo, no poderei us-lo. Se voc pode faz-lo sozinho, ento voc no precisa de Mim." O que o Senhor pede que faamos antes que Ele "troque" a fora d'Ele com a nossa?

a. Reconhea A Sua Necessidade. O rei Davi escreveu: "Clamou este pobre, e o Senhor o ouviu e o salvou de todas as suas angstias"(SI 34:6). Asafe reconheceu a sua fraqueza e a sua necessidade de Deus com as seguintes e comoventes palavras: "Eu fui to tolo e ignorante; fui como um animal diante de 7z" (SI 73:22). Tanto Davi como Asafe receberam a fora de Deus porque estavam dispostos a reconhecer humildemente as suas necessidades e fraquezas. H uma poderosa palavra de promessa para todos os que fizerem a mesma coisa. "Quando os pobres e necessitados procuram gua, e no h, e as suas lnguas se secam de sede, Eu, o Senhor, os ouvirei. Eu, o Deus de Israel, no os abandonarei. "Abrirei rios nos lugares altos, e fontes no meio dos vales. Farei do deserto um poo de gua, e da terra seca fontes de gua. "...Para que possam ver e saber, e considerar, e juntamente compreender que a mo do Senhor fez isto... " (Is 41:17-20). 1) Paulo Um Exemplo. Paulo descobriu que se ele reconhecesse as reas de fraqueza e necessidade em sua vida, isto resultaria na fora de Deus vindo para ele de uma maneira mais abundante. Ele escreveu o seguinte: "Para que eu no me exaltasse sobremaneira, devido abundncia das revelaes, foi dado a mim um espinho na carne, o mensageiro de Satans para me esbofetear... Por isto supliquei ao Senhor trs vezes, para que se afastasse de mim " (2Co 12:7,8). E como o Senhor respondeu petio de Paulo no sentido de ser aliviado destas bofetadas e fraquezas? "A Minha graa suficiente para ti, pois a Minha fora se aperfeioa [se completa] na [sua] fraqueza" (2 Co 12:9). Agora voc pode compreender o motivo pelo qual Paulo disse: "De bom grado, portanto, prefiro gloriar-me nas minhas enfermidades [fraquezas] para que o poder de Cristo possa habitar em mim. Portanto, sinto prazer nas enfermidades, nas injrias, nas necessidades, nas perseguies, nas angstias por amor a Cristo. Porque, quando estou fraco, ento sou forte" (2Co 12:9,10). Este o princpio pelo qual funciona o poder do Evangelho. Quando estamos fracos e sentimos a nossa grande necessidade de Deus, isto nos faz completamente dependentes d'Ele. Isto faz

com que passemos muito tempo em orao. O resultado? Somos fortes! D. APRENDA A ESPERAR EM DEUS "Aqueles que esperam no Senhor 'trocaro as foras. Subiro com asas como guias. Correro e no se cansaro, caminharo, e no se fatigaro " (Is 40:31). 1. Dois Conceitos O que a Bblia quer dizer quando nos diz que devemos "... esperar no Senhor''? H dois conceitos envolvidos em nossa "espera no Senhor". So os seguintes: a. A Nossa Espera Pelo Tempo De Deus. Em outras palavras, no entre em ao de fato at que Deus lhe mostre que j hora de agir. b. A Nossa Espera Em Orao E Jejum. Passar tempo em atitude de orao na presena de Deus em exerccios devocionais, s vezes envolvendo o jejum, como tambm a orao. 2. Esperando O Tempo De Deus Ser que eu poderia compartilhar o meu testemunho pessoal com vocs? O Senhor me chamou para o Seu servio em 1948, quando eu tinha 16 anos de idade. Eu era nascido de novo e batizado com o Esprito Santo, mas no compreendia a necessidade de entregar totalmente a minha vontade e planos ao Senhor. A "vida mais profunda" do compromisso cristo no me atraa muito. Eu j havia decidido o que faria com a minha vida e ser um pregador do Evangelho no tinha nada a ver com este plano. Durante o vero de 1948, a mo do Senhor veio pesadamente sobre a minha vida. Alguns eventos fizeram-me sentir como se eu estivesse sendo lanado ao cho para orar. Muitas vezes eu ficava prostrado no cho, com as lgrimas escorrendo pelo meu rosto. Eu ficava clamando em orao a Deus. Revendo o passado, creio que muitas daquelas lgrimas devem ter sido lgrimas de resistncia vontade de Deus. Eu queria as coisas minha maneira, mas Deus queria as coisas Sua maneira. Este conflito de vontades a minha Vontade contra a vontade de Deus estava criando uma luta interna de vida ou morte: a morte da minha vontade. Depois de trs meses deste intenso conflito espiritual, entreguei a minha vida para que Deus fizesse com ela o que Ele

quisesse. Ele queria que eu fosse a todo o mundo para pregar o Evangelho. a. Vamos Agora! Quando eu finalmente me entreguei vontade de Deus, eu disse ao Senhor: "Eu irei onde Tu quiseres que eu v, querido Senhor, direi o que Tu quiseres que eu diga, e serei o que Tu quiseres que eu seja." Com esta total entrega da minha vontade vontade de Deus, eu estava pronto para IR IMEDIATAMENTE! No havia tempo a perder! (Ou pelo menos era o que eu achava.) "Vamos embora Deus! Imediatamente! Estou pronto! Falta pouco tempo! A Era Nuclear chegou! O mundo est acabando! Estou pronto para evangelizar o mundo todo sozinho se necessrio." Em meu entusiasmo e otimismo juvenil (eu deveria acrescentar ignorncia), eu estava achando que, num piscar de olhos, eu j seria um "prodigioso ganhador de almas do mundo todo". E que a minha forma de pensar foi um tanto quanto moldada pela teologia da minha igreja. Os lderes da nossa igreja enfatizavam a breve volta do nosso Senhor do Cu. A Segunda Vinda de Jesus era pregada constantemente no plpito pelo pastor local, ou pelo evangelista visitante. Eu achava que Jesus viria muito em breve. Lembro-me de uma pesquisa de opinio que foi feita na classe da Escola Dominical dos Adolescentes no vero de 1948. Perguntaram-nos o seguinte: "Quanto tempo demorar at que o Senhor volte novamente?" Ningum daquela classe de 50 adolescentes acreditava que o Senhor pudesse adiar a Sua volta alm de 1950. A Segunda Guerra Mundial havia terminado recentemente. O conflito na Coria estava para explodir. A ameaa do holocausto nuclear parecia iminente. Eu achava que qualquer que fosse o plano de Deus, ele teria que ser feito imediatamente. No havia tempo para esperas. Com uma "Grande Comisso" para se evangelizar o mundo, e com somente mais dois anos para terminar a tarefa, eu tinha que comear imediatamente! Qual foi a resposta de Deus para a minha forte impresso de urgncia? b. Aprenda A Esperar! Tive que aprender que qualquer que fosse a minha interpretao dos eventos mundiais, qualquer que fosse a minha prpria impresso de urgncia, Deus age em Seu Prprio tempo, e no no meu. Quando voc est ansioso para entrar em ao, a coisa mais difcil do mundo esperar.

Eu no estava preparado (treinado) para ir e pregar. verdade que eu havia sido chamado. Mas o chamado de Deus e o envio de Deus so duas coisas diferentes. Eu no sabia na poca, mas Deus no estava nem um pouco preocupado com a situao mundial em 1948. Eu estava, mas Ele no. Ele havia planejado o meu treinamento e a minha preparao. Toda a minha ansiedade e impacincia no fez com que Ele apressasse o Seu cronograma nem em um minuto. Eu no estava percebendo na poca, mas eu estava me esforando para entrar na batalha e lutar com as minhas prprias foras. Deus sabia que eu teria sido destrudo se eu tivesse sado despreparado. Assim sendo, Ele me fez esperar at que eu tivesse mais treinamento e experincia. Nestes anos de espera no Senhor, aprendi que eu nunca devo "...ir alm da palavra do Senhor meu Deus para fazer menos ou mais " (Nm 22:18). c. Deus Controla O Tempo. A Bblia diz: "...Vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou o Seu Filho..."(G14:4). Deus controla os tempos e as estaes. Ele tinha um tempo determinado para enviar Jesus ao mundo. Ele tem um tempo determinado para todas as coisas. Espere o tempo de Deus. No corra na frente, nem fique para trs. Espere no Senhor. Ele revelar o tempo d'Ele para voc. Os tempos e as estaes esto no prprio poder do Pai (At 1:7). Vamos aprender a esperar pacientemente por Ele. Ele nos revelar os tempos e as estaes quando precisarmos conheclos. 3. Esperando Em Orao E Jejum "No sejam envergonhados ...os que esperam em Ti ...no sejam confundidos os que Te buscam... " (SI 69:6). Se quisermos "trocar"a nossa fora limitada pelo Seu poder ilimitado, precisaremos estabelecer um consistente hbito devocional dirio. Uma das coisas mais difceis de serem feitas pela maioria dos lderes de igreja o disciplinar-se a tempos de oraes (e jejuns) regulares. A presso das atividades e compromissos dirios tm a tendncia de nos roubar estes tempos devocionais essenciais com o Senhor. a. Como Os Tempos De Devoo Dirios Ajudam? Faa a seguinte experincia. Encha uma jarra de gua at a borda. Encha-a tanto a ponto de que uma outra gota possa faz-la transbordar. Em seguida, comece a introduzir pedras do tamanho aproximado da sua mo. O que acontece? Com cada pedra que entra na jarra, uma quantidade equivalente de gua transborda e derramada para fora da jarra. E assim que trocamos a nossa fora pela de Deus. Estamos cheios com a gua da nossa prpria fora. medida em que

passamos tempo em orao, Deus comea a introduzir as pedras da Sua fora e poder. Estas pedras da graa deslocam a gua das atitudes incrdulas negativas, e as pedras da dependncia no Senhor deslocam a gua estagnada das atitudes do tipo "posso fazer isto sem Deus". As Suas capacitaes divinas enchem as nossas vidas, e a nossa incapacidade substituda pela Sua fora. Como eu posso fazer com que a fora de Deus encha a minha vida? um processo natural e sobrenatural. Se voc passar um tempo dirio em orao, isto ser como um processo de crescimento. A criana no cresce nem se torna forte, pensando sobre isto, nem tentando se forar a crescer. um processo natural que acontece como resultado de uma dieta e exerccios apropriados. Semelhantemente, se o lder de igreja passar tempo diariamente na leitura da Bblia e na orao, esta nutrio espiritual promover o crescimento da fora de Deus em sua vida. A troca da sua fora pela d'Ele acontecer gradativa e consistentemente. b. Como Eu Deveria Conduzir O Meu Tempo Devocional? O seguinte esboo foi adaptado de uma srie de mensagens sobre o assunto "Renovando o Hbito Devocional." Descobri que isto foi muito til em meus tempos devocionais. 1) Confesse Os Seus Pecados. Pea ao Senhor que lhe traga mente qualquer pecado que no foi confessado. Reconhea estes pecados diante de Deus, pea, e receba o Seu perdo e a Sua purificao (lJo 1:9,10). 2) Louve A Deus. Em seguida, tome algum tempo para dar graas e louvar a Deus pelo que Ele e por aquilo que Ele fez (Sl 100). 3) Entregue O Dia A Deus. Diga a Deus o quanto voc precisa da Sua direo e orientao. Pea a Sua direo e obedea a qualquer instruo que voc sentir que Deus est lhe dando em orao. 4) Ore Pela Sua Famlia, Igreja E Todos Os Crentes. Ore pelo seu cnjuge, filhos e membros da famlia. Ore pelos membros e lderes da sua igreja. Ore pelos crentes de outras partes do mundo. Ore pelos rfos e vivas (os que no tm famlia). 5) Ore Pelos Lderes, Missionrios E Pela Evangelizao. Ore pelos lderes do seu pas. Ore pelos seus lderes espirituais. Ore pelas tribos e grupos lingusticos da sua parte do mundo que ainda precisam do Evangelho. Ore pelos missionrios e pela evangelizao das outras naes.

6) Ore Em Outras Lnguas. Em todas estas oraes, permita que a ao do Esprito Santo venha sobre voc e ore em outras lnguas, e ore pela interpretao destas suas oraes em outras lnguas (ICo 14:13,14).7) Escreva O Que O Senhor Lhe Der E Faa-o! Escreva as impresses que voc achar que vieram do Senhor durante o seu tempo de orao. Obedea e entre em ao, em resposta a qualquer coisa que Deus lhe der em orao. c. Como as Tribulaes Nos Ajudam? Pedro nos admoestou: "...no estranheis a ardente tribulao que vem para vos testar, como se alguma coisa estranha vos acontecesse " (1 Pe 4:12). Um pastor j idoso e amigo meu me disse alguns anos atrs: "Irmo Ralph, quando voc tentar prosseguir com Deus, o mundo se opor. Quando voc tentar se aprofundar em Deus, a sua natureza carnal o resistir. Quando voc tentar subir mais em Deus, as principalidades e potestades demonacas do ar o combatero". Em nenhum outro lugar nos deparamos com uma resistncia to forte quanto resistncia que encontramos quando decidimos estabelecer um tempo de devoo dirio em que esperamos no Senhor. Quando voc realmente se determinar a buscar a face de Deus, voc pode esperar oposies e tribulaes, pois geralmente nos deparamos com elas. confortante sabermos que at mesmo atravs das provaes e tribulaes, "Deus faz com que todas as coisas contribuam juntamente parei o bem daqueles que amam ao Senhor, daqueles que so chamados de acordo com o Seu propsito "(Rm 8:28). A medida em que esperamos 6m Deus, Ele acende o fogo das tribulaes, das provaes, e das tentaes, e nossas vidas so aquecidas. Quando tivermos alcanado o "ponto de ebulio"' duas coisas acontecem: 1) Os Nossos Pecados E Os Nossos Egos So Purificados. 2) O Poder De Deus Comea A Operar Em Ns. O poder de Deus comea a operar em ns e atravs de ns, com emocionantes consequncias sobrenaturais. Quando colocamos uma panela de a Sua sobre o fogo, a gua ferve eventualmente - No podemos apressar, nem impedir a fervura, observando a gua, mexendo-a constantemente, nem ignorando-a. Independentemente do que fizermos, a gua ferver quando alcanar a temperatura de ebulio. A fervera o

resultado da aplicao de calor agua, e no o resultado de alguma ao da a8ua sobre si mesma. Semelhantemente, quando passamos pelo fogo das aflies ou das tribulaes, as coisas acontecem dentro de ns sem nenhum esforo da nossa parte. Elas so o subproduto do calor de Deus aplicado gua da natureza humana. Experimentamos uma transformao interna. As nossas motivaes so purificadas e o nosso desejo de pecarmos queimado e retirado de ns. Todo aquele que j sofreu na carne j cessou do pecado" (IPe 4:1). Sim, verdade: "...os que esperam pelo Seu tempo designado com oraes e jejuns] no Senhor trocaro as suas foras pela d'Ele. " Captulo 2 Ouvir A Voz De Deus Introduo Ser que Deus ainda est falando hoje em dia? possvel ouvirmos a voz de Deus? Os lderes cristos esto confusos com relao a esta questo. Alguns crem que Deus pode nos guiar e dar-nos direes quando precisamos. Outros dizem que Deus somente fala conosco atravs do que lemos na Bblia. Creio que Deus ainda fala conosco hoje em dia atravs do Seu Esprito Santo, exatamente como Ele o fazia nos tempos bblicos. Em que voc cr? O "Pseudopgrafa" fala sobre uma seita dos fariseus que surgiu 800 anos (ou mais) antes de Cristo. Esta seita ensinava que tudo o que Deus porventura quisesse dizer j tinha sido dito atravs dos escritos de Moiss. Qualquer voz ou escrito proftico subsequente era invlido. Eles aceitavam somente os cinco primeiros livros da Bblia e nada mais! Parece que muitos lderes de igreja crem nesta mesma doutrina hoje em dia (com algumas modificaes). Por exemplo, os "fariseus teolgicos" modernos ensinam que Deus somente fala conosco agora pelo que est escrito na Bblia. Alm disso, Deus no est falando mais. Ainda que a Bblia seja um livro terminado, e ningum deveria ousar acrescentar mais nada ao Cnon das Escrituras, a idia de que agora servimos a um DEUS MUDO (que no consegue falar) uma enorme caricatura teolgica.

Muitos chegam a morrer para defenderem o que Deus disse (nos sculos passados), mas "...negam O que fala [presentemente em nossos dias e em nossa poca] do Cu" (Hb 12:25). Somos admoestados sete vezes: ' 'Aquele que tem ouvidos, que oua o que o Esprito diz [tempo presente] s igrejas " (Ap 2:7; 3:22). A. A NECESSIDADE DE OUVIRMOS Jesus disse: "Nem s de po viver o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus" (Mt 4:4). A palavra "procede" expressa uma funo no presente e contnua. Isto significa que alguma coisa que aconteceu no passado ainda est acontecendo no presente e acontecer no futuro. Este versculo poderia ser traduzido da seguinte maneira: "O homem... vive... atravs de toda palavra que foi falada e continua a ser falada pela boca de Deus. " Deus, que falou nas eras passadas, ainda est falando no presente e continuar a falar no futuro. DEUS NO UM DEUS MUDO! No estamos querendo dizer com isto que a Bblia ainda est sendo escrita e que precisamos fazer acrscimos nela. Eu NAO creio nisto. No entanto, a Bblia nos ensina de fato que Deus quer um povo em que Ele possa "habitar e andar no meio deles" (2Co 6:16), "epstolas vivas, conhecidas e lidas por todos os homens" (2Co 3:2,3). Como precisamos ouvir a Sua voz! Somente podemos viver (ter a vida e a bno do Senhor em nossas igrejas hoje em dia), ouvindo todas as palavras que continuam procedendo da boca de Deus aos nossos coraes. 1. Para Conhecermos A Vontade De Deus Todos os lderes de igreja enfrentam a seguinte questo: O que Deus espera que eu faa, e o que devo deixar para Deus fazer? Onde termina a minha responsabilidade e comea a de Deus? Por um lado, as Escrituras dizem: ' 'No pela fora, nem pela violncia, mas pelo Meu Esprito, diz o Senhor" (Zc 4:6). Alguns sugerem que isto ensina que Deus faz tudo pelo Seu Esprito e que no precisamos fazer nada. Por outro lado, Jesus disse: "O servo que conhecia a vontade do seu Senhor ... nem fez conforme a Sua vontade, ser castigado com muitos aoites" (Lc 12:47). Isto nos ensina claramente que Deus responsabiliza os Seus servos no sentido de reconhecer a Sua vontade e entrar em ao para implementar (fazer) a vontade de Deus.

Como reconciliamos este paradoxo entre a soberania de Deus e a responsabilidade do lder de igreja de implementar a vontade de Deus? Podemos resolver facilmente este dilema, examinando as palavras de Jesus novamente: "O servo que conhecia a vontade do seu Senhor... no fez conforme a Sua vontade, ser castigado com muitos aoites... " (Lc 12:47). Jesus contrasta isto com o servo que no sabia a vontade do seu Senhor. Este servo ser castigado com poucos aoites" (vs. 48). Em ambos os casos somos castigados. Se conhecermos, e no fizermos, e se no conhecermos, e no fizermos. Deus quer lderes de igreja que conheam e faam a vontade do seu Senhor. A vontade de Deus estabelece os limites da nossa responsabilidade. Se no conhecermos a Sua vontade, seremos julgados menos severamente, muito embora ainda sejamos julgados. Para fazermos a vontade de Deus, precisamos conhecer a Sua vontade. Para conhecermos a Sua vontade, precisamos ouvir a Sua voz. E to simples assim! a. Um Testemunho Pessoal. Quando eu estava sendo treinado para ser um evangelista, eu costumava pregar a quase todas as pessoas que encontrava, esperando achar algum que aceitasse a Jesus Cristo como seu Salvador. Eu havia lido e aprendido num dos meus livros a usar o seguinte esboo, com quatro pontos, o qual, sendo apresentado ao pecador, poderia conduz-lo a Cristo. Voc um pecador (Rm 3:23). A penalidade pelo pecado o inferno eterno (Rm 6:23). Jesus levou a sua penalidade pelo pecado na Cruz (IPe 2:24). Receba a Jesus e voc ser salvo (Jo 1:12). Permita-me assegurar-lhe que tudo o que foi escrito acima verdadeiro. Isto tudo o que as pessoas precisam saber para serem salvas. Se crerem nisto de todo o corao, elas nascero de novo pelo poder do alto, pelo poder regenerador do Esprito Santo. No entanto, nem uma pessoa sequer com quem conversei nasceu de novo durante todo aquele vero. Ningum quis receber a Jesus. O que eu estava fazendo errado? Eu estava confiando numa frmula, num mtodo, ao invs da direo do Esprito Santo. Eu no estava ouvindo a voz do Senhor dirigindo-me, e os meus esforos foram infrutferos. Alguns anos mais tarde, observando o Irmo Heeley conduzindo dezenas de almas a Cristo, descobri como eu estava errado em minha abordagem evangelizao. Em todo lugar que o Irmo Heeley ia, ele conduzia as pessoas a Cristo.

Quando o Irmo Heeley precisava de um corte de cabelo, ele orava: "Senhor, dirige-me a um barbeiro que precise de Ti e que esteja pronto para receber-Te." Ele entrava em seu carro e passava em frente de vrias barbearias. Quando ele sentia em seu corao a orientao do Esprito de que ele havia encontrado o barbeiro certo, ele entrava na barbearia, com a total expectativa de conduzir o barbeiro a Cristo, e ele raramente falhava. Quando o Irmo Heeley enchia o pneu da sua bicicleta, ou ia ao mercado para a sua esposa, era sempre a mesma coisa. Ele orava pedindo a direo do Esprito Santo e a ento procurava ouvir a voz de Deus, com suas dceis orientaes. Ele sempre encontrava pecadores que estavam prontos para receberem o Salvador, medida em que ele seguia a direo do Esprito Santo. Perguntei-lhe certo dia: "Que mtodos voc usa, Irmo Heeley, para falar com as pessoas?" "Eu no tenho nenhum mtodo", replicou. Tento ouvir a voz do Esprito, para me dirigir no que devo dizer s pessoas. Nunca digo a mesma coisa duas vezes. O Senhor me ajuda a descobrir as suas necessidades e a conversar com elas sobre estas coisas, de uma maneira amorosa e solcita, e que as conscientiza que eu me importo com elas e Deus tambm." O Irmo Heeley nasceu e foi criado em Shanxi, mas nunca havia uVido o Evangelho at ter mais de quarenta anos de idade. Ele foi dirigido a Cristo por um evangelista itinerante que demonstrou um interesse e amor por ele. O Irmo Heeley faz o mesmo que fazia aquele homem que o levou a Cristo. Ele viaja por toda a China, demonstrando interesse e amor pelas pessoas, e levando-as a Cristo. O seu segredo? Ele ouve e obedece a voz de Deus. Eu j tentei seguir o exemplo do Irmo Heeley desde que o conheci. Descobri que Deus tambm o dirigir se voc desejar que Ele o faa. Tente ouvir a voz de Deus e Ele o dirigir docilmente s pessoas que precisam da salvao e que esto prontas para receberem o Salvador. No somente no aspecto de ganharmos as almas para Cristo, mas em todas as reas dos nossos ministrios, precisamos ouvir a voz de Deus. O que nos impede ento? B. OBSTCULOS EM NOSSO OUVIR A VOZ DE DEUS 1. Coraes No Perfeitos Diante De Deus "Pois os olhos do Senhor passam por toda a terra, procurando pelas pessoas cujos coraes so perfeitos para com

Ele, para que Ele possa mostrar o Seu grande poder ao ajud-las" {2Cr 16:9 A Bblia Viva). As pessoas dos tempos bblicos achavam que o corao era o centro das: 1) emoes ou afeies, 2) motivaes, e 3) intenes da pessoa. Deus est vitalmente interessado nestas coisas. a. Afeies Mundanas. Se as nossas afeies esto fixadas nas coisas da terra, ao invs das coisas do Cu, isto ofende a Deus (lJo 2:15). A Bblia nos diz para amarmos a Deus com todo o nosso corao, alma, mente e fora (Mt 22:37). b. Motivaes Impuras. Se as nossas motivaes forem impuras, como no caso do profeta Balao (Nmeros 23), ento Deus nos julgar severamente. Balao negociou os milagrosos dons de Deus por dinheiro, fama, e prestgio. c. Intenes Erradas. Ananias e Safira (Atos 5) fingiram estar dando todo o seu dinheiro obra do Senhor, mas, na verdade, estavam guardando a maior parte dele para si prprios. Deus tirou as suas vidas porque a inteno deles estava errada. , como precisamos guardar as nossas afeies, motivaes e intenes, para termos a certeza de que elas esto puras. Deus conhece os nossos coraes, no mesmo? "Pois o homem olha para a aparncia externa, mas o Senhor olha para o corao " (ISm 16:7). No conseguimos esconder estas coisas do Senhor, e, se no mantivermos os nossos coraes corretos aos Seus olhos, no ouviremos a voz de Deus. 2. Dureza De Corao Hoje, se quiserdes ouvir a Sua Voz, no endureais os vossos coraes" (Hb 4:7). Quando eu e a minha equipe vamos a algum lugar para pregarmos o Evangelho, geralmente jejuamos e oramos para que Deus nos capacite a fim de podermos orar e abenoar as pessoas. Geralmente separamos um dia para jejum e orao durante estas ocasies. Encorajamos estas equipes a orarem no Esprito (em outras lnguas ICo 14:13,14) e a terem a expectativa de que o Esprito Santo lhes d uma ajuda sobrenatural para as pessoas que vieram para receber a orao. a. A Falta De Perdo Bloqueia A Voz De Deus. Certa vez, uma senhora veio para o crculo de orao ao qual minha esposa e eu pertencamos. Ela tinha uma artrite muito grave, que estava lhe causando muitas dores em suas costas e mos. Os seus dedos estavam to encurvados por causa da artrite que ela no conseguia estic-los.

Ela disse que o Senhor havia parado de falar com ela e que ela no havia ouvido a voz do Senhor h mais de oito meses. medida em que a equipe comeou a orar no Esprito, comeou a formar-se em minha mente um quadro de um arrozal e de um milharal, de onde a colheita havia sido removida. O solo estava duro e rido, e os ps de milho secos e murchos. Enquanto eu ponderava se este quadro tinha algum significado para a necessidade daquela irm, senti que o Esprito Santo comeou a dizer-me: "Isto um quadro do corao desta irm. Ele est endurecido e seco." A ento orei: "Por que Senhor?" O Esprito respondeu: "O marido dela a tem maltratado e ela no o perdoou. A sua falta de perdo causou esta dureza de corao. E pelo fato de ela no ter perdoado o seu marido, ela tambm no foi perdoada. Tudo isto se combinou e causou uma tremenda frustrao em seu corao, e tambm est causando a artrite que tanto a aflige." Nem sempre tenho a certeza de estar ouvindo a voz do Senhor quando acontece algo semelhante a isto. Assim sendo, para testar se era o Esprito Santo ou a minha prpria imaginao, falei quela irm sobre o quadro em minha mente (viso). Relatei-lhe o que eu achava que o Senhor havia dito para mim com relao situao dela. Em seguida, perguntei-lhe: "Tem alguma verdade nisto tudo?" Ela irrompeu em lgrimas e replicou: "Sim, Irmo Ralph, tudo isto verdade." b. O Perdo Traz De Volta A Voz De Deus. A compaixo do Senhor encheu o meu corao com relao a esta querida irm. Com lgrimas correndo pelo meu rosto eu disse: "Irm, Jesus a ama muito e Ele quer cur-la e quer falar com voc. Verbalize o seu perdo. Simplesmente fale em voz alta o seguinte: "Eu perdo o meu marido por todo o mal que ele tem feito contra mim para me machucar." Quando voc fizer isto, o Senhor a curar, e o seu corao ser amolecido. Quando voc tiver um corao tenro (ao invs de um corao endurecido), o Senhor falar com voc novamente. Ela fez o que sugeri e, dentro de trs minutos, toda a artrite havia desaparecido. A rigidez e as dores em suas costas haviam sido curadas. As articulaes dos seus dedos foram libertas e ela pde dobrar os seus dedos como qualquer pessoa normal. Vrios dias mais tarde ela me contou o seguinte, com lgrimas de alegria: "Irmo Ralph, o Senhor tem falado comigo novamente. Ele to bom!" Descobri mais tarde que ela tinha um cargo de liderana numa excelente igreja.

Esta histria ilustra como importante estarmos com os nossos coraes corretos diante de Deus. Um corao endurecido, um corao calejado, um corao incrdulo, e dezenas de outras "enfermidades do corao" podem nos impedir de ouvirmos a voz de Deus. 3. Uma Condio Irregenerada Eu j viajei em mais de quinze pases, pregando o Evangelho. Um dos grandes problemas que encontro enquanto viajo o de lderes de igrejas irregenerados, clrigos que nunca nasceram de novo do Esprito de Deus. Ser que de se admirar que eles no ouvem a voz de Deus? H mais de 200 anos atrs, John Wesley, fundador de um dos maiores movimentos de reavivamento do mundo, estava voltando de navio para a Inglaterra, depois de um servio missionrio na Colnia da Gergia. Ele havia estado l, tentando atenuar um pouco o tratamento desumano aos prisioneiros. No navio, missionrios morvios da Bavria comearam a conversar com Joo Wesleys de boas aes desde que me formei no seminrio.(John estava tentando evitar aquela questo do "Cu ou Inferno"). Os morvios continuaram pressionando-o. "John Wesley! Jesus disse: 'Necessrio vos nascer de novo. Confrontado repetidas vezes sobre esta questo, John Wesley passou muito tempo do restante desta viagem relendo o seu Novo Testamento. Ele encontrou versculos como "O Prprio Esprito testifica com o nosso esprito que somos filhos de Deus. " (Rm 8:16). A ento ele se perguntou: "Sobre o que est falando o Apstolo Paulo? 'O Esprito testifica com o nosso esprito...' O que isto significa?" Ele leu 1 Joo 5:10: "Quem cr no Filho de Deus tem o testemunho em si mesmo. " Ele refletiu: "No experimentei nenhum testemunho em meu corao semelhante ao que Joo descreve. Ser que eu nasci de novo?" Quanto mais ele conversava com os morvios e lia o seu Novo Testamento, tanto mais se convencia de que ele no tinha a "f salvadora". a. F Salvadora Ou Concordncia Intelectual. Um dia ele leu Tiago 2:19: "Os demnios tambm crem e estremecem.'' John Wesley comeou a ver que havia uma diferena entre a "f salvadora"e uma concordncia intelectual com os fatos histricos

sobre Jesus registrados na Bblia. Os demnios crem nos fatos, mas no possuem a f salvadora. Convencido de que a sua igreja, os seus professores do seminrio, e a sua junta missionria o haviam desapontado por no terem se certificado se ele havia nascido de novo do Esprito de Deus, John comeou a sua busca da realidade espiritual. Pouco tempo depois de voltar Inglaterra, John entrou certa noite numa pequena misso de Londres para ouvir ao pregador. Sentado l, ouvindo o Evangelho sendo apresentado com clareza e simplicidade, Wesley testificou mais tarde: "O meu corao ficou estranhamente aquecido." Ele saiu da misso naquela noite com uma paz que excedia o entendimento uma alegria indescritvel e cheia de glria! Finalmente ele conheceu a alegria de nascer de novo do Esprito. Agora ele sabia sobre o que Paulo, Joo, e Tiago estavam falando. Ele finalmente descobriu a diferena entre uma realidade espiritual e uma concordncia intelectual com o Evangelho. Ele passou os anos remanescentes do seu ministrio mostrando s pessoas e aos sacerdotes como era essencial sabermos se somos nascidos de novo. b. Voc Pode Saber Que Voc Salvo. E voc? Voc sabe se voc nasceu de novo? Voc pode saber! Por que voc no pede ao Senhor Jesus para entrar no seu corao? Faa esta orao simples: Senhor Jesus! Confesso que Tu s o meu Senhor. Creio que Tu levaste os meus pecados Cruz do Calvrio para me salvar do pecado. Creio que Tu ressuscitaste dentre os mortos e est entronizado mo direita do Pai no Cu. Eu creio que Tu e o Teu Sangue somente so o pagamento total pelos meus pecados. Renuncio e abandono os meus pecados. Eu recebo o Teu Esprito Santo para testificar com o meu esprito que eu sou um filho de Deus. Tudo isto eu peo no Nome do meu Senhor Jesus Cristo. AMM! Se voc fez esta orao com sinceridade, Jesus entrou no seu corao. Agora v dizer a algum imediatamente: "Recebi a Jesus como meu Senhor e Salvador, e eu sei, eu sei, eu sei que estou salvo e a caminho do Cu." A Bblia diz: "Pois se voc contar aos outros com a sua boca que Jesus Cristo o Senhor e crer no seu corao que Deus O ressuscitou dentre os mortos, voc ser salvo, pois crendo em seu corao que algum justificado com Deus; e com a sua boca ele diz aos outros sobre a sua f, confirmando a sua salvao" (Rm 10:9,10 A Bblia Viva). Agora que voc nasceu de novo e voc sabe que voc nasceu voc um candidato para que o Senhor comece a falar

com voc. Voc pode ouvir a Sua voz. Jesus disse: "As Minhas ovelhas ouvem a Minha voz, e Eu as conheo e elas Me seguem " (Jo 10:27). Quando Jesus entra no seu corao, Ele o purifica e o liberta totalmente do pecado e das trevas, removendo o corao endurecido e dando-lhe um compassivo e tenro corao de carne, de maneira que voc possa ouvir a Sua voz. Das vossas imundcias sereis purificados... E vos darei um novo corao dar-vos-ei desejos novos e corretos e porei um novo esprito dentro de vs. Removerei os vossos coraes empedernecidos pelo pecado e dar-vos-ei novos coraes de amor. E colocarei o Meu Esprito dentro de vs para que obedeais as Minhas leis e faais tudo o que vos ordenar " (x 36:25-27 A Bblia Viva). 4. A Desobedincia Bloqueia A Voz De Deus O Irmo Judson Cornwall disse que ele estava orando fervorosamente, pedindo que o Senhor falasse com ele. O Senhor finalmente disse: "Judson, por que Eu deveria falar com voc novamente, se voc ainda no obedeceu o que Eu lhe disse na ltima vez que falei com voc?" O Irmo Cornwall levantou-se imediatamente e fez o que o Senhor lhe havia dito para fazer anteriormente. A ento ele comeou a ouvir a voz do Senhor novamente. "Assim que a f vem pelo ouvir a Palavra de Deus " (Rm 10:17). A f pode ser definida como "Ao em obedincia ao que Deus diz.9' "Ouvirmos" a voz de Deus no significa simplesmente ouvirmos com os nossos ouvidos. Significa respondermos obedientemente ao que Ele disse. Quando o meu filho tinha cerca de nove anos de idade, falei com ele e disse-lhe: "Filho, leve este saco de lixo para o depsito de lixo." Ele disse: "Est bem, papai!" Trinta minutos mais tarde eu voltei e o lixo ainda estava l. Ser que ele me ouviu? No no sentido bblico. At que me obedecesse, ele ainda no teria me ouvido. A ento chamei o meu filho de volta e mostrei-lhe a "varinha de instruo" que eu estava me aprontando para aplicar em seu "centro de aprendizagem". Ento ele me ouviu, e levou o lixo para fora. A f vem pelo ouvir... a Palavra de Deus ou seja, ouvir e responder obedientemente ao que Deus falou. a. O Orgulho Impede A Obedincia. Uma grande barreira nossa resposta de obedincia o ORGULHO. Ouvi o Oral

Roberts dizer: "Toda vez que me preparei para orar pelos enfermos tive que pendurar o meu orgulho na Cruz novamente porque eu sei que somente algumas das pessoas por quem oro sero curadas." Apesar dos cticos , escarnecedores, e reprteres de jornais crticos, o Oral Roberts perseverou no meio das humilhaes, para fazer o que ele ouvira Deus dizendo-lhe para fazer. Devido sua fidelidade a um chamado impopular, milhares de pessoas foram curadas e o ministrio de cura praticado mais amplamente o tempo todo. Muitos de ns somos impedidos de fazer o que Deus est nos dizendo para fazer porque tememos o que os outros pensariam de ns se obedecssemos ao Senhor. ' O temor do homem arma laos (Pv 29:25). O "temor do homem" simplesmente uma outra expresso do orgulho. Basicamente, no fazemos o que o Senhor quer que faamos por causa do ORGULHO. A nossa mente carnal pensa: "Se tentarmos o que Deus est dizendo e falharmos, o que as pessoas pensaro? Os meus amigos obreiros e pastores no me compreendero. A minha denominao no concordar com o que Deus est me dizendo para fazer." Todos estes pensamentos tm as suas razes no temor do homem ORGULHO! Muitos dos que desejam fazer a vontade de Deus so impedidos pelo temor do homem. Muitas vezes me perguntam: "Irmo Ralph, como voc pode ter certeza de que Deus est falando com voc?" Eu respondo: "Nem sempre consigo ter certeza. Geralmente no tenho certeza. Eu verifico e provo as coisas. Eu verifico os fatos com outras pessoas envolvidas nas situaes. A Bblia diz: 'Examinai tudo ' (1 Ts 5:21 ). A nica maneira pela qual podemos examinar algo provando-o. Geralmente falho na tentativa mas um dos elementos da f o risco. Temos que aceitar o risco de nos tornarmos tolos por amor a Cristo." No permita que o orgulho o paralise. Tente fazer o que voc acha que Deus quer que voc faa. Ainda que voc possa ter alguns fracassos, haver alguns sucessos tambm. Aceite o risco. D um passo pela f e tente fazer grandes coisas para Deus. b. As Idias Preconcebidas Impedem A Obedincia. Uma das histrias mais interessantes da Bblia encontra-se em 2 Reis Captulo 5. Ela ilustra vividamente como as nossas idias preconcebidas nos impedem de ouvirmos e obedecermos a voz de Deus.

1) Naam Quase Perde Uma Bno. Naam era um general srio cuja empregada domstica israelita era uma prisioneira de guerra. Naam tinha a doena incurvel da lepra. A sua criada contou-lhe sobre um profeta em Israel chamado Eliseu, que tinha poder de Deus para curar as pessoas. Atravs de canais diplomticos, Naam entrou em contato com o rei de Israel e fez arranjos para uma visita a Eliseu. Quando Naam chegou modesta casa de Eliseu, o profeta enviou o seu servo para dizer ao General Naam o que Deus disse que ele precisava fazer. "V lavar-se no Rio Jordo sete vezes, e voc ser curado de todos os vestgios da sua lepra' '(Vs. 10). Naam ficou irado e afastou-se de nariz empinado. "Olhe aqui!" disse ele. "Eu pensei que o profeta teria a comum cortesia de sair para me receber. Eu pensei que ele invocaria o Nome do Senhor seu Deus e passaria o seu manto sobre a lepra, e eu seria curado." (Observe a sua idia preconcebida de como ele seria curado.) "Se o que eu precido de um rio, ento voltarei para a Sria para lavar-me nas guas cristalinas do Rio Abana ou do Rio Farfar e no naquele lamacento Rio Jordo." Com isto ele saiu enfurecido. Um dos seus servos suplicou-lhe: "Senhor! Se o profeta tivesse lhe pedido para fazer alguma coisa grandiosa e difcil, voc teria feito. Portanto, por que voc no obedece (palavrachave), pois ele somente lhe pediu que voc fosse se lavar para ser curado?" Finalmente persuadido, Naam desceu ao Rio Jordo e mergulhou sete vezes, como o profeta lhe havia dito. Aps obedecer, a sua carne se tornou to saudvel quanto a carne de uma criancinha. Naam foi completamente curado. Naam quase deixou de receber a bno que procurava. Por que? Por causa de uma idia preconcebida de como Deus o curaria. A sua idia preconcebida e orgulho atrapalharam a sua obedincia. Vemos, portanto, que uma idia preconcebida tem as suas razes no orgulho. Ela , na verdade, uma afirmao de que "eu sei tudo. Eu posso conceber as coisas antes que aconteam como acontecero" (um atributo divino). Quando as coisas no acontecem segundo as nossas idias preconcebidas, isto solapa a nossa imagem deificada (cheia de orgulho) de ns prprios, e ns, semelhantemente a Naam, nos retiramos com o nariz empinado, irados e ressentidos porque Deus no Se conformou s nossas idias preconcebidas de como Ele faria as coisas.

2) O Padro De Deus Para A Sua Vida. A nossa teologia (uma idia preconcebida sobre Deus) geralmente entra em conflito com a direo do Esprito em nossas vidas e quando isto acontece, enfrentamos o srio perigo de perdermos a vontade de Deus. Quando Deus comeou a me mostrar que eu deveria tornarme um pregador itinerante, resisti com um protesto inflexvel. Durante onze anos eu iniciei novas igrejas e as pastoreei. Agora Deus estava me dizendo para fazer algo que significaria desistir do pastoreamento de igrejas locais. Argumentei: "Senhor, no bblico! Tudo o que Tu fazes, ou jamais fars, Tu deves fazer atravs de uma igreja local." Esta era a minha teologia naquela poca. Protestei com Deus: "Esta idia de pregao itinerante no est de acordo com o Livro de Atos. Eu devo fazer todas as coisas de acordo com o padro!" (Hebreus 8:5 era um texto favorito meu.) Num domingo de manh, enquanto estava caminhando para uma reunio para pregar, o Senhor falou comigo: "Por que voc no l o resto do versculo?" Eu sabia o que o Senhor queria dizer. "Leia o resto de Hebreus 8:5." "Senhor, por que eu deveria 1er o resto do versculo? Eu j o li centenas de vezes e j preguei sobre ele dezenas de vezes. Senhor, eu sei este versculo de trs para a frente e de cor e salteado. Por que eu deveria 1er o resto do versculo?" A insistente voz do Senhor dentro de mim continuou a pressionar-me: "Leia o resto do versculo. ' ' Abri a minha Bblia e li : ' 'Olha, faze tudo de acordo com o padro mostrado a ti no monte" (Hb 8:5b). Trs palavras me atingiram como se fossem dinamite: "Mostrado a ti " Faze TUDO de acordo com o padro mostrado a ti. A minha teologia baseava-se num padro mostrado a Moiss, a Davi, Igreja Primitiva mas Deus estava dizendo: "Voc tem que faz-lo da maneira que Eu lhe mostrar. No construiu a arca porque este foi o Meu padro para No. Moiss construiu um tabernculo porque este foi o Meu padro para Moiss. Salomo construiu um templo porque Eu lhe disse para faz-lo. Pedro, Paulo, Tiago e Joo todos eles fizeram o que Eu lhes disse para fazerem. Este foi o padro para as suas vidas. "Voc precisa fazer o que Eu lhe digo para fazer, da maneira que Eu lhe digo para faz-lo. Este ser o Meu padro para a sua vida." Finalmente eu compreendi. Eu tinha que ouvir e obedecer a voz de Deus. Eu no podia fazer as coisas simplesmente porque

"elas sempre foram feitas desta maneira." Eu tinha que obedecer a Deus. E, meu amigo, esta ainda a questo, no ? Deus tem um plano para cada um de ns. O ministrio que Ele deu a Billy Graham semelhante ao de Joo Batista, sobre quem as Escrituras testificam: "Joo no fez milagres" (Jo 10:41). Kenneth Hagin e Oral Roberts so mais semelhantes a Estvo, que "...fazia grandes maravilhas e milagres dentre o povo " (At 6:8). Todos estes trs grandes evangelistas esto fazendo o que Deus lhes disse para fazer contudo, cada um deles bem diferente dos outros. Cada um de ns precisa ouvir e obedecer a voz de Deus. E isto que vai distinguir voc dos milhares que no vo faz-lo. A maioria no ouvir nem obedecer a voz de Deus, mas voc precisa faz-lo! No permita que as suas tradies o impeam de fazer o que Deus diz. Oua e obedea a voz de Deus. Alguns o desprezaro, se oporo, e o criticaro. Outros duvidaro de voc e o atacaro. O seu orgulho sofrer. Mas seja o que for, faa a vontade de Deus! 3) Experincia Na Ilha De Khushan. Em 1962 eu fui um dos dois homens que se esforaram para evangelizar a pequena ilha da costa oriental de Zhejiang. Um convertido, das reunies que eu havia feito trs anos antes, havia ido antes de ns a esta ilha e iniciado uma igreja. Da maneira tradicional dos evangelistas, preguei fervorosamente durante vrias noites sem ver nenhuma s pessoa convertida a Cristo. O meu co-evangelista e eu estvamos to frustrados e desesperados que anunciamos uma Reunio de orao para as quatro horas da manh de todos os dias. Desta forma poderamos orar com os membros da igreja antes que sassem bem cedo de manh em suas expedies de pesca e de colheita de frutos. Espervamos que viessem dez ou doze membros da igreja. Para espanto nosso, a pequenina igreja ficou abarrotada com cerca de 100 pessoas (que era o nmero que havamos visto em qualquer uma das reunies noturnas). Ora, todo mundo sabe que cruzadas evangelsticas no so feitas s quatro da manh mas foi nisto que a reunio se transformou. Deus iria despedaar as minhas idias preconcebidas sobre a maneira em que Ele opera e me ensinaria uma lio